quarta-feira, 21 de abril de 2010

Livramento para um propósito




Estava me lembrando de algumas de minhas tribulações. Certa vez, estávamos em um pequeno distrito, da cidade do Crato-Ce chamado “ Ponta da Serra”. Era um sítio muito bonito, boa parte da igreja estava lá também. Era um feriado, estávamos na beira de um grande lago. Logo após o almoço, resolvi dar um mergulho. Naquele momento não estava em forma física suficiente para realizar aquela façanha, atravessar aquele grande e extenso lago. Comecei a dar as primeiras braçadas e em poucos minutos atingi o outro lado da margem, sem sair da água voltei, tentando mostrar que naquele momento eu era um grande atleta de natação. Quando cheguei na metade do trajeto, percebi que minhas forças estavam acabando que a “bateria estava descarregando”, cada braçada era feita com grandes dificuldades, então senti que naquele momento algo poderia mudar meus anseios, meus projetos. Olhei ao longe e vi que seria muito difícil completar minha empreitada, dava três braçadas e parava, aqueles cinco minutos pareciam uma eternidade, comecei a orar a Deus, pensava em minha família, e pedia a Deus mais uma chance para continuar minha vida, não sabia os planos de Deus para comigo naquele momento, mas pensava que o propósito de Deus em minha vida não poderia simplesmente terminar ali, ainda não tinha ido para o Seminário, muito menos era pastor. Então, Deus em sua infinita misericórdia, me concedeu mais graça, me deu mais um folego, apenas para gritar em voz baixa e aparentemente com calma, mas no meu íntimo com desespero: “Pastor! Por favor me ajude”, no primeira frase, ele, um grande atleta, quem conhece pastor Welck sabe o que estou dizendo, ouviu, mas pensava que eu estava brincando, mas quando ele viu meu corpo baixando nas águas e levantando novamente e repetindo mas duas vezes a mesma frase, mergulhou e me trouxe a margem, salvo, pálido, sem um pingo de força e sem folego.

Aquilo ficou muito tempo em minha mente, então passei a entender bem o que o apóstolo Paulo quis dizer, quando falou: que viver é lucro e morrer é Cristo, que era incomparavelmente melhor estar com Cristo do que estar vivo, mas por amor a outros queria continuar vivendo. No fim de sua vida ele diz: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” 2 Timóteo 4:7.



Hoje sou formado em Teologia pelo Seminário batista do Cariri, e sou pastor a dois anos na Igreja Batista Regular Maranta – Crato- Ce. Tenho uma bela esposa e três filhos, da qual a mais velha casou-se recentemente.



Tenho procurado glorificar a nome de Deus, todos os dias em minha vida?

Pense nisso!

Pr. Edson Sobreira Alves

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O Pai procura verdadeiros adoradores



O principal propósito de Deus na criação do homem, foi fazer do homem Seu adorador. Devemos adorar a Deus, em Espírito e em Verdade, e são estes que o Pai procura (João 4:23). Mas, como sabemos se somos verdadeiros adoradores?


Primeiro quando não somos estimulados a adorar a Deus externamente. Quando dependemos de algo externo para adorar a Deus, estamos buscando algo visível e tocável. Você poderá dizer: “Espera aí pastor, nós não somos idólatras”. Estamos sendo, por vários motivos: quando brigamos se o louvor é com guitarra ou orgão, se vamos louvar com hinos ou músicas contemporâneas, se queremos um coral ou uma banda, etc. Ou quando vamos ao culto “assistir” o grupo de louvor cantar, quando este tem um grande talento. O estímulo externo nos leva a adorar a criatura e não o Criador.

Segundo, os verdadeiros adoradores são motivados internamente e expressa os louvores de adoração externamente, porque toda a adoração parte de um coração quebrantado, contrito, consciente de adorar o Deus todo-poderso, o Supremo Criador. Para que isso aconteça o adorador tem que estar constantemente em comunhão com Deus, e isso não acontece somente aos domingos, onde o adorador liga um botão para adorar no momento do culto e desliga logo que acaba o culto. As vezes só liga no momento dos louvores, se o grupo de louvor for bom, e desliga durante a mensagem. Muitas vezes entra e nem liga.

E na semana, em seu cotidiano, sua bateria está totalmente descarregada, longe de Deus, longe da adoração. O adorador tem que estar orando, lendo e meditando diariamente nas Escrituras.

O Pai busca verdadeiros adoradores, você é um deles? Pense nisso.

Pastor Edson Sobreira Alves
Igreja Batista Regular Maranata - Crato - Ce