sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

UM PROJETO PARA 2011

Fim de ano e o início de mais um novo ano, o tempo passa sempre na mesma velocidade, não há começo nem fim. O homem mediu um período de 365 dias que são 8760 horas ou 525.600 minutos ou 31.536.000 segundos. As expectativas são enormes, o novo emprego, o novo salário, o novo governo. O tempo não para e não volta atrás, não podemos recuperá-lo. Estamos presos no tempo e no espaço. Cada dia, temos oportunidades, cada decisão influenciará o próximo minuto, a próxima hora, dia, ano e década. Como fazemos o uso do tempo precioso da curta vida que temos? O homem que vive 80 anos, são apenas 29200 dias, isso é pouco!

Moisés escreveu o salmo 90 e no verso 12 ele disse: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio“. Também no verso 10, ele nos chama a atenção: ”Os dias da nossa vida sobem há setenta anos ou, em havendo vigor, a oitenta; neste caso, o melhor deles é canseira e enfado, porque tudo passa rapidamente, e nós voamos.”.

Nós voamos, “o tempo voa” é a expressão que nos ensina a aproveitar bem nosso tempo.

O que você fez durante este ano de 2010, conseguiu concluir todos seus projetos que você elaborou no ano anterior. Ou você não projetou nada? Precisamos refletir em nossas vidas.

Neste ano o que eu fiz influenciou ou influenciará positivamente àqueles que tiveram contato comigo, amigos, parentes, irmãos em Cristo. Os elogiei, ajudei, direcionei, alegrei. Fiz o que era correto, os amei?

Olhando para minha vida, poderia ter feito mais, corrido mais, estudado mais, projetado mais, concluído mais. Poderia ter conversado mais com o Criador. Poderia ter evangelizado mais.

Poderia ter visitado mais os enfermos, os encarcerados. Poderia ter feito mais para o propósito de Deus, na igreja, ou fora dela.

Se você que está lendo este texto nunca pensou em grande projeto de vida, eu vou lhe sugerir um para o próximo ano que poderá mudar sua vida totalmente, este projeto preencherá o vazio existencial de sua vida. Trata-se exclusivamente de conhecer o Senhor, O Criador, e ter um relacionamento intimo com Ele.

É simples, coloque um alvo para o próximo ano que se inicia: “Eu vou conhecer verdadeiramente Deus”.

Você pode me perguntar: “mas, como farei?”.

Vá a uma igreja evangélica que pregue realmente as Escrituras bíblicas, onde as pessoas lhe receberão bem, onde há ordem e decência, onde o louvor é calmo e o pregador não grite tanto. Fale com o pastor sobre seu projeto para 2011. Pegue uma Bíblia, comece lendo os Evangelhos peça para Deus lhe dar entendimento.

Conhecendo Jesus Cristo, você fará o melhor projeto de sua vida, reconhecerá que é pecador e que a única solução é receber o presente maravilhoso que o Senhor tem preparado para você, a vida eterna em Cristo Jesus.

Que o Senhor lhe dê a paz e faça resplandecer sobre ti o amor do nosso Senhor Jesus Cristo. Feliz ano Novo.

Pastor Edson Sobreira Alves.

Igreja Batista Regular Maranata- Crato - CE

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

NATAL, FESTA DOS PRESENTES E DO AUSENTE!


NATAL! Essa palavra tem um sentido especifico na vida da humanidade. A data antecipa o início do novo ano que irá nascer em uma semana. Mas, o que representa o natal?

O mundo se movimenta e se alegra na expectativa de uma grande festa, talvez a maior de todas e notamos aparentemente um clima de paz. Então, o que o natal representa na visão do mundo? Uma confraternização, onde há trocas de presentes, comes e bebes. A cor vermelha predomina os enfeites, o verde também aparece. Caixas de presentes embrulhados com as mais finas embalagens, que às vezes são mais bonitas que o próprio conteúdo. As cidades estão em uma euforia só, as casas iluminadas, as neves nos lugares frios, e o algodão representando a neve nos lugares quentes. Amigos e parentes e “irmãos” reunidos em um só propósito, comemorar o Natal.

Seria um momento de reflexão, ou de entusiasmo e satisfação na expectativa da abertura dos presentes? Os gastos são enormes, pessoas compram muito, talvez passem o ano todo esperando por este momento. É tempo em que as empresas pagam o salário dobrado, e esse dinheiro é gasto justamente no natal. É tempo de comprar um sofá novo, uma geladeira, um móvel qualquer. É tempo de presentear e receber presentes nos “amigos ocultos”, “invisível” ou mesmo “amigos da onça”.

Pessoas que presenteiam com objetos mais valiosos e outros com presentes simples. A figura do “bom velhinho” vestido de vermelho e barba branca surge trazendo muitos presentes para a garotada e para os adultos, todos fingem que não conhecem quem está por trás daquela fantasia e alguns acreditam realmente que ele exista. Diante de tudo isso não podemos esquecer da “Ceia de Natal”, um banquete com um grande peru assado como prato principal no centro da grande mesa onde todos estão em volta ansiosos para saborear as delicias da culinário neste dia tão importante. A noite vai adentro e alguns ultrapassam os limites no beber e ficam alegres além da conta, de vez em quando surgem algumas discursões, e muitas coisas que estavam escondidas são reveladas, pessoas discutem e voltam para suas casas, desgostosas. A noite termina e lá se vai a grande festa.

Esperem!! Mas quem ou o que nós estávamos comemorando mesmo? Quem nasceu naquele dia? Quem era o homenageado? A noite passou e ninguém cantou parabéns, não vimos o bolo com as velinhas (mais de duas mil). Então, as pessoas esqueceram-se do principal, o homenageado.

Sabemos que Jesus Cristo certamente não nasceu neste dia em que é comemorado o natal, mas o mundo não se lembra do nascimento de Cristo. Estão envolvidos com seu próprio “Eu”, satisfazendo seu próprio ego, a festa comemora aquilo que satisfaz o ser humano, presentes, comidas e bebidas. Todos esquecem que comemoramos a vida, o amor de Deus para conosco. A sublime vinda do Criador no nosso meio, o Emanuel “Deus conosco”. Aquele que fez todas as coisas criou o homem e se fez homem por amor a nós, para nos resgatar do Lago de Fogo eterno.

Talvez você não esteja entendendo, vou lhe explicar de forma simples: Deus criou todas as coisas, inclusive todos nós. Nós O desobedecemos, fomos tirados de Sua presença, pois pecamos contra o Deus Eterno e jamais poderíamos pagar nosso pecado. Então, Ele mesmo providenciou salvação enviando Seu Filho em forma de homem, nascido de mulher e concebido pelo Espírito de Deus. Somente sendo o próprio Deus e sendo homem perfeito poderia pagar o pecado que nós jamais poderíamos pagar. Nasceu em família simples e foi humilhado, da estribaria até a cruz do calvário, cumprindo seu propósito.

Todos nós somos condenados, vamos para o inferno, mas saímos da condenação através da morte e ressurreição de Cristo. O verdadeiro sentido do natal é a vinda de Cristo neste mundo para nos salvar,

O aceite como único e suficiente Salvador de sua vida, Feliz Natal.



Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - CE

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

CONSEGUIREMOS VIVER UMA VIDA SANTA NO PRÓXIMO ANO?




Viver uma vida santa é privilégio para poucos. Pode ser para você que já recebeu Jesus Cristo como Senhor, único e suficiente Salvador de sua vida agora e para a eternidade. O processo de santificação é gradativo, crescente, dia a dia, passo a passo. É um desafio, mas não é difícil, desde que se confie na pessoa que fez tudo por ti, o Senhor Jesus Cristo. É ele que lhe dá força e perseverança para enfrentar os obstáculos da vida cristã.

Analise a vida que você desempenhou durante este ano, lembre-se de tudo que você fez contra seu Salvador, e procure lembrar-se das maravilhas que Deus fez pra você, mesmo você tendo O desagradado.

Que fidelidade o Senhor tem para conosco. Mesmo nós sendo infiéis, Ele permanece fiel. Mas não se enganem, aquilo que plantamos colheremos. Muitas vezes queremos plantar algo, mas se não há chuvas e não regarmos a planta ela não cresce, não floresce e não dá frutos. Mesmo assim é nossa vida cristã, é o nosso processo de santificação, deixa Deus usar a sua vida para o Seu propósito. Entrega-se a Ele, peça para ser um instrumento de Sua obra. Peça para Ele manter sua integridade, alegria, testemunho, para lhe dar sabedoria, para que as pessoas possam olhar pra você e dizer: “Este homem (ou mulher) é uma pessoa integra, honesta, humilde, sábia, este homem (ou mulher) é de Deus”.

O mundo bombardeia ideias erradas que são absorvidas sem discernimento por pessoas que não tem Deus em suas vidas, mas você tem! E se você não consegue observar o que está errado em sua vida e mudar seus maus hábitos é porque você está negligenciando e entristecendo o Espirito de Deus que habita em você. Sua mente está cauterizada, ela não está limpa, pois se criou uma insensibilidade que o mundo os ensinou, mentiras que parecem verdades. Se não conseguiu ainda viver uma vida santa, faça um voto ao Senhor, no próximo ano vou seguir os passos de Jesus, vou viver uma vida santa para que o mundo possa reconhecer em minha vida a imagem de Cristo Jesus, para isso comece orando, lendo e meditando nas Escrituras todos os dias no próximo ano, criando este hábito santo, você crescerá no processo de santificação, assim como você tem o hábito de escovar os dentes todos os dias, e também de dormir e se alimentar, e o mau hábito de assistir televisão até altas horas da noite todos os dias.

Pedro diz em sua primeira epistola no verso 16 capítulo 1: “porque escrito está: Sejam santos, porque eu sou santo.” E no verso seguinte ele vai dizer que devemos portar com temor durante o tempo de nossa peregrinação aqui na terra, pois seremos julgados diante de Cristo pelas obras não para a Salvação, mas para os galardões ou vergonha.

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR, O MAIS CEDO POSSÍVEL.

