quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

EDIFICANDO CONFORME AS INSTRUÇÕES DO MESTRE



Homem sensato é o que constrói sua casa sobre a rocha.
 

A humanidade foi sempre fascinada por construções. Existem construções que atravessaram milênios e outras que ruem antes mesmo de serem concluídas. Cada vez mais, o homem quer construir edificações maiores e mais altas possíveis.

Cristo finalizando seu “Sermão do Monte” faz uma analogia com dois tipos de construções (Mateus 7:24-27).

São dois alicerces que definirão o futuro daquelas construções.

Primeiro observamos a edificação sobre a rocha que significa a construção da vida de um homem baseado na confiança em Jesus Cristo, pois foi Ele quem fez todas as coisas existentes no universo, incluindo o próprio universo e sem Ele nada que se foi feito existiria (Jo 1:3).

Mesmo sendo o Criador, Jesus também é o homem perfeito e tudo que ele fala é precioso para construção da vida humana.

A edificação de nossa vida não consiste somente em ouvir os ensinamentos do mestre, mas também consiste em aplicar toda Sua teoria na prática. Enfrentando obstáculos e desafios intensos que aparentemente irão nos vencer.

Seria como uma disciplina de um atleta para enfrentar uma corrida ou de um soldado para enfrentar uma batalha. A diferença é que tanto o atleta quanto o soldado tem suas disciplinas especificas por um período de sua história. Já a disciplina do cristão tem que ser constante durante toda sua vida após o novo nascimento.

Toda a ação daquilo que é correto em nossa vida moldará toda a estrutura do nosso futuro.

A lei das causas e efeitos é clara e foi instituída por Deus, veja o que o apóstolo Paulo escreve aos gálatas:Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna”. Gálatas 6:8

Nesta caminhada seremos fortalecidos como um filho é alimentado pela mãe no inicio de sua vida.

Contudo, seremos capacitados a conseguirmos ter uma visão correta daquilo que é necessário para uma vida bem sucedida.

 

O mundo busca valores, aos seus próprios olhos, que compõem esta construção para objetivar um grande sucesso. No entanto, cada ser humano jamais encontrará o material correto para que esta construção obtenha êxito se for fora das instruções e dos padrões do grande engenheiro, o Senhor Jesus.

Ele nos ensina e nos mostra quais são os melhores materiais para o grande projeto de edificação, e o mais interessante é que ele providencia gratuitamente cada material. Foi Ele quem os fez e os guarda em suas mãos.

 

O mais incrível e incontestável é que essa analogia se torna verdadeira no sentido da segurança e eficácia, Ele se faz o próprio material. Ele é a rocha.

A rocha, como base, significa a intimidade que poderemos ter com o Criador, fortalecendo assim a nossa vida cristã, como filhos dEle.

A rocha também representa a força de um ser esplendido, fascinante e completo que é digno de toda confiança, de toda a honra, que nos proporciona uma felicidade constante.

Então, Ele vem e se torna a própria fundação, o próprio alicerce, a pedra angular, a pedra de esquina.

Enquanto estamos construindo sobre esta base, consequentemente estaremos usando o próprio Cristo como alicerce profundo. Ele se torna disponível, sempre presente em todos os momentos que precisamos dele.

Esta base é sólida, inabalável e inconfundível. Pois, mesmo se pegássemos o material mais sólido existente neste universo ainda assim não chegaríamos à qualidade inigualável da resistência da rocha que é Cristo.

Ao recebermos o Senhor Jesus como Senhor e Salvador de nossas vidas, isso, claro, acontece em um momento mais sublime na vida de uma pessoa em qualquer tempo ou lugar, independente de sua religião ou crença, independente do sexo, raça ou posição social. O próprio Deus toca no coração do homem e ele revive espiritualmente. Então há um novo nascimento e somos convidados a ter uma nova vida, uma vida plena. Vida essa que modifica o nosso ser. Assim, conseguimos enxergar muito mais além de nossa limitada visão física. Podemos ver cada uma de sua criação com os nossos olhos físicos e não somente ver o que é visível, mas enxergar o que está por trás de tudo isso: a ação do Criador.