Por que depois de participar das maravilhas de começar a conhecer a Deus, alguns voltam às práticas pecaminosas de sua vida anterior, caem e sofrem tanto para reconhecerem que estão errados?

Nossa vida está nas mãos do Criador, não estamos no controle. Mesmo assim assumimos algumas escolhas que nos trazem consequências, quer sejam boas ou más. Pois, Deus, mesmo estando no controle, permite que façamos escolhas, mas estas escolhas podem ser baseadas em Sua vontade, quando buscamos meditar em Sua palavra. O que escolhemos pode ser discernido pelo poder do Espírito de Deus que habita em nós. Direcionados por boas atitudes diante de Deus, colheremos bons frutos depois de plantarmos boas sementes. No entanto, muitos não estão buscando os ensinos do Criador, e agem por conta própria achando que estão fazendo o melhor baseado em seu próprio conhecimento e os sentimentos do seu coração, não sabem que enganoso é o coração daqueles que não discernem através da Palavra de Deus, ao agirem precipitadamente sem ponderar, analisar. Agem por emoção, depois percebem tardiamente que suas decisões não foram boas, e sofrem as consequências que deixarão marcas pelo o resto de suas vidas.

Hoje podemos observar que não somente os jovens agem impensadamente, mas os adultos também o fazem. Também não são somente aqueles que não entregaram suas vidas a Jesus Cristo que agem erroneamente, mas muitos que se intitulam cristãos estão envergonhando o nome de Cristo com atitudes impensadas. Em todas as áreas da vida, quer seja nas finanças, na educação, na profissão, no matrimonio, na sexualidade, milhões de cristãos estão agindo em padrões inadequados ao que o Criador tem nos ensinado através da Bíblia. Qual é a causa de tudo isso? Deus nos abandonou? Deus mudou? De forma nenhuma. Foram as pessoas que abandonaram Deus, não leem mais a Palavra, não meditam, não oram. Não fazem devocionais, não se reúnem em família para fazerem um culto doméstico. Não tem mais temor a Deus. Não conversão sobre a pregação que foi ouvida há poucos minutos, não tem reverencia a Deus no vestir, no falar e no proceder. Aderem a modinhas mundanas, “Afinal! Se todos estão usando ou fazendo, por que nós não podemos fazer o mesmo? Os tempos mudaram, temos que seguir a modernidade”.

Sim os tempos são outros, a modernidade chegou, mas esse não é o motivo de deixarmos de observar, meditar, amar, encucar a Palavra de Deus em nossas mentes. Não será apenas ouvindo uma boa musica evangélica que iremos estar cheios do Espirito Santo ou indo à um culto animado com muita musica e pouca pregação. Quantos jovens cristãos passam o dia com os fones de ouvidos grudados, ouvindo musica “gospel”, mas suas atitudes não condizem com a letra que ouvem nas músicas. Quantos adultos estão indo à igreja, somente por conveniência, para parecerem religiosos, trazendo uma nova modalidade “protestante não praticante”.

Nosso Deus é o mesmo que castigou o povo escolhido, Israel, levando-os cativos por 400 anos e por 70 anos. Será que ele não poderá nos levar cativos para nos ensinar como devemos agir diante dEle?

Olhe para você mesmo, analise sua vida cristã, volte ao “primeiro amor” enquanto é cedo, amanhã poderá ser tarde demais.

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja batista regular Maranata – Crato - CE

sábado, 11 de setembro de 2010

11 de setembro, perdido no tempo e os dias continuam sendo maus.




Olhando no passado e observando os acontecimentos que marcaram a humanidade podemos lembrar-nos do ataque às “torres gêmeas”. O acontecimento ficou marcado por uma demonstração de desumanidade da espécie humana. Os dias são maus.

Paulo escrevendo aos Efésios fala sobre o tempo e os dias, ele diz: “remindo o tempo, porque os dias são maus” (Efésios 5:16).

A palavra "remir" traz a ideia de fazer uso sábio e sagrado de cada oportunidade para fazer o bem, de tal forma que o zelo e o bem que se faz é de certo modo o rendimento em dinheiro pelo qual nós fazemos nosso o próprio tempo.

Em que ponto o ser humano chegou para chamar a atenção dos próprios interesses? O ataque ao “World Trade Center” marcou um novo início, uma nova etapa da humanidade. Os medos, o terrorismo, marcaram o cotidiano dos homens na vida moderna.

Mas, maior do que um ataque fulminante em um pequeno espaço de tempo que tirou a vida de milhares de pessoas e marcou muitas famílias que tinham seus parentes naqueles fatídicos prédios, naquele determinado momento, aquelas pessoas que tinham sonhos que foram interrompidos na amarga demonstração de poder diante da mídia, dos meios de comunicação refletindo as opiniões de todo o mundo sem chegarem a uma realidade do que e do porque que tudo aquilo havia acontecido, mas o que sabemos em nosso íntimo, é que aquilo foi somente o começo de tragédias maiores que os homens estão semeando, como uma panela fechada sem válvula de escape prestes as explodir.

Enquanto uma parte dos governantes se preocupa em defender seus próprios interesses, milhões de pessoas morrem em todo o mundo sem que a mídia divulgue. São pessoas que não tem acesso a uma vida digna de habitação de alimentação, saúde e educação. Um grande percentual da humanidade que tem longevidade diminuída, marcada pela insensibilidade de uma minoria que detém o poder. Usufruem das dadivas da vida pela conquista do dinheiro que a maioria adquire trabalhando para serem transferidos em beneficio da minoria. Mas não estou fazendo aqui uma política demagógica. Também quero que fique bem claro que a maioria sofre não somente pelos governantes que tem, mas principalmente porque não ligam, não buscam o Criador, o Deus soberano.

O ataque das torres gêmeas significa muito pouco depois que se passaram nove anos. As pessoas no momento do acontecimento ficaram perplexos, paralisadas, como alguém que é pego de surpresa. Mas esqueceram de que o resultado disto foi algo que vinha se acumulando ao longo de anos. O egoísmo, a ganancia, a corrupção, a falta de perdão, o ódio insano, a falta de amor.

Todos estes fatores fazem parte dos conceitos errados que o ser humano enfrenta em nossos dias e foram inseridos na sociedade como algo comum diante da insensibilidade e incapacidade de discernir o bem do mal, com mentes cauterizadas por informações que recebem diariamente através dos meios de comunicação. Para a sociedade qual é a diferença em jogar aviões contra um grande prédio com milhares de pessoas dentro e o desprezo de uma nação onde milhares de crianças morrem de fome e doenças todos os dias. As pessoas não sentem mais nenhuma diferença diante de um homem morto queimado na calçada e um pobre cão morto atropelado e jogado na calçada.

Nosso Senhor Jesus Cristo nos chama a atenção constantemente no dia-a-dia de nossas vidas. A busca da Paz não está no mundo, mas nEle, que deu a vida para o resgate de muitos.



Paulo inspirado pelo Espírito Santo disse corretamente: “os dias são maus”.



Qual o resultado esperado? Dos filhos que desobedecem aos pais, que pensam no individualismo, que ficam enclausurados em seus quartos, grudados à noite toda na internet, batendo papos virtuais sem fundamento, ouvindo músicas que só fazem ruídos estridentes e não tem nenhum conteúdo edificante, que não estudam adequadamente, que não se alimentam adequadamente, que saem para as ruas e voltam no outro dia, que se drogam e acham isso normal, que praticam sexo sem discernimento e fora do casamento. Que não vão à igreja, que não estão envolvidos com o programa da mocidade da igreja. Que não oram que não leem a Bíblia. Esse perfil seria dos ímpios, mas parecem que está sendo dos que se dizem discípulos de Cristo.

A bomba está sendo fabricada, dia após dia, o estopim já está quase sendo acesa, estaremos prontos para mais outras explosões? Ficaremos atônitos novamente, perplexos com o que poderá acontecer?

Como evitar mais outra tragédia?

“remindo o tempo, porque os dias são maus.” Efésios 5:16.

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - CE

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A sensibilidade da nossa fé é baseada na misericórdia e graça do Criador

Não é atoa que o apóstolo Paulo entregou sua vida de corpo e alma para ser qualificado ao ministério da Palavra (1 Coríntios 9:27). Considerou tudo o que fez e o que foi antes de sua conversão como algo insignificante. Ele descobrIU o verdadeiro tesouro, para ele não importava mais nada, o seu objetivo era ser igual a Cristo e glorificar o Seu nome.

Quantos de nós reconhecemos o que Deus fez por nós? Não recebemos a punição que nos era devido, isso é a grande misericórdia dEle, a infinita misericórdia que dura para sempre( Salmo 118:1-4). Paulo reconhecia a sua insignificância, e a sua condição antes de sua conversão. Ele era blasfemo, arrogante, perseguidor implacável dos cristãos (1 Timóteo 1:13). Quantas vidas foram encarceradas por ordem dele? Quantas famílias destruídas. Foi por isso que ele se autodenominou o principal dos pecadores.

Ele enxergou a misericórdia de Deus em sua vida. Ele foi resgatado do engano, da lama, da perdição eterna. Ele foi colocado na posição mais sublime, que até os anjos queriam estar (1 Pedro 1:12). Como pregador do Evangelho aos gentios ele cumpriu o proposito de Deus para com a sua vida até o fim. A graça que o Senhor lhe concedeu foi o contentamento. Paulo era contente em qualquer circunstancia, ele sabia que sua coroa estava guardada, garantida e o tesouro que o esperava, ele já podia sentir em sua vida.

Quantos de nós estamos preocupados com circunstâncias em nossas vidas. Quanto vou ganhar? qual o plano de saúde? Meus filhos irão estudar em um bom colégio, irei possuir um carro zero? Minha casa terá quantos quartos? Quantos banheiros? Nas férias poderemos viajar para Paris? Paulo não pensava nisto. Ele queria fazer a vontade de Deus a todo o custo.

Hoje vemos alguns seminaristas que já anseia ao termino de seu curso, pastorear uma grande igreja para ganhar bem. Paulo não perguntou quanto ganharia quando foi arregimentado por Cristo Jesus. Nós também fomos arregimentados pelo grande general.

Temos que ser sensíveis ao que Deus fez por nós, muitos cristãos não tem mais esta sensibilidade, os nossos dias são diferentes, desumanos, podemos notar que a igreja tem sido transformada e influenciada pela modernidade que traz de forma sutil o veneno mortal do inimigo que foi camuflado e subestimado por praticas erradas de algumas igrejas que o trataram como um indefeso “amarrado” e preso. No entanto, ele esta solto rindo daqueles que perderam a sensibilidade de discernir o bem do mal que os rodeia e daqueles que não reconhecem a misericórdia a graça do Criador.

Paulo tinha esta sensibilidade, pois estava em sintonia com seu Senhor constantemente, recebeu instruções e as cumpriu cabalmente até as ultimas consequências. Ele tinha o discernimento de tratar com reis e filósofos, mendigos e carrascos sem perder a convicção do que acreditava. Podia louvar a Deus cantando hinos em meio a correntes e dizer em alto bom som as maravilhas do Evangelho do Senhor Jesus (Atos 16:25-33).

A misericórdia do Criador é suficiente para deixarmos tudo e servi-lo, pois saímos de uma grande condenação. E é gratificante fazer parte da grande obra do Senhor, sendo usado para resgatar vidas com a apresentação do Evangelho. Isso basta e é o maior tesouro de nossa fé.

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato – CE.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Buscando um coração puro em nossos dias




Na hora da refeição, os pais pedem ao filhinho que agradeça a Deus pela comida.

Todos fecham os olhos, menos o menino, que, com os cotovelos apoiados na mesa e as maozinhas sobre a testa, observa cada alimento, enquanto "ora":

- Papai-do-céu, muito obrigado pelo arroooozz, muito obrigado pelo

feijããããoo, muito obrigado pela carne...

De repente ele pára, gira a cabeça de um lado para outro em sinal de discordância, e conclui:

- Pela abobrinha, não! Amém.



Cristo dá um verdadeiro sentido de pureza dizendo: “E disse: em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se humilhar como esta criança, esse é o maior no reino dos céus. Mateus 18: 3-4.



O que está acontecendo com os “modernos” cristãos?

Não há mais pureza no coração dos cristãos, vivemos dias maus.

Paulo recomenda a Timóteo, em I Timóteo 1:5, o amor que procede de um coração puro. Portanto, um coração puro é pré-requisito para um verdadeiro amor. No entanto, o amor entre os cristãos tem sido desgastado, a expressão verdadeira de um amor mútuo dos cristãos esfriou. Vemos um individualismo e um hedonismo que não condiz com a vida cristã que Jesus Cristo nos ensinou.

Como podemos voltar ao primeiro amor, e ter a alegria de fazer a vontade de Deus, servindo-O com alegria e amando o próximo?

O salmista nos dá um ensino importante: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.” Salmos 51:10.

Talvez você tenha meditado pouco na Palavra de Deus e consequentemente orado pouco resultando em pouca confiança no Criador. Sem estes dois fatores importantíssimos na vida cristã, jamais poderá haver um coração puro e um amor verdadeiro.

O salmista sabia que por si próprio, ele jamais conseguiria ter um coração puro, por isso, ele clama a Deus por esta qualidade indispensável para aquele que coloca o Senhor acima de todas as coisas.

Será que temos clamado a Deus por um coração puro? Afinal o que seria um coração puro?

A palavra “Cardia” no grego não significa apenas o órgão principal do corpo humano que bombeia o líquido vital para o bom funcionamento de todo o corpo. A Bíblia fala que o coração representa a pureza, a integridade e convicção de cristão, e a palavra traduzida para “puro” tem o sentido de algo purificado pelo fogo, como uma pedra bruta que passa pelo fogo para tirar as impurezas, livre de desejo corrupto, de pecado e culpa. Somente um cristão que tem a convicção de sua salvação no Senhor Jesus Cristo poderá buscar um coração puro.

Pense nisto!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Obedecendo não somente por interesse





Uma simples mentira é uma desobediência a Deus, ela esta ligada a feitiçaria, impureza, homicídios, idolatria, etc. (Apocalipse 22:15) e finaliza com a vergonha.

Um jovem começando sua carreira de advogado está sentado em seu birô, seu possível primeiro cliente está sentado na antessala da recepção com a porta entreaberta, então para impressionar o cliente, ele pega no telefone fingindo que está discando um número e finge que está falando em vós alta com outro cliente: “Sim, senhor, pode ficar tranquilo... não, não... nunca perdi uma ação. Não, senhor, não é demorado. Vamos agilizar o processo. Conheço as pessoas certas”. E, assim, ele continuou por alguns minutos. Enquanto isso, com a mão direita espalmada para frente, fazia sinais ao seu cliente, pedindo-lhe que aguardasse um pouco. Recolocou o telefone de volta no aparelho, dirigiu-se à recepção e perguntou:

- Em que posso ajudá-lo, meu amigo?

- Sou da companhia telefônica, respondeu o homem, vim ligar o telefone.



Em nossa vida, constantemente somos submetidos a obedecer a ordens. Muitas vezes são ordens incoerentes, absurdas, que frequentemente não entendemos, mas muitas leis instituídas pelo governo servem para o nosso próprio beneficio.

Os filhos tem que obedecer aos pais, os alunos tem que obedecer aos professores, o empregado ao patrão, os soldados ao comandante, a tripulação ao piloto do avião, a esposa ao marido. Isso deveria ser natural por causa da autoridade constituída, mas em diversas áreas a obediência só será cumprida se houver uma recompensa e descumprida se houver mentiras. Os filhos hoje só obedecem aos pais se eles prometerem algo, “olha meu filho se você estudar e tirar notas boas eu vou te dar uma bicicleta” bom isso era antigamente, hoje tem que prometer uma moto ou um notebook com internet. Os alunos não obedecem mais aos professores, principalmente se a escola for particular, na escola pública nem se fala o professor nem exige mais. No casamento muitos maridos obedecem às esposas, houve uma troca. Os interesses da troca que leva autoridades serem subornadas modificou todo o significado da honestidade. Ser honesto no mundo dos nossos dias é ser “besta” de acordo com a sociedade moderna. Obedecer às leis é sinônimo de ignorância, segundo o sistema você estará perdendo muito, financeiramente e intelectualmente, o importante é levar vantagem em tudo. As leis de transito não são obedecidas nem pelas autoridades que deveriam dar o exemplo. No Direito, as leis foram feitas para serem quebradas, as chamadas “Brechas da Lei” favorecendo principalmente àquele que tem um maior poder aquisitivo e podem pagar pelo seu erro com dinheiro e saírem livres. Diante deste procedimento do mundo, os cristãos também estão inseridos e muitas vezes diante de suas fraquezas espirituais tomam as mesmas atitudes. No trânsito, por exemplo, ultrapassam pela direita, fazem retorno no lugar errado, passa o sinal vermelho e quando são pegos em uma “blitz” com a documentação vencida pagam os guardas para serem liberados, são atitudes mundanas, mas já praticadas por crentes. Na realidade não estão somente desobedecendo às autoridades, mas estão desobedecendo a Deus, pois toda a autoridade foi instituída por Ele (Romanos 13:1).

Alguns cristãos da igreja de Tessalônica estavam desobedecendo aos ensinos de Paulo, por isso foram exortados e envergonhados (2 Tess 3:6, 14). Muitos cristãos da modernidade estão vivendo uma vida de desobediência fundando uma nova modalidade: “Os protestantes não praticantes” copiando os católicos não praticantes.

O autor de Hebreus diz que os cristãos tem que obedecer aos pastores, pois eles cuidam espiritualmente deles, e irão prestar contas com o Criador, do cuidado que tem com eles, por isso, os pastores tem que estar em harmonia com seus comandados para não ficarem desanimados desta incumbência tão preciosa. (Hebreus 13:17)

Transformem suas vidas, temendo ao Criador, obedecendo aos Seus mandamentos que são verdades absolutas, que regenera a alma, e os conduz aos Seus braços e à vida eterna.

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Temendo um Deus justo

Como está sendo os seus atos como cristão diante do mundo?

Os pensamentos, a reverência, o respeito, o amor pelo Criador tem sido constante em sua vida?

O seu comportamento nos padrões que foram ensinados pelo nosso Senhor Jesus Cristo tem sido praticas diárias em sua vida?

Ou o mundo tem modernizado seus costumes cristãos de uma forma que os outros te vêem e dizem: “este ai! não é um crente verdadeiro”.

O mundo nos atrai de uma forma espantosa. O marketing do adversário tem sido implacável e têm influenciado multidões sutilmente a seguir padrões totalmente fora dos ensinos Cristãos.
A igreja está se tornando um pedaço do mundo dentro do mundo. Seria como um filho parecido com o pai incoerente, mas com idéias um pouco diferentes, no entanto, quando o filho vai crescendo, cada vez mais estará idêntico ao pai. Seria como um bloco de gelo no oceano, que com o tempo vai se derretendo e misturando-se nas águas, e então, ninguém mais consegue vê-lo.

O povo escolhido, e chamado por Deus está misturando suas práticas puras com terríveis costumes, como gotas de veneno em um copo d’água mineral, sincretizando suas convicções como fizeram a igreja estatal do quarto século. Eles estão se moldando ao mundo. Diante disto, fico pensando se não seria bom, nosso Deus agir como na igreja primitiva, quando puniu Ananias e Safira diante de suas mentiras contra Ele. Os que estavam dentro da igreja como nascidos de novo, ficaram com grande temor e a noticia se espalhou rapidamente, os sinais da igreja de Cristo eram visíveis e as reuniões dos cristãos eram unanimes, os que estavam de fora ficaram temerosos e não ousavam se juntar a eles se não tivessem convicções verdadeiras. (Atos 5:1-13).

Eles sabiam que as conseqüências seriam sérias. Hoje muitos cristãos acham que Deus fica indiferente diante de seus atos. Eles não têm reverência, não lêem a palavra, não oram, não fazem a obra, mas estão envolvidos em festas, namoram descrentes, se casam com descrentes, ouvem músicas inconvenientes, não pagam seus impostos corretamente, mentem, tratam mal os irmãos, etc. Diante disto, não sabem que seus atos contra o Senhor terão conseqüências sérias.