 

Iniciamos essa construção com êxito indiscutível, pois os resultados estão garantidos na eternidade, damos o primeiro passo, já temos o terreno adequado, um terreno firme, uma rocha inabalável onde se colocam os primeiros tijolos na pedra angular, a pedra de esquina que vai direcionar toda a edificação. Essa construção é somente um protótipo da mansão celestial que Cristo está preparando para cada um de nós (Jo 14:2).

Quando, enfim, podemos enxergar a eternidade e as promessas que Deus preparou para homem que nasceu de novo e está construindo sua morada eterna em Cristo, conseguimos viver uma vida plena mesmo diante das tribulações.

Ao mesmo tempo em que ouvimos suas instruções e fazemos de acordo como ele nos ensina, podemos sentir uma grande diferença em nossa vida, pois, passamos, a saber, e crer que suas instruções escritas, em sua magnitude, na Bíblia, dos quais os sessenta e seis livros compilados sobrenaturalmente inspirados pelo próprio Criador naqueles que foram escolhidos para escrevê-los. É justamente nesta biblioteca do Criador onde Ele nos dá todas as direções necessárias para nossa construção.

 

Cada medida, cada quantidade, cada tonalidade, intensidade, que compõem todo o material necessário para o empreendimento é usado com exatidão e presteza.  Seria como uma grande confeiteira dos manjares de um grande rei, que usando cada ingrediente com a melhor qualidade e misturando os itens nas quantidades corretas e levando ao fogo brando e intenso quando necessário, finalmente resulta em um delicioso bolo com cobertura e recheio incontestável e incomparável ao seu sabor.

A firmeza da rocha e a construção bem rígida na medida e quantidade certa pela a ação da aplicação daquilo que se ouve do mestre transforma a vida do individuo produtiva e resultam em grandes júbilos.

Certamente, esta edificação será testada de uma forma muito intensa.  A própria natureza cuida disso, os ventos e as tempestades irão cair como nunca. Serão dias terríveis, mas após todos os recursos usados contra a edificação e por termos a garantia das promessas de Deus, veremos que realmente ela continuará intacta.

 

Ficaremos abismados com os resultados, jamais vimos algo tão fantástico, um teste como este nenhuma outra edificação resistiria, nem as muralhas da China, ou as pirâmides do Egito. Qualquer estudante de engenharia civil ou arquitetura requisitaria um mestrado e um doutorado cujo professor é Cristo.

Como cristãos devemos entender que o nosso processo de santificação depende única e exclusivamente de aplicar todos os conhecimentos adquiridos pelas mensagens do Senhor Jesus nas Escrituras com a ajuda do próprio Espírito do Criador.

Não somos construtores, engenheiros, arquitetos ou mesmos confeiteiros, mas sabemos que se não usarmos tudo aquilo que o Criador nos ensina para obedecermos a sua Palavra e confiarmos em suas promessas seremos como o homem imprudente que construiu sua casa na areia (Mateus 7:26, 27).

Quantos de nós fazemos as coisas de qualquer jeito.

Estudamos de forma relapsa, trabalhamos acima do normal, comemos mal, não exercitamos nosso corpo, vivemos para o nosso próprio “eu” e ainda tratamos o próximo de forma bruta.

O homem em geral não escolhe uma base sólida para edificar sua vida.

Confia nele mesmo ou nalguma outra pessoa que aos seus olhos pareça perfeito. Um padrão para ser seguido, mas que seja contemporâneo e não seja Jesus Cristo.

Pode ser grande “guru” com receitas prontas, mas por detrás um charlatão que comprou seu diploma universitário e ilude seus ouvintes com piadas mirabolantes e vocabulário difíceis. Ou um “religioso” que trás soluções eficazes nas áreas financeiras e saúde, mesmo com poucas palavras que se torna um bordão que retrata a falta de atenção de seus ouvintes.