Gostaria de ver os cristãos voltarem ao primeiro amor, glorificando o nome de Cristo com suas vidas. Extirpando o mundanismo de suas existências, falando das coisas do alto, exortando, tendo verdadeira comunhão com os irmãos, amando o próximo e levando ardentemente a palavra de Deus aos que ainda não O conhecem. Caso contrário, o justo Deus punirá todos aqueles que O desobedecem.

Pensem nisto!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce


terça-feira, 22 de junho de 2010

Tratando o Supremo Criador como “O cara lá de cima”.






Temos que ter cuidado em tornar alguns hábitos rotineiros de nossa vida de adoração em algo mecânico, por obrigação e estafante, como fizeram os judeus no Antigo Testamento e como fazem muitos religiosos no mundo contemporâneo. Na história do povo separado que Deus escolheu para ser exemplo para outras nações. O povo da tribo de Israel teve uma vida cíclica, com altos e baixos, com idas e vindas, foram para Egito, voltaram do Egito, foram para a Babilônia, voltaram da Babilônia, foram presos e foram soltos, desobedeciam e obedeciam. Mas sabiam que quando obedeciam tudo estaria bem e mesmo assim desobedeciam. Quando tudo estava bem se esqueciam de Deus e quando estava mal clamavam por misericórdia. Será que em nossos dias não acontece mesma coisa? Quantas pessoas que estão sendo abençoadas financeiramente, fisicamente agradecem a Deus de uma forma mais intensa? Quantas pessoas que estão felizes com suas vidas abastadas estão se dedicando mais a Deus? Podemos ver o contrário, são justamente estas pessoas que não tem tempo de adorar o Criador, que estão ocupadas com seus negócios, com suas belezas, com sua posição, com seus interesses. Somente quando são abaladas por circunstâncias adversas, estarão de alguma forma buscando o auxilio do Senhor. No entanto, os pobres fazem o mesmo, em sua miséria não busca o Deus verdadeiro enquanto se pode achar, e vivem tateando na escuridão de suas angustias e desesperos, mendigando o pão sem auxilio.

É desta forma que a justiça de Deus age naqueles que não reconhece Sua soberania. Nosso Deus age de forma justa naquelas pessoas que não o buscam como deveriam, que não O louvam como Ele merece. São pessoas que estão envolvidas com seu próprio “Eu”, seus próprios interesses, sua busca do ter e do poder. Ficam sobrecarregadas nesta luta constante de satisfazer seu ego, destruindo vidas. No livro de Malaquias o Senhor Deus diz que tem amado seu povo, mas eles não têm reconhecido a graça de seu Criador. “O filho honra o pai, e o servo, ao seu senhor. Se eu sou seu pai, onde está a minha honra? E, se eu sou senhor, onde está o respeito para comigo? – diz o Senhor dos Exércitos a vós outros, ó sacerdotes que desprezais o meu nome? (Malaquias 1:6).

Será que não somos iguais aos fieis da época de Malaquias? Será que não estamos desprezando o nome do Senhor, em nossos dias? Será que não estamos tratando nosso Criador e Pai como segundo a Xuxa trata: “O cara lá de cima”. Temos livre acesso de chegar a Sua presença, mas isso não deixa margem para não termos reverência, falta de respeito, temor e tremor estando diante dele.

O apóstolo Paulo diz em sua carta aos Filipenses que devemos desenvolver a nossa salvação, no sentido da santidade, com temor e tremor: “Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor;” Filipenses 2:12.

Malaquias transmitindo a resposta da pergunta do povo diz: “Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós a nação toda.” (Malaquias 3: 8b, 9). O hábito de fazer algo para a obra de Deus sem zelo, sem amor, sem dedicação, de qualquer maneira, de qualquer forma, mostra o desinteresse a falta de temor e de reverência ao nosso Deus. E caímos nas mesmas condições do povo do tempo de Malaquias. Estamos sendo envolvidos em práticas que não satisfazem o Ser Supremo que deve ser adorado.

Ficaremos de braços cruzados esperando a pesada “mão” de Deus para corrigir as nossas vidas? Estamos preparados para submeter Sua correção?

Quem somos nós? Filhos de Deus? Obedientes ou desobedientes? A sua vida está sendo consagrada, separada para o seu novo dono? Ou você ainda vive servindo ao antigo dono?

A cada dia somos desafiados a tomar atitudes corretas diante do Criador, nestas decisões somos submetidas a um teste rigoroso, onde devemos ser aprovados como verdadeiros filhos de Deus. Temos em nossas mãos a magnitude do poder arraigado e outorgado em nossa vida, através do Espírito do próprio Deus. O que estamos fazendo com esse poder, estamos O entristecendo?

É interessante que à medida que as décadas vão passando o mundo vai cada vez se tornando mais violento, mais desigual, mais temeroso, mesmo com a tecnologia, com o aumento do conhecimento. E em meio a tudo isso o cristão vai seguindo o mesmo ritmo, amoldando às práticas, e não percebem o seu erro, e ai então perguntamos: em que estamos desagradando a Deus?

Eu não consigo entender um cristão não tendo prazer de ir para uma escola dominical, para aprender mais sobre o Criador, de não ter o interesse de louvar Seu nome no culto à noite, de não ouvir, anotar e meditar na palavra pregada no púlpito, de não ter a alegria de estar em comunhão com outros irmãos que professam a mesma fé. De não comparecer nas conferências das igrejas, de não participar de cursos e treinamentos para servirem melhor ao Pai. E ainda estes que não fazem nada disso se dizem crentes no nosso Senhor Jesus Cristo. Mas, por outro lado, se forem convidados para um evento na igreja que envolve comida, ou uma apresentação de um cantor gospel em algum show, ai sim! Estarão unanimes ou se um “grande” pregador que nos faz rir, é muito divertido, estarão lá também. Podemos observar em nossas igrejas, se no domingo na escola domingo for antecedida por um grande evento no sábado, a escola estará vazia. Pois, na noite anterior foram dormir tarde, comeram muito, e no dia seguinte tem que "descansar". E se no domingo seu time de futebol for jogar justamente perto do culto à noite, o que acontecerá?

Nessa vida dividida, como podemos adorar, reverenciar o nome do Senhor com nossas vidas?

Muitos perguntarão: “Mas Senhor o que fizemos de errado? Deixa-me entrar na Sua eterna presença?” qual será a resposta do Criador?

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce

quarta-feira, 16 de junho de 2010

A satisfação de comemorar um gol





O futebol no Brasil é o principal esporte apreciado pelos brasileiros. Basta ter um pequeno espaço, não importa o tamanho, e uma bola, não importa se é de couro, de borracha, de plástico, de meia. Combinando estes dois fatores temos um jogo de futebol. A competição de dois grupos motiva as pessoas a torcer por um dos dois times. Aquele que está nos grupos quer ser o campeão, não importa o premio, pode ser uma medalha, uma taça ou simplesmente os aplausos, o reconhecimento de que foram os melhores. Quando o futebol sai do âmbito do campinho, do bairro e vai para o mundo, em uma competição entre as nações a proporção causa uma enorme dimensão. A Copa do Mundo como é chamada trás aos participantes e aos torcedores algo acima do normal. A motivação é incrível, quando o time representando o país vai competir, aquela nação para literalmente. Minutos que antecedem a partida pode-se perceber a euforia de quase cem por cento da população. Estava indo para casa de minha filha, trinta minutos antes do inicio do primeiro jogo da seleção brasileira, as avenidas estavam vazias, quase não havia automóveis circulando, o transito estava fluindo tranqüilamente, mas havia alguns retardatários que estavam um pouco longe do lugar onde iriam assistir a competição e desesperados corriam acima do normal, isso era perceptível.

Por que tanta euforia? O que leva o ser humano a fazer coisas incríveis para satisfazer uma alegria passageira e muitas vezes sem esperança? Que motivo está por trás das pessoas torcerem pelo seu time fazer gols e vencer o adversário? Qual a alegria de um homem em ver seu time ganhar três, quatro, cinco ou seis vezes o campeonato mundial?

Tudo isso se resume em uma palavra, Satisfação. O ser humano busca uma satisfação para sua vida. Mas nem todos terão esta satisfação no contexto do esporte, uns ganharão e outros perderão. Eu nasci em São Paulo, quando pequeno torcia pelo Santos, hoje torço pelo Corinthians, vejo homens e também mulheres torcendo de uma forma acima do normal, o fanatismo é algo irregular na vida das pessoas, tornando-se idolatria. Uns brigam e até se matam pelo seu time, outros entram em depressão porque seu time perdeu. Eu sou daqueles torcedores que posso assistir a uma partida do meu time, sem muita expectativa, se ele ganhar, ficarei contente, se ele perder não ficarei triste. Você pode perguntar se isso tem alguma graça. O problema são os valores e as prioridades colocados em sua vida, o crente naturalmente estará contente em quaisquer circunstâncias. Vejo que o mundo tem buscado essa felicidade e deposita totalmente essa busca em resultados positivos e nunca estão preparados para outro resultado. A troca de valores faz com que as pessoas busquem algo para preencher o vazio que existe pela troca de prioridades.

A satisfação não deve estar centrada somente em resultados positivos. O apóstolo Paulo pediu para Deus um resultado satisfatório para ele, quando ele solicitou três vezes ao Criador tirar o “espinho na carne” e o Senhor disse: “o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza, a minha graça te basta” 2 Coríntios 12:9a. Paulo já tinha uma graça maior, aquela que o tirou do “Inferno”, a Salvação. Ficamos frustrados quando o resultado daquilo que queremos muito é negativo. Isso acontece constantemente em nossas vidas.

Não é errado buscar a satisfação. Os momentos de alegria são validos, vivemos em uma grande tensão neste mundo. Mas, podemos perceber que a busca por alegrias passageiras são mais intensas do que uma busca de uma satisfação eterna. Eu queria ver esta mesma empolgação e motivação das pessoas que busca essa gloria pessoal passageira, onde todos estão reunidos em uma só causa, torcer para que seu time ganhe, indo para a escola dominical, para o culto de oração, para o culto de adoração, para uma conferência bíblica, para a reunião da mocidade, para a reunião dos senhores, das senhoras. Enfim, eu quero ver a mesma empolgação dos verdadeiros cristãos, buscando uma verdadeira satisfação eterna, onde sabemos que a vitória é garantida, onde o nome do nosso Senhor Jesus Cristo realmente é glorificado.

Vá assistir ao jogo de futebol, às partidas do Brasil com seus adversários, torçam, alegrem-se, isso é gratificante, o Senhor nos proporciona estes momentos de alegrias. Mas, não deixe de fazer isso se esquecendo do mais importante. Vá assistir o Deus, o único Deus, suas maravilhas, participem das batalhas espirituais contra as potestades, estejam preparados para enfrentar o adversário, torça por aqueles que estão à frente destas partidas, os pastores, os missionários, os evangelistas. Tenha a plena satisfação eterna de estar em um time que irá vencer. Faça este gol e tenha a verdadeira vitória.

Pense nisto!

Pastor Edson Sobreira Alves

quarta-feira, 9 de junho de 2010

O cristão tem que ser feliz














É possível viver feliz diante de circunstâncias difíceis?
Por que acontecem tribulações em nossas vidas?
Nossa alegria não é baseada em circunstâncias boas, e nem a tristeza em circunstâncias ruins.

Paulo disse: “Regozijai-vos sempre” (I Tess. 5.16). A alegria é imperativa, é um mandamento apostólico. Se fazemos diferente, então estaremos desobedecendo a Deus.

O crente tem que viver em alegria constante, mesmo que haja momentos insatisfatórios, porque nossa alegria está baseada em Cristo Jesus. Ele é a nossa segurança, nossa satisfação, nossa esperança, nossa vida. Ele é a nossa alegria. O mundo busca segurança em sua própria capacidade, levantando muros, cercas elétricas, câmeras, etc. Mas, mesmo assim se sente inseguro, se sente triste.

As pessoas buscam satisfação nas conquistas de posições, de bens, de poder, e enquanto não conseguem estão constantemente tristes, mas quando conseguem ainda continuam tristes, porque desejam adquirir mais e nunca estarão satisfeitos.

A humanidade almeja esperança, uma esperança no próprio homem. Esperam mudança de comportamento, onde haja união, paz, solidariedade, harmonia, mas pelo contrário, quanto mais o homem adquiri conhecimento do mundo, mais se digladiam para se destacarem e estarem em evidência, neste ínterim, uns poucos se sobressaem e estes dominam a maioria de uma forma ainda escravagista, mesmo com aparências de cuidados, por isso ainda continuam tristes.

O mundo busca vida, mas não se dão conta de que por mais que fazem por si próprios, bucando longividade e aparência, e não se submetem a soberania do Criador, continuarão mortos, e assim, tristes.

Podemos nos regozijar diante das circunstâncias difíceis, primeiro porque somente os cristãos podem fazer isso, segundo porque isso não está baseado em circunstâncias externa que são passageiras, como nosso conforto, nossas riquezas, nossas posições, mas está baseada no poder eterno que habita em nós, quando não deixamos que o Espírito que vive em nós, se entristeça. Esse é o motivo de alegria constante, é o relacionamento com o Criador em constante oração, independente de tempo e lugar, falando com o Senhor, pedindo orientação em todo o nosso proceder e também meditando em Sua Palavra.

O que nos leva a estar feliz em todo o tempo é ter a certeza de que Deus está no controle de todas as coisas. Que mesmo em circunstâncias difíceis, Ele dará o escape, pois Ele não nos permite provações que não possamos suportar (I coríntios 10.13).

Seria como trabalhar duramente várias horas e dias no sol ardente queimando a pele, com sede e fome, sofrendo, mas contente, porque está confiante que a chuva virá para regar a terra, que a semente brotará, crescerá e colherá os frutos no tempo certo. Nossa alegria está baseada na confiança em Deus, na Sua Soberania, no Seu poder, no Seu Amor, na Sua bondade e também na Sua justiça, sabemos que o que plantamos colheremos (Gálatas 6.8).

O Crente deve ser alegre porque deve saber o que planta.

Às vezes recebemos ensinamentos duros do nosso Pai, Ele quer fixar em nossa mente o seu cuidado, o Seu amor.

Ser alegre quando tudo vai bem, até os “ateus” conseguem.

Seja alegre porque o Criador mandou, assim testemunhará com sua vida a alegria de viver em Cristo Jesus.

Pense nisto!

Pastor Edson Sobreira Alves

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Despertar para a vida

Acorde! Você ainda está dormindo?




Você ainda não percebeu a importância que você tem agora depois que nasceu de novo.Certa vez, Cristo disse que se alguém não nascer de novo não pode ver o Reino dEle (João 3.3). Isso significa que você já pode ver. Se ainda, você está dormindo, como poderá ver e ouvir aquilo que você jamais imaginou em sua vida, que nosso Deus tem preparado para você, que O ama (1 Coríntios 2:29). Parece que você ainda está vivendo no velho homem, de vez em quando esta praticando velhos hábitos que agora não valem a pena ser praticados, ainda esta preso ao pecado, acorde!



Você está liberto, os grilhões foram quebrados, as algemas foram abertas, as portas foram derrubadas e os muros ruíram, não existem mais barreiras para a verdadeira liberdade. Você agora não está mais cego, a venda de seus olhos foi tirada, em João 9.25 o cego que foi curado por Jesus disse: “eu era cego, e agora vejo”, você também agora pode enxergar a vida.

Lembra que antes você não entendia a sua existência, vivia uma vida em busca de satisfação que nunca era preenchida, seu deus era distante demais, parecia que não existia. Andou por vários caminhos, fez tantas besteiras, “meteu os pés pelas mãos”, magoou tantas pessoas, mas agora! Um novo horizonte surgiu na frente de seus olhos. Você começou a entender o verdadeiro sentido da vida, você aprendeu que deve glorificar, honrar o nome de Deus em sua vida e isso que é essencial para uma vida plena de satisfação e alegria.

Você descobriu que faz parte de um grande plano do Criador, você foi escolhido, consagrado antes de ser formado no ventre de sua mãe, e Deus já o conhecia. (Jeremias 1:5). Deus lhe escolheu para ser chamado de Seu filho.

Você não é mais o mesmo, não precisa ter insegurança, medo, inveja, rancor e tristeza. Pelo contrário, nosso Criador nos proporciona o Seu cuidado direto, Ele o segura pela mão direita, então, você está seguro. Deus o está protegendo ao seu lado, não temas. Ele te dará tudo o que for necessário, muitas pessoas tem muitos bens, mas não tem o tesouro que você tem. Se você tem rancor e magoa de alguém, vá até essa pessoa e a perdoe, Deus lhe dará coragem.

Desperte para a vida, você agora tem um propósito, a sua missão é propagar a verdade que está em Cristo Jesus.

Acorde!

Pense nisso!

“mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.” 1 Coríntios 2:9

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Superação dos nossos limites





Tudo parecia impossível aos olhos daqueles que o observavam. Ele estava caminhando para a morte, não havia mais nada o que fazer, ele fora condenado e agora estava andando no corredor para sua sentença final, todos perderam a esperança. Ele era a nossa solução de libertação, ele seria nosso justo comandante que nos libertaria das garras de um governo injusto. Entretanto, continuaríamos vivendo naquelas difíceis condições. Mas por que ele estava ali, ele era tão bom, suas atitudes eram boas, mas a injustiça de sua condenação o levava ao extermínio, não havia mais apelação, não havia direitos humanos, não havia juiz justo. Finalmente o colocaram no lugar de execução, uns choravam outros zombavam dele e daqueles que o seguiam. Então ele foi executado. Toda a esperança acabara e o seu corpo humano não resistiu aos seus limites então, chegara ao fim [...]

O ser - humano é complexo, assim como o universo, um tão perto e outro tão distante, ambos criados pela mesma pessoa, o Deus todo poderoso. Toda a criação tem suas limitações. A complexidade tem sido desvendada aos poucos. Mas, diante de tudo isso, a sabedoria humana é sobreposta pela sabedoria do Criador em proporções inimagináveis. Somos tão limitados e dependentes de Deus e isso na realidade é uma dádiva, mas, para uns, isso parece ser uma prisão.

Procure olhar em sua volta, em seu campo visual e em seu ponto de vista, você não consegue por si só, sem recurso externo, mecânico ou tecnológico, ver na frente de lado e por trás ao mesmo tempo, ou enxergar a uma distância longínqua. Tudo isso não se estende apenas no campo visual, mas no tato, no olfato, na audição, no cheiro, enfim em todos os sentidos há limitações.

O homem sempre tentou superar suas limitações, buscando vários tipos de alternativas. Os recordes batidos mostram a superação de seus próprios limites. E isso fascina as pessoas, os que quebram os recordes são aplaudidos, reconhecidos, até que outro venha a superá-los.

Vencer uma corrida, um campeonato, uma doença, qualquer coisa que seja acima de nosso limite, nos dá alegria. Quando olhamos para uma criança pequena  que dá seu primeiro passo ou que fala sua primeira palavra, isso nos deixa radiante de felicidades. Quando um filho passa em um vestibular de grande concorrência ou se nós conseguimos uma vaga de trabalho em uma importante empresa, isso também nos trás grande satisfação. São momentos importantes de superação.

Vivemos limitados e às vezes reclamamos da vida, por que não sou assim? Por que não tenho isso?

Sendo pessoas normais com visão, com braços e pernas, com ouvidos perfeitos, ainda assim, reclamamos de nossa aparência, “meu cabelo deveria ser assim, eu queria ser mais alto, meus olhos são castanhos, meu nariz é grande", etc. e etc.

Como podemos superar nossas aparentes fraquezas? Sempre que enfrentamos algo novo indagamos: "não consigo! Eu não posso!" São frases constantes.

O tempo passa e percebemos que perdemos muitas oportunidades. Poderíamos fazer muito mais superando nossas limitações.

Agora, olhe para um cego ou uma pessoa em cadeira de rodas, conversem com elas. Estas pessoas geralmente gostam de ler, de praticar esportes, gostam de sorrir. Quantos de nós não gostamos de ler? Quantos de nós não praticamos algum esporte? Quantos de nós não sorrimos?

Superação e limitação são duas palavras que complementa uma a outra, onde uma termina a outra começa. Limitações que nós não temos não são barreiras para muitas coisas que achamos que não conseguimos mesmo não tendo deficiência. Há pessoas que vivem com alegria no coração e superaram suas barreiras. Uma barreira maior que foi superada por nós e não fizemos nada para transpor essa barreira, foi o pecado.

[...] aquele homem que foi condenado a morte, no terceiro dia ressuscitou, Ele superou a morte e transferiu a todos nós a dádiva da vida eterna. Somente Deus poderia superar esta barreira. Devemos ser gratos a Ele, pois jamais poderíamos com nossas limitações receber esta dádiva.

O autor de Hebreus diz que Jesus Cristo é superior aos profetas, aos anjos, a Moisés, ao sacerdócio, superior a aliança. Ele superou todas as coisas, em Cristo podemos superar nossas fragilidades.

Em Cristo Jesus superamos nosso maior limite, a morte.

Pense nisso!
Pastor Edson Sobreira Alves

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Responsabilidades de seus atos


 Desde que o homem foi criado por Deus, ele recebeu responsabilidades como: dar nomes aos animais (Genesis 2.19), cuidar da criação de Deus e obedecer a Deus. Ele teria que ser obediente.


A obediência é a parte mais importante das responsabilidades do homem. É uma lei gravada no em seu coração corrompido. Por isso, aprendemos que devemos obedecer aos pais, aos chefes e principalmente a Deus.

Foi por causa da desobediência do primeiro homem, que entrou o pecado no mundo, desde então houve um desequilíbrio em toda a Criação. O homem foi condenado pela sua decisão e toda sua descendência sofreu as conseqüências.

Hoje os homens são totalmente cegos, corrompidos pelo pecado, burlam todas as regras e leis para terem uma vida voltada para satisfazerem seus desejos e interesses insaciáveis. A corrupção é o fator mais forte que causa a desobediência. Muitos se envolvem no sistema em que estão inseridos. É a lei do menor esforço que leva a humanidade a agir de forma errada para alimentar seus impulsos. O homem tem que obedecer às leis de trânsito, as leis do município, do estado, do país, mas em todas estas, sempre descobrem uma brecha para agirem de forma aparentemente legal, mas por trás agem no erro constante. Assim, a normalidade nesta ação leva as pessoas a estarem acostumadas a viverem no erro como se fossem certos.

Um dos maiores problemas da humanidade é que o homem não assume seus atos irresponsáveis. Ele age indiscriminadamente contra o meio em que vive e contra eles mesmos. Ele transfere para os que estão em sua volta, quer estejam nas funções de pais, ou chefes e lideres. A sociedade está transformada, longe dos padrões criados por Deus. As influências negativas são geradas de forma natural e lançadas de modo exacerbadas pelo sistema globalizado gerando necessidades incontroláveis.

A vida atribulada do cotidiano em busca do ter, trás conseqüências irreversíveis. Na correria da vida, as pessoas não param, a alimentação é irregular, o descanso é irregular, o lazer é irregular. A irresponsabilidade pelo seu próprio ser, criou um padrão sem afetividade e insensíveis a sua própria condição. Caminhando em uma estrada sem volta, o homem chega ao abismo de sua vida sem perceber que não há mais solução, se não despertarem para voltar para o criador.

O que o homem não sabe, é que todos seus atos irresponsáveis terão que ser prestado contas com a justiça terrena e impreterivelmente pela justiça divina. Paulo diz: “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas são lícitas, mas nem todas edificam.” (1 Coríntios 10:23), o autor de Eclesiastes, também diz que o jovem aproveita a vida ao máximo seguindo o seu enganoso coração, mas ele tem que saber que de tudo o que fizer e disser, um dia prestará contas a Deus. (Eclesiastes 11:9)

Quando o homem recebe Cristo, ele nasce de novo, conseqüentemente adquire uma responsabilidade maior: representar o Criador, com sua própria vida, neste mundo tenebroso. E neste momento temos que ter o cuidado de testemunhar o amor de Cristo. Seremos cobrados pelos homens e por Deus, uma vida honesta, correta de responsabilidade.

Você está cumprindo esta responsabilidade? Como são os seus atos diante dos homens e diante de Deus?

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

domingo, 9 de maio de 2010

Fidelidade incondicional ou recíproca


Em 1923, no Japão, o professor universitário em Tókio, Eisaburo Ueno, era acompanhado por seu cão chamado Hachiko, todos os dias até a estação de trem quando ia ao trabalho. O cão ficava até a partida do trem e voltava para casa. Antes da volta do dono, o cão já estava esperando-o atento na praça, exatamente às cinco horas da tarde. Em 1925, Certo dia o homem não voltou, havia falecido no trabalho. A família mudou da cidade, mas o cão não se conteve. Seguindo os trilhos ele voltou para mesma casa, encontrando outros moradores, então, ele ficou morando debaixo de vagões antigos perto da estação. Todos na região conheciam o cão e o alimentava. Quando dava a hora de seu dono ir ao trabalho, lá estava ele na estação, voltava para o velho trem e quando estava perto das cinco da tarde retornava para a estação, sentava na praça e ficava esperando seu dono voltar até tarde da noite, isso se repetiu todos os dias durante nove anos seguintes. Até que em 1934, já velho e debitado, o cão morreu deitado na praça esperando a volta de seu dono. Se você ir na cidade Shibuya no Japão encontrará na praça uma estátua de bronze do cão em seu posto, atento olhando em direção a porta da estação.

A fidelidade deste cão reflete a nossa infidelidade. Descobrimos que somos infiéis em vários sentidos. Se voltarmos ao tempo, os nossos pensamentos, vocês que são casados, procurem lembrar no dia de seu casamento. As palavras de promessas proferidas por vocês, estão sendo cumpridas? “Estaremos unidos, na alegria, na tristeza, na saúde, na doença, até que a morte nos separe”. As pessoas não dão conta do que prometem, e também não medem as conseqüências das promessas não cumpridas. Fidelidade no Antigo e no Novo Testamento tem o mesmo significado: convicção, que é manter-se firme todo o tempo, ser verdadeiro, ter a certeza de algo que há convicção, como uma coluna que é capaz de sustentar tudo, mesmo no maior abalo sísmico. É o suporte que sustenta a porta para que ela não feche com o vento.

A fidelidade do Criador é incomparável. Diante de todas as suas palavras reveladas, podemos descansar na fidelidade de suas promessas.

Em Romanos 4.19-25, o apóstolo Paulo fala sobre Abraão, que mesmo em avançada idade, não duvidou do que Deus havia prometido a ele, e isso foi imputado por justiça. Da mesma forma, Paulo fala da fidelidade de Cristo para conosco, cumprindo até o fim o Seu propósito e que a justiça foi imputada em nós, quando cremos em Cristo Jesus.

A fidelidade é reciproca e está ligada a convicção naquilo que cremos. Nosso Deus é fiel e sabemos disso, mas somos infiéis. Os cristãos deveriam buscar esta fidelidade na santidade e que esta deveria ser gradativa no crescimento, mas está havendo um decréscimo. Estamos descendo e não subindo para o alto.

Infelizmente, podemos observar claramente a falta de convicção dos cristãos em nossos dias. As pessoas estão moldadas ao mundo cotidiano de suas vidas. Não param mais para refletir naquilo que crêem, num Deus poderoso, onipotente, onisciente, onipresente. O Deus das promessas, do amor e da justiça. O Deus que pode, que em suas mãos está todo o poder. Parece que os cristãos dos nossos dias não crêem no mesmo Deus que abriu o Mar Vermelho, que derrubou as muralhas de Jericó, que venceu as batalhas com um número menor de homens em relação aos oponentes, que ressuscitou Cristo dentre os mortos. O Deus que preparou as moradas celestiais, o Deus de Abraão, de Isaque, de Jacó, de Edson, de Giovanni, de Almir, de Adassa, de George Wellck, de Lucas, de Tomé, de Marcos, de Lounsbrougt, de Sarah, de Jonathas Edwards, de Lutero, de Charles Spurgeon, de Francisco, de João, de Maria, de Joaquim, de Raimundo, enfim de todos. Ele é Deus, é o nosso Deus e é por isso, que deveremos ser fiéis.

As pessoas são infiéis porque não confiam mais em Deus como deveriam, estão buscando seus próprios esforços, quando todos os recursos racionais se esgotam imploram pela interferência de Deus. Temos que buscar o Senhor agora, e todos os dias, confiar nEle, Ele disse que haverá um dia em que não O acharão e será tarde demais.

A infidelidade reina, nos casais, nos filhos, nos amigos, nos colegas, nos cristãos, êpa! Nos cristãos? O mundo é como um buraco se abrindo na terra, como se o diâmetro deste buraco fosse crescendo a cada momento, aumentando também na velocidade, e muitos tentam se agarrar nos galhos das árvores, mas também elas são puxadas, alguns correm com grande velocidade mas, lá na frente não conseguem competir e também caem, mas no meio deste grande terreno se desmoronando existe uma rocha onde o caminho para chegar lá é muito estreito e poucos foram por ele e chegaram nela, justamente nesta rocha, todos aqueles que estavam lá foram protegidos. Teve alguns que foram por caminhos mais fáceis e até pensavam que estavam firmes na rocha, mas não estavam, eles se enganaram e também caíram Tudo isso porque não foram fiéis em suas convicções. Um dia eles disseram: “Hoje recebi Cristo como Senhor e Salvador da minha vida”. Mas não foram fiéis, nos dízimos e nas ofertas, em usar seus dons para a obra de Deus, em proclamar aos outros a salvação em Cristo Jesus, em louvar a Deus em Espírito e em verdade, em entregar seus corpos como sacrifício vivo e agradável a Deus, em fazer seu devocional diariamente alimentando-se da Palavra que é o essencial para o fortalecimento espiritual, e não oraram diariamente para manifestar sua gratidão e necessidades diante do Senhor. Então não foram fiéis, mas Deu continua fiel, Ele cumprirá o que prometeu.

Ao fiel:

“Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. “(Mateus 25.21)

Ao infiel

“E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes.” (Mateus 25.30)

Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Vivendo como filhos na dependência do pai






Podemos observar em nossos dias, que a maioria dos cristãos vivem como órfãos, ou como se o pai estivesse distante. Nossa vida como filhos de Deus teria que ser como de filhos pequenos que nunca saem dos braços e da dependência do Pai. Nunca, diante do nosso eterno Pai seremos independentes, sempre estaremos em suas mãos, em seus cuidados, em seus ensinamentos. Nunca devemos ficar longe dEle, devemos morar na mesma casa, pois, sempre estaremos buscando Suas orientações.

Mas, infelizmente vivemos como se fosse filhos abandonados, ou bastardos, como se nosso Pai fosse negligente, ausente. Pelo contrário, nosso Pai nunca nos abandona, Ele participa de todas as nossas alegrias e tristezas, nos consola em todos os momentos de nossas vidas, Ele está presente até quando estamos dormindo “...aos seus amados ele o dá enquanto dormem.”(Salmo 127:2).

O cristão dos nossos dias está muito mais preocupado com o ter do que com o ser. Desesperados com o vírus do consumismo impregnado em suas vidas, esquecem que buscando primeiro ao Pai, todas as coisas necessárias serão acrescentadas (Mt. 6:33).

É lógico que ninguém deve ficar de braços cruzados e sentados esperando tudo cair do céu. É o Pai quem nos dá a sabedoria, a força e saúde necessária para obtermos nosso sustento diário, mas quando extrapolamos em nossa busca no materialismo excedente , na moda, na luxúria, estaremos nos distanciando do Pai, e como o "filho pródigo" cairemos na malha fina da perdição, no fundo do poço e só assim, então, reconhecermos que estar na presença do Pai é incomparavelmente melhor do que em qualquer outro lugar.

Nenhum pai faria o que nosso Pai fez por nós, entregar seu próprio Filho, perfeito, obediente, sem pecado, para morrer por nós, imperfeitos, desobedientes e com pecados. O presente que Ele nos deu jamais poderemos retribuir, no entanto, Ele quer nos dar mais presentes, mais graça, várias graças, muito mais graça, e assim, devemos reconhecer nEle nossa total dependência.

Irmãos, devemos estar sempre na presença dEle, orando constantemente, lendo a Sua palavra , meditando e aplicando em nossas vidas diariamente. Quantos de nós, quando passamos por dificuldades fazemos de tudo para pedir, buscar ao Pai, nos ajoelhamos, clamamos, ficamos desesperados buscando a Sua presença, mas quando estamos bem financeiramente, com saúde, não oramos agradecendo, não nos ajoelhamos, não clamamos, não choramos de alegria diante de um Pai tão amoroso.

Devemos viver como filhos de Deus, na total dependência dEle. Pense nisso!

Pr. Edson Sobreira Alves

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Livramento para um propósito




Estava me lembrando de algumas de minhas tribulações. Certa vez, estávamos em um pequeno distrito, da cidade do Crato-Ce chamado “ Ponta da Serra”. Era um sítio muito bonito, boa parte da igreja estava lá também. Era um feriado, estávamos na beira de um grande lago. Logo após o almoço, resolvi dar um mergulho. Naquele momento não estava em forma física suficiente para realizar aquela façanha, atravessar aquele grande e extenso lago. Comecei a dar as primeiras braçadas e em poucos minutos atingi o outro lado da margem, sem sair da água voltei, tentando mostrar que naquele momento eu era um grande atleta de natação. Quando cheguei na metade do trajeto, percebi que minhas forças estavam acabando que a “bateria estava descarregando”, cada braçada era feita com grandes dificuldades, então senti que naquele momento algo poderia mudar meus anseios, meus projetos. Olhei ao longe e vi que seria muito difícil completar minha empreitada, dava três braçadas e parava, aqueles cinco minutos pareciam uma eternidade, comecei a orar a Deus, pensava em minha família, e pedia a Deus mais uma chance para continuar minha vida, não sabia os planos de Deus para comigo naquele momento, mas pensava que o propósito de Deus em minha vida não poderia simplesmente terminar ali, ainda não tinha ido para o Seminário, muito menos era pastor. Então, Deus em sua infinita misericórdia, me concedeu mais graça, me deu mais um folego, apenas para gritar em voz baixa e aparentemente com calma, mas no meu íntimo com desespero: “Pastor! Por favor me ajude”, no primeira frase, ele, um grande atleta, quem conhece pastor Welck sabe o que estou dizendo, ouviu, mas pensava que eu estava brincando, mas quando ele viu meu corpo baixando nas águas e levantando novamente e repetindo mas duas vezes a mesma frase, mergulhou e me trouxe a margem, salvo, pálido, sem um pingo de força e sem folego.

Aquilo ficou muito tempo em minha mente, então passei a entender bem o que o apóstolo Paulo quis dizer, quando falou: que viver é lucro e morrer é Cristo, que era incomparavelmente melhor estar com Cristo do que estar vivo, mas por amor a outros queria continuar vivendo. No fim de sua vida ele diz: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” 2 Timóteo 4:7.



Hoje sou formado em Teologia pelo Seminário batista do Cariri, e sou pastor a dois anos na Igreja Batista Regular Maranta – Crato- Ce. Tenho uma bela esposa e três filhos, da qual a mais velha casou-se recentemente.



Tenho procurado glorificar a nome de Deus, todos os dias em minha vida?

Pense nisso!

Pr. Edson Sobreira Alves

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O Pai procura verdadeiros adoradores



O principal propósito de Deus na criação do homem, foi fazer do homem Seu adorador. Devemos adorar a Deus, em Espírito e em Verdade, e são estes que o Pai procura (João 4:23). Mas, como sabemos se somos verdadeiros adoradores?


Primeiro quando não somos estimulados a adorar a Deus externamente. Quando dependemos de algo externo para adorar a Deus, estamos buscando algo visível e tocável. Você poderá dizer: “Espera aí pastor, nós não somos idólatras”. Estamos sendo, por vários motivos: quando brigamos se o louvor é com guitarra ou orgão, se vamos louvar com hinos ou músicas contemporâneas, se queremos um coral ou uma banda, etc. Ou quando vamos ao culto “assistir” o grupo de louvor cantar, quando este tem um grande talento. O estímulo externo nos leva a adorar a criatura e não o Criador.

Segundo, os verdadeiros adoradores são motivados internamente e expressa os louvores de adoração externamente, porque toda a adoração parte de um coração quebrantado, contrito, consciente de adorar o Deus todo-poderso, o Supremo Criador. Para que isso aconteça o adorador tem que estar constantemente em comunhão com Deus, e isso não acontece somente aos domingos, onde o adorador liga um botão para adorar no momento do culto e desliga logo que acaba o culto. As vezes só liga no momento dos louvores, se o grupo de louvor for bom, e desliga durante a mensagem. Muitas vezes entra e nem liga.

E na semana, em seu cotidiano, sua bateria está totalmente descarregada, longe de Deus, longe da adoração. O adorador tem que estar orando, lendo e meditando diariamente nas Escrituras.

O Pai busca verdadeiros adoradores, você é um deles? Pense nisso.

Pastor Edson Sobreira Alves
Igreja Batista Regular Maranata - Crato - Ce

terça-feira, 30 de março de 2010

Sabedoria dos homens, loucura para Deus

O homem quer ser deus.




Nós não temos dúvidas em relação à resposta desta pergunta: Quem criou o Universo?

O autor de Hebreus disse: “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Hebreus 11:3

Não é somente agora que homem tenta reproduzir aquilo que Deus já fez. No livro de Êxodo, no Antigo Testamento, Moisés enfrentou os cientistas da época.

Os cientistas do faraó reproduziram duas serpentes para mostrar que não era somente através de Moisés aconteceria aquele fenômeno, mas as serpentes dos sábios do faraó foram engolidas pela serpente de Moisés que antes era seu cajado. (Êxodo 7:9-12).

Os cientistas comemoram com êxito, segundo eles, a explosão das partículas de prótons no qual dizem que reproduziram uma pequena amostra do início do Universo, denominado pelos evolucionista de” Mini-Big Bang”. Na alegria, que contagiou o ego de todos os presentes, eles começaram um pequeno mundo, no qual a partir dai poderão desvendar todo o mistério que envolve o Universo e assim chegarão a origem da humanidade, e segundo eles isso será de grande benefício para toda a humanidade.

Todo esta concentração, exigiu anos de pesquisas e gastos absurdos. Neste projeto foram gastos até agora 10 bilhões de dólares iniciais e mais 40 milhões de dólares somente para reparos de alguns defeitos.

O resultado de tudo isso é que agora eles poderão investigar com um pouco menos de dificuldade, talvez poderá ajudar na descoberta da formação das galáxias, das estrelas, do sistema solar e até poderá entender a nossa origem, segundo eles.

É interessante que Deus falando através de Paulo em sua epístola aos Coríntios disse: “ Pois está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos instruídos. Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde, o inquiridor deste século? Porventura, não tornou Deus louca a sabedoria do mundo? Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação. (I Coríntios 1: 19-21).

Onde iremos parar? Que o nosso Deus seja glorificado como o Criador e Senhor do Universo e de toda a criação.

Pr. Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular Maranata – Crato - Ce




terça-feira, 23 de março de 2010

Onde foi parar o tempo?

Primeiro quero perguntar: o que é o tempo para você?
O aurélio diz que o tempo é a sucessão de anos, dias, horas, etc., que envolve a noção de presente, passado e futuro. Momento ou ocasião apropriada para que uma coisa se realize: não teve tempo para visitar-me.
Salomão usa em Eclesiastes a mesma palavra traduzida por “tempo”, 30 vezes em 13 versículos.
A palavra no original tem o sentido de uma existência contínua.
Em Eclesiastes 8:6 ele fala que todo o propósito de Deus, que está baseado no Seu amor e na Sua justiça, está dentro do uso do tempo concedido ao homem pelo Criador e o homem tem que saber a maneira correta de usá-lo bem, pois será para sua benção ou maldição.
É justamente no tempo determinado por Deus ao homem que se cumprirá todo Seu propósito, o tempo do povo escolhido, o tempo do povo cativo, o tempo da libertação, o tempo do Nascimento de Cristo que foi a “Plenitude do Tempo”, o tempo do arrebatamento, o tempo de milênio. Depois disto não haverá mais tempo, será a Eternidade.
Em Genesis 6:3 Deus diz a Noé que o homem terá 120 anos até a grande destruição no dilúvio.
O tempo do homem está relacionado ao propósito de Deus para com o homem. Deus não se limita ao tempo do homem, mas ele limitou o homem ao tempo para haver um crescimento de consciência àqueles que recebem seu Espirito em seu novo nascimento.
Quando Cristo se refere ao tempo da tribulação e de sua vinda, Ele usa “Kairos” que significa medida exata, fixo e definido, a crise esperada na época decisiva, o tempo oportuno.
O tempo tem sido um dos principais questionamentos em nossa vida aqui na terra.
As expressões: “o tempo voa”, “não tenho tempo”, “perdi tempo”, “ganhei tempo”, tem feito parte da vida do ser humano.

Por que nos preocupamos tanto com o tempo?

Sabemos que nosso tempo de vida é muito pouco em relação a eternidade, por isso cientistas tem tentado prolongar o tempo de vida da humanidade.
A expectativa de vida em muitos países tem aumentado nos últimos anos. E o crescimento demográfico tem crescido. Isso tem melhorado, quanto ao uso deste tempo prolongado a humanidade? Pelo contrário, paralelo a isso, o homem tem se tornado mais violento e confuso em seus valores. O prolongamento do tempo de vida não tem melhorado a forma de tratamento de uns para com os outros. Hoje o homem é mais egoista, avarento, orgulhoso, arrogante, blasfemador, desobediente aos pais, ingratos e irreverentes. 2 Timóteo 3:2. A disputa de espaço físico tem levado as pessoas a agirem de forma agressiva em muito situações de suas vidas, disputa por cargos, brigas no trânsito e pelo poder.
A disputa por um “lugar ao sol” tem levado pessoas a gastar tempo em futilidades, preenchendo suas mentes com muitas informações que os levam a destruição. A internet e a TV, quando mal usada na maioria das vezes, tem minado o tempo de muitas pessoas que não sabem usar o tempo que Deus tem lhes dado. As prioridades não são nem relacionadas e muito menos seguidas. As coisas simples que leva a harmonia entre a vida e o tempo em que se refere ao comportamento e tratamento, simplesmente não existem no vocabulário das mentes cauterizadas.
Se nós observarmos a vida de um cachorro, quando ele vive entre 10 e 20 anos, ele realizou tudo o que deveria ter feito em sua vida. Ele talvez tenha criado seus filhotes, enterrado ossos, protegido seu dono.
Se um homem vive 70 ou 80 anos não consegue realizar tudo o que é capaz de fazer. Se você olha para um carro amassado, você sabe que ele não esta em seu estado original, da mesma forma é o homem, ele foi danificado, e não está em seu estado original. O pecado tirou a expectativa eterna de vida, e toda a capacidade de realições do homem. É por esse motivo que o homem busca aproveitar o máximo do tempo em que vive, mas muitas vezes de forma errada. Mesmo aqueles que nasceram de novo não conseguem remir o tempo adequadamente, pois estão envolvidos no tempo do mundo, em um sistema que os fazem atrasar o seu modo de vida. As pessoas correm atrás do tempo.
Você pode dizer: “Eu tenho que estudar, pois o tempo voa, e quem não estuda fica para trás, eu tenho que trabalhar muito, pois quem não trabalha fica para trás.” Não digo que estudar e trabalhar seja errado, mas tem pessoas que dão tanta enfase a uma ou outra e esquecem dos valores eternos. Diante de toda esta expectativa e correria, as prioridades de valores importantes que melhoram os relacionamentos, ficam para trás.
Hoje se falamos “bom dia” para alguém já é o bastante. Famílias são dividas pelo cotidiano da vida. Eu posso dizer:“Vamos marcar um almoço juntos, para conversarmos?” então o outro responde: “Infelizmente não tenho tempo agora, depois eu marcarei, um dia...”. As pessoas estão ocupadas com seu próprio “eu”, essa mesma pessoa que respondeu negativamente ao convite, consegue ficar quatro horas fixado na TV ou na internet, perdendo toda a comunhão do amigo, parente ou irmão em Cristo.
Não somente no mundo, mas também no meio cristão não há prioridades dos homens relacionadas a renovação de suas mentes. Não há tempo para contemplar a criação, como o pôr ou nascer do sól, para visitar um irmão, não há tempo para orar juntos ou mesmo só, não há tempo para ler e meditar nas Escrituras.
Você tem colocado em sua vida as prioridades que o faz remir o tempo? Você tem aproveitando corretamente o tempo que Deus tem lhe concedido? Você tem orado com seu conjuge? Você tem feito o devocional familiar, pelo menos uma vez na semana? Você tem usado o tempo com seu dom na igreja local em que você está inserido?
Não tenho tempo, o tempo voa, tenho que gastar o tempo comigo, não tenho tempo para Deus.
Onde foi parar o tempo?
Encontre-o, ele não está perdido, você é que não está enxergando.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Refletindo o presente olhando o passado

Sabe de uma coisa irmãos e amigos, voltando meus pensamentos ao passado e refletindo no presente, chego a conclusão que tenho muito que agradecer ao nosso maravilhoso Deus. Talvez vocês tenham passado as mesmas aflições que passei na infância e adolescência. A experiência de como eu passei em minha vida, agora posso ver que nosso Senhor preparou tudo de uma forma tão maravilhosa para eu ser quem sou agora, em relação ao contentamento e amor pela Palavra. Sou muito grato ao nosso Senhor Jesus Cristo, pela posição em que Ele me colocou neste presente, jamais imaginava um dia ser pastor até minha conversão há dezesseis anos, já o sou a um ano e meio. Muitos buscam muitas coisas na vida, baseadas em algo que se pode ver ou tocar. Mas Deus me fez refletir em algo de valor incomparável e muito mais importante do qualquer bem material precioso no mundo. Ele realmente me tirou do lamaçal. Lembro que quando pequeno aos cinco anos, houve uma grande enchente na cidade de São Paulo. Nossa casa inundou totalmente, subiu quase um metro de água dentro dos cômodos, então isto nos levou a morar em outra casa que foi construída as pressas, a casa era feita de tábuas, e foi ali que passei parte de minha infância e inicio da adolescência. Doença, mudança de estado, separação dos pais. Veja bem, não estou dizendo que para mim tenha sido um terror, pois sabia em meu intimo, que um dia tudo melhoraria. Como alguns que contam histórias de que venceram em suas vidas, de como eram pobres e agora são ricos, posso dizer o mesmo de forma diferente. Uma coisa importante na vida de uma pessoa é colocar os valores na ordem certa, primeiro vem Deus e os outros valores são acrescentados. Hoje, não sou  um milionário de bens, com carros, casas e apartamento e este é o conceito do mundo para um homem bem sucedido. Mas posso dizer, sim, que sou um milionário, pois sou filho de Deus.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

trabalho gratificante- pregador

Hoje, refletindo sobre minha função de pregador da Palavra de Deus, tenho visto o quanto é gratificante e maravilhoso fazer parte da equipe de Deus espalhando por todo mundo uma só fé e um só propósito, outrora fui executivo, trabalhei muito para satisfazer os interesses de empresários que ganhavam rios de dinheiro, agora faço parte da vontade de Deus, ganhando um valor maior do que as riquezas da terra. Estou juntando tesouros no céu e isso não tem preço, poder ver vidas transformadas pelo Evangelho pregado é algo fabuloso, indescritível. Falar sobre o Evangelho de Cristo Jesus, que veio ao mundo por amor a nós e se entregou como sacrifício único e definitivo para nos resgatar da maldição eterna do lago de fogo. Louvo ao meu Deus por ter me escolhido para espalhar as boas-novas. Não existe nenhuma função mais digna e sublime do que ser um ministro da Palavra, ser moldado pelo próprio Deus para fazer a sua obra através de nossas vidas...

sábado, 6 de fevereiro de 2010

O amor sobressai em tudo

O mundo está distorcido, fora do controle dos homens, está um caos. Tudo isso tem uma explicação plausível, satisfatória. O motivo de tudo isso é o pecado. Tem muita gente que acha que o pecado não existe. É justamente o pecado que separa a criação do Criador,  separa os homens de Deus . Todos os povos de todo o mundo,inicialmente estão separados do seu Criador, Deus. E a única forma de reverter este quadro caótico será através do amor. O amor Ágape, o amor incondicional, sacrificial. Foi em nome deste amor que Deus enviou seu Filho Jesus, para salvar a humanidade.Para tirar o pecado do mundo, e salvar do eterno inferno, cada um que reconhecer Cristo Jesus como Senhor e Salvador de sua vida. O amor dEle foi incondicional, Ele não esperou que tornássemos bons, para enviar Jesus, Ele O enviou, mesmo ainda sendo nós pecadores, Ele morreu por nós e este foi o amor sacrificial. O amor de Jesus é o amor de Deus, Jesus é Deus e Deus não somente tem amor, Ele é  o próprio amor. Temos que fazer o mesmo uns para com os outros, amar a todos incondicionalmente.Falar deste amor para outros. O amor não é somente feito por palavras mas principalmente por atitudes, ame seu próximo como você mesmo,também ame a Deus acima de tudo. Sabemos que nós realmente não conseguiremos transfomar  todo o mundo em lugar melhor, mas onde você e eu estiver com este amor, o mundo será transformado. Pense nisso...!

Pastor Edson Sobreira
Igreja Batista Regular Maranata - Crato - CE