Visualizando seu sucesso rápido e promissor, sonha com uma posição no pódio das celebridades. Então, procura o caminho mais fácil e mais curto, e caem no pragmatismo absoluto.

O hedonismo toma conta de seu ser, e todas as teorias humanas os colocam na posição ideal vista por uma multidão socialmente “correta” aos padrões do: “tudo é relativo”, e acabam os seus próprios interesses no individualismo tentando sugar o máximo uns dos outros.

Um jeitinho, aqui e ali, com a ajuda de “amigos” influentes e alguns “políticos” corruptos conseguirão queimar várias etapas no processo de crescimento correto e gradativo.

A sabedoria humana é traiçoeira e limitada nas vãs filosofias de histórias incoerentes sustentadas pela tradição e culturas modificadas ao longo do tempo.

Quando alguém confia categoricamente em uma verdade relativa não estará segura em seus resultados ou objetivos. Pois não há verdade na teoria da relatividade. Pois, só existem verdades absolutas nos princípios dos oráculos do Senhor Deus, o Criador.

Assim, ele navegará em um mar obscuro com grandes vendavais e possíveis naufrágios seguidos do extermínio do seu próprio ser.

Um jovem em seu próprio ímpeto de conhecer o desconhecido embarca em uma nuvem de informações baseadas em teorias infundadas, recebidas pela tecnologia de comunicação mais volátil dos últimos tempos, principalmente para influenciar mentes vazias em busca de algo fácil sem muito esforço. Além disso, eles são radicais e corajosos apostando em um resultado de fama e poder, quando acham que conseguem: ser conhecidos e aplaudidos por uma multidão egoísta que quer estar no lugar dele um dia.

Nesta construção feita em terreno arenoso onde não havia nenhuma parte sólida e com todo tipo de material e feita com rapidez e logo estarão no auge do topo da vida. Mas quando esta construção for testada com a própria natureza, vem o vento e tempestade e leva toda a edificação em sua enxurrada resultando em fragmentos destroçados, retorcidos e sem o mínimo de restauração, indo no lixo da perdição.

 

Uma vida sem Cristo não há base para um crescimento correto da função do homem, que glorificar o Criador com sua própria vida.

 

O homem não tem noção em que alicerce está construindo sua vida se não for tocado pelo Criador.

Somente o Senhor Jesus pode te salvar.

 

Pense Nisto!

Pr. Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa – PB

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

RESGATANDO VERDADEIROS ADORADORES

Qual é a função principal da igreja do Senhor Jesus Cristo?

Muitos irão responder: evangelizar, ter comunhão, missão, fazê-la crescer numericamente e espiritualmente, etc. Contudo a função principal da igreja é resgatar adoradores para um Deus verdadeiro, vivo. Ele nos fez para adorá-Lo e perdemos essa visão quando caímos no pecado. Uma vez salvos, voltaremos a adorá-Lo. Há muitos programas de evangelismos e missões nas igrejas, mas a principal visão da maioria é enchê-las de pessoas para unidas se sentirem felizes em um grupo seleto e fechado sem um entendimento real do propósito de Deus.

Lembro-me de um filme muito bom que assisti, quando um evangelista moderno sai com o outro que é conservador para evangelizar. Ao chegar na casa de uma família, o evangelista moderno mostra todas as opções de lazer que igreja oferece, então a esposa diz ao marido: “olha estes dias dá pra você ir à igreja, tem basquete!” O evangelista conservador não entende o propósito daquela igreja.

O apóstolo João é claro quando expressa a vontade do Criador em relação à adoração, ele diz: Mas vem a hora e já chegou em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores (João 4:23).

A grande comissão é um imperativo para todos nós, ela nos fala diretamente que devemos “fazer discípulos”. Fazer discípulos é ensinar àqueles que aceitam o chamado e compreendem que o pagamento dos pecados feito por Cristo Jesus é a porta para a salvação, e assim adorá-Lo em Espírito e em Verdade.

 Não há verdadeira adoração se o adorador não estiver na condição de “nascido de novo” conforme o próprio Jesus Cristo falou para Nicodemos: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3:3). Não adianta muitas pessoas estarem dentro da igreja, pulando, dançando, assistindo um culto, sem compreenderem que devem estar prestando um culto ao Senhor e não buscando um entretenimento.  Por outro lado, não quero dizer que adorar a Deus não deve dar prazer ao adorador, pelo contrario, é gratificante louvar ao Senhor não somente com nossas vozes, mas com nossas vidas.

A função da igreja é buscar adoradores para Deus, é fazer verdadeiros discípulos. Não é ficar em um grupo fechado dentro de uma igreja como um clube, onde irá inchar, mas, sim, deverá aprofundar no verdadeiro propósito. Quantos estão perdidos neste mundo sem ouvir o Evangelho, enquanto estamos de braços cruzados e bem aconchegados em nossas igrejas?

As igrejas tem que sair das quatro paredes, tem movimentar no evangelismo, na missão.  Quero dar um testemunho, não para a glória dos homens, mas para a glória de Deus.  Nossa igreja sai mensamente (ainda é pouco) em dois carros com dez pessoas aos todo, percorremos quase 800 (oitocentos) quilômetros, ida e volta para fazer um trabalho com crianças e um culto à noite com todos que poderem vir. Saímos da capital às 4:00 horas da manhã no sábado e passamos o dia fazendo este trabalho em uma cidade do interior com 32.000 habitantes, que precisam serem resgatados para aprenderem o que é ser um verdadeiro adorador do Criador. Ficamos até nove horas da noite e no outro dia bem cedo votamos a casa, percorremos 10:00 horas de viagem ida e volta.  Ainda chegamos para escola dominical em nossa igreja, sem ficar cansados.  No último sábado foi gratificante, tivemos 23 visitantes no local em que fazemos o culto. 

Ore por nós, precisamos resgatar verdadeiros adoradores.



Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

CRISE EXISTENCIAL – UM VAZIO PARA SER PREENCHIDO

Falta algo em você que não consegue entender? Existe um vazio?

Quando pensamos em preencher um vazio, algo que completa um espaço, como um copo vazio que é preenchido por água, uma bola de borracha que é preenchido por ar ou uma sala cheia de cadeiras que será preenchida por pessoas. Estes três objetos sem seus respectivos conteúdos não são funcionais. Se não forem utilizados para o que foram feitos se tornarão inúteis e perderão seus valores.

O ser humano, inicialmente, foi feito cheio, completo, mas agora precisa ser preenchido! Entretanto, por mais que ele procure preencher esse vazio, ele fica frustrado e nunca atinge essa satisfação. Contudo, procura preencher de diversas formas. Primeiro, com coisas materiais, para isso há necessidade do papel-moeda, do “Money”, dinheiro. Então como dinheiro é difícil, ele procurou uma saída paliativa, e encontrou o famoso dinheiro de plástico, o cartão de crédito, se pelo menos usassem o cartão de débito seria menos prejudicial. Mas, para usar cartão de crédito só é necessário, pelo menos, ter dinheiro no vencimento, no entanto, muitas pessoas ignoram este principio e acumulam um problema ainda maior. As pessoas compram! Compram! Compram. Adquire qualquer coisa como roupas, joias, carros, casas, viagem, silicone, menos rugas, etc., finalmente chegam à conclusão de que continuam com o vazio, mas sempre tentam novamente. Muitos até casam (casamento-instituído por Deus, homem e mulher) para preencher o vazio, e até tem filhos para suprir essa necessidade. Estudam muito, alguns trabalham o dobro, outros nem tanto. Alguns ganham rios de dinheiro que compra “tudo”, mas nada consegue atingir o objetivo. Outros acham que precisam de status e tudo fazem para serem conhecidos, os que não têm dinheiro querem aparecer no “Face book” e fazem todo o seu Marketing esperando a honras do “curtir” e “compartilhar”, estes já receberam seu galardão (Mateus 6:5), outros almejam ser políticos e até ganham muito dinheiro e status, mas agem com hipocrisia apertando a mão de todos. Mas nenhum destes consegue preencher o vazio. Alguns saem de seu estado natural e vão viver com os outros do mesmo sexo (Romanos 1:26, 27). Fazem passeatas, desfiles querem ser notados e defende uma causa insana, um lugar na sociedade, mas depois, tarde demais, em sua velhice, descobrem que não conseguiram preencher o vazio. Muita gente, crianças, jovens e adultos buscam preencher o vazio nas drogas, entram em um ciclo vicioso que dificilmente sairão. As pesquisas mostram um alto índice de seu destino final, a morte.

Depois de tantas tentativas, cada um deles pergunta: “Por que nasci?” “Por que existo?” “Para onde vou”? O que acontece após a morte? Existe vida após a morte? E por que tenho esse corpo? Somos também espírito? Pra onde o espírito vai?

A crise existencial atinge todo o ser humano até o momento que é tocado pelo Criador. Apesar de tão inteligentes desprezam algo que é tão claro e tão perto em suas vidas.  Lutam por suas vidas somente direcionadas no físico, mas esquecem de que a vida é mais espiritual.

Ficamos tristes e perguntamos por que tanta gente não entende.

Fomos feitos para adorar o Criador e quando voltamos a reconhecer isso estaremos completos.

Como o pecado obscureceu a mente humana e passaram a adorar a própria criatura, achando como deuses alimentaram o egoísmo crescente o maior fermento do vazio no interior do homem. Paulo é claro afirmando isso em Romanos 1:25: “pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!”.

Fomos criados, somos descendentes do primeiro homem (anthropos) e da primeira mulher.



Se você não acredita então ainda continua ignorância, pois ainda não sabe da comprovação cientifica que testificou que toda raça humana provem de um único óvulo. Gênesis 5:4 diz “Depois que gerou a Sete, viveu Adão oitocentos anos; e teve filhos e filhas”.

Recebemos o folego da vida. O Criador soprou em nossas narinas. O corpo foi feito. Em Gênesis 2:7 Moisés registrou: “Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”. Realmente somos formados das substancias da terra.

O homem foi incumbido de povoar a terra cuidar e dominá-la. Gênesis 1:28 fala sobre isso: “E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo que rasteja pela terra.”.

Fomos feitos a imagem e semelhança do Criador. E então, por que sentimos um vazio?

O vazio que o homem sente é o contrário do que não existia no filho de Deus que habitou entre nós. O Apóstolo Paulo em sua carta aos Filipenses 2:7 usa a palavra grega “Kenosis” que foi traduzida para “esvaziou-se”. O primeiro homem, Adão, perdeu aquilo que era mais precioso no homem à salvação, se é que podemos dizer assim, o homem não precisava de salvação, pois até então não havia nenhuma punição, nenhuma transgressão. Mas numa atitude de desobediência ao Criador ele se esvaziou, perdeu todos os privilégios, vida eterna... desde então busca preencher este vazio a todo custo. Por outro lado, o Senhor Jesus, o segundo Adão, embora Ele sendo o Cristo e tendo todos os direitos, privilégios e honras da divindade – dos quais era Ele digno e nunca poderia ser destituído deles. Sua atitude não foi de apegar aquelas coisas ou à sua posição, mas a de estar disposto a abdicar delas por um período (Filipenses 2:5-8). Então, por causa do pecado. Nosso vazio só é preenchido por Deus. O Senhor Jesus Cristo é a única solução que preenche o vazio existencial do homem que foi perdido, esvaziado com sua queda no jardim do Éden. Perdeu a eternidade, envelheceu e morreu, perdeu a comunhão com Deus, o trabalho emocionante, satisfatório de cuidar da criação de Deus, sem dor, sem raiva, sem angustia, sem inveja, orgulho e sofrimento.

Não havia mais solução para o homem, jamais poderia suprir o vazio adquirido pela desobediência, mas pela misericórdia de Deus, Ele providenciou Seu Filho Unigênito como propiciação para o pecado do homem. Para isso, Ele se deu, sendo Deus tornou-se homem, sendo mestre, tornou-se servo, sendo Rei tornou-se súdito, mas seu nome será glorificado por todas as nações.

Um homem e uma mulher juntos se completam física e emocionalmente, foi assim que Deus os criou, mas espiritualmente eles são vazios se não tiverem Deus em suas vidas.

Aqueles que reconheceram o pagamento da conta do pecado que tinham e não poderiam pagar sozinho, e que Cristo fez na cruz para pagar estes pecados, assim, Ele se tornando também nosso Senhor, pois comprou-nos por um precioso preço.  Esses que pela misericórdia de Deus entendem tudo isso são convidados a encher suas vidas do santo Espírito de Deus e assim nunca mais se sentirem vazios.

Você é convidado a preencher este vazio. Você quer?

Pense nisto!

Pr. Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB





                                                                                                                                                                

sexta-feira, 27 de julho de 2012

A INSENSIBILIDADE OBSCURECE CORAÇÃO DA HUMANIDADE OS DEIXAM IGNORANTES NO CONHECIMENTO DE DEUS

Grande é a graça do nosso Deus para conosco. Sentimos paz que vem de Deus e isso é maravilhoso demais!

 Por vivemos em um mundo de aparências, onde a realidade é maquiada, escondida, onde a corrupção tornou-se algo banal.  Os valores foram trocados e podemos sentir as influencias negativas em nosso ser desde que ainda não nos tornamos insensíveis.  Um médico cirurgião de larga experiência conversa com um paciente terminal com uma naturalidade extrema, mesmo em meio à dor do mesmo ou de seus parentes, claro que isso não significa que ele é carrasco e desumano, mas, é que de tanto ele presenciar este quadro ele tornou-se insensível. Temos de ter cuidado com o pecado, de tanto vermos e o pior, de tanto praticarmos poderemos nos tornar também insensíveis.

Vejamos o que o profeta Isaías diz a respeito disso: “Torna insensível o coração deste povo, enderece-lhe os ouvidos e fecha-lhe os olhos, para que não venha ele a ver com os olhos, a ouvir com os ouvidos e a entender com o coração, e se converta, e seja salvo.” (Isaías 6:10). 

Queremos descobrir a verdade por trás da incoerência. E só poderemos enxergar através do Criador.  Nossa visão é obscurecida.

Existem pessoas que participam da verdade absoluta que vem de Deus. E tem o privilégio de desfrutarem da graça, misericórdia e amor do Senhor e depois, simplesmente desfazem de todo esse grandioso tesouro para usufruir de alegrias ilusórias e passageiras.  Fazem o caminho inverso, voltam para a multidão, para a maioria inconsequente, cega atraída pelas concupiscências dos olhos, do mundo e da soberba da vida (1 João 2:16). As que já vieram de lá e sentem o alivio da liberdade devem cultivar essa dádiva conhecendo mais aquele que os libertou que lhe deu a verdadeira vida, não devem ficar insensíveis ao pecado que os rodeia.

O problema é a conformação com o mundo por negligenciarem as Escrituras. Quando o Apóstolo Paulo escreveu aos Romanos, ele foi categórico e direto em relação a ruim adaptação do homem convertido com o mundo. Em Romanos 12 nos versos 1 e 2, ele diz: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

É muito sutil a atuação de Satanás no meio Cristão. Desde Adão e Eva, quando a sagaz serpente diz meias verdades (que sempre serão mentiras) e causa uma catástrofe na humanidade. (Genesis 3:1-8).

A conformação com o mundo se dá com um pensamento inconsequente como: “agora é outro tempo estamos na era da tecnologia cibernética e não podemos viver em padrões antigos, arcaicos, e temos que estar antenados”.

Mas, é exatamente o contrário as Escrituras de Deus, os Oráculos do Senhor, Os Ensinos do Criador nunca serão velhos, está acima de qualquer sabedoria humana, o que é descoberto hoje por cientistas, arqueólogos, etc., já havia sido registrado por Deus na Bíblia a mais de três mil anos, portanto é incoerência e ignorância que alguém venha a dizer que os padrões de Deus não servem para o nosso século. Leia e medite nas Escrituras e você não será insano. Verá o quanto perdeu tempo em não ler o Livro dos livros.

Os valores ilusórios atraem multidões de pessoas que buscam preencher um vazio absoluto que nunca poderá ser preenchido. Todos os tipos de coisas serão testadas e usadas em laboratório de forma aleatória e comprovada cientificamente e depois será descartada. É como a fase de uma moda que passa e volta em um ciclo vicioso que nunca acaba, mas que nunca trás a satisfação plena.  

A vida é uma descoberta, um desafio constante que leva o ser humano a diversos caminhos buscando algo novo e emocionante em alta ou em baixa intensidade. É uma competição de atletas que passam horas e anos a fio se preparando para o grande dia da disputa onde apenas um levará o grande prêmio. Chegado o momento, eles estão prontos, cada um com sua capacidade, mas sabendo que todos os outros ficaram para trás. Ao término deste desafio aquele que ganha recebe os louros de seu ato valoroso, mas em pouco tempo aquilo fica somente na memória de quem ganhou e assim aquela mesma pessoa tem que se preparar para outro evento disputando a mesma competição se sujeitando aos mesmos ou maiores exercício para ter a possibilidade de vencer e ter novamente aquele pequeno momento de glória.

As competições não se dão somente no esporte, mas também em todos os seguimentos da vida. As preocupações com a aparência, conhecimento, leva o ser humano a travar disputas acirradas para serem inseridos nos padrões sociais que o mundo oferece. Querer aparecer, ser conhecido e popular é um dos principais objetivos. Isso tudo leva cada ser humano ao individualismo e a insensibilidade, pois cada outro é rival em potencial, nas disputas de um lugar ao sól. Cada dia isso cresce mais, o egoísmo cresce em função da inveja e vaidade. Ser mais rico, ter mais beleza e mais poder transforma o caráter de cada pessoa neste mundo. O padrão de uma vida cristã fica em ultimo plano devido andar ao contrário do padrão do mundo. Eles não conhecem o grande exemplo de humildade que mesmo sendo o Criador se fez homem para salvar àqueles que confiam nEle, o Senhor Jesus Cristo (João 1-14).

Diante de tudo isso só existe uma solução, clara e absoluta que ninguém poderá contestar que não sabia, pois o nosso Criador se manifestou ao homem: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos. Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite. Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol,” (Salmos 19:1-4).

E saiba de uma coisa meu caro leitor, o mais importante de tudo é que o Grande Criador quer se relacionar com sua pequena criatura. E ele providenciou um a ponte, uma porta, o caminho, o Pastor, Seu filho Jesus Cristo. O autor de Hebreus diz: “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo” (Hebreus 1:1, 2). Ele quer falar ao seu coração não o torne insensível.



Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa – PB




quarta-feira, 13 de junho de 2012

PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA E PROFISSIONAL

domingo, 27 de maio de 2012

Favor enviar e-mail para os Exmos. Senhores Deputados Federais e Senadores da República pedindo a aprovação do PDC 234/2011, imediatamente, pois, além da psicóloga Rozangela Justino a psicóloga Marisa Lobo vem sendo perseguida pelo CRP/CFP por motivos semelhantes. No final da presente carta, encontra-se a relação dos Exmos. Senhores Senadores da República; após a mensagem seguinte, encontra-se a relação dos Exmos. Senhores Deputados Federais. Grata.

CARTA DA PSICÓLOGA ROZANGELA JUSTINO AOS EXMOS. SENHORES DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES DA REPÚBLICA:

Eu, Rozangela Alves Justino, psicóloga, CRP 05/4917, venho comunicar a Vossa Excelência que os ativistas do movimento social pró-homossexualismo continuam me perseguindo devido a minha religião e artigos publicados em meu blog, em 2007. Baseados na Resolução 01/99 do CFP - Conselho Federal de Psicologia, afirmam que estou infringindo não somente a Resolução 01/99 como também o próprio Código de Ética Profissional. Com isso, venho respondendo a um novo processo junto ao CRP-RJ - Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro, sob o nº 017/2007 (022/07 e 024/07 apensos), conforme os autos do processo que move os Senhores:

1) Renato Marques Teixeira e Isabela Coutinho Santos, do GDN – Grupo Diversidade Niterói (um dos grupos de promoção do homossexualismo na cidade de Niterói-RJ);

2) Antonio Luiz Martins dos Reis (Toni Reis), da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Trangêneros (AGLBT);

3) O próprio CRP-RJ.

No dia 8 de março de 2012, respondi a uma citação, onde apresentei a minha defesa por escrito; no dia 2 de abril de 2012, apresentei as alegações finais após a intimação, dentro do prazo estabelecido pelos Conselheiros em exercício. Parece que têm pressa em acelerar o processo para tão logo julgá-lo.

Quem fiscaliza e tem poder para processar o Sistema Conselhos de Psicologia, quando este contraria a comunidade científica e a OMS-Organização Mundial da Saúde?

O Sistema Conselhos de Psicologia vem desprezando os seguintes fatos:

1) A comunidade científica ainda não encontrou um gene gay, portanto, ninguém nasce gay. Não existe comprovação genética para a atração pelo mesmo sexo, no entanto os geneticistas chegaram à conclusão que existe o ser humano com o sexo masculino (XY) e outro ser humano com o sexo feminino (XX), e na maturidade, a inclinação natural é o interesse pelo sexo oposto, quando as pessoas não forem atropeladas em seu desenvolvimento por um fator externo, tal como ter sido abusada por um pedófilo do mesmo sexo ou do sexo oposto, na infância e/ou na adolescência;

2) A OMS-Organização Mundial da Saúde, através da sua Classificação Estatística Internacional das Doenças, que está na décima edição, denominada CID 10, entende que a atração pelo mesmo sexo pode ser uma DESORDEM. As pessoas que apresentam DESORDENS COMPORTAMENTAIS E PSICOLÓGICAS ASSOCIADAS AO DESENVOLVIMENTO E ORIENTAÇÃO SEXUAL que inclui as acometidas pela orientação sexual homossexual egodistônica (atração sexual fora de sintonia com o eu) podem procurar tratamento para alterá-la. A OMS classifica o transexualismo, travestismo de duplo papel, desordem da identidade de gênero em crianças, outras desordens de identidade de gênero e as desordens da identidade não especificadas, como DESORDENS DE IDENTIDADE DE GÊNERO.

Quem irá fiscalizar e processar o CFP por ter baixado uma norma para perseguir profissionais cristãos, impedindo-os de apoiar pessoas acometidas por DESORDENS que afetam a sua sexualidade, simplesmente por ter decidido contemplar uma agenda política em detrimento daqueles que em estado de sofrimento psíquico desejarem efetivar mudanças que eles mesmos escolheram?

Por que um cidadão pode escolher ser gay, sendo que a própria OMS não naturalizou ainda tal estilo de vida, e um outro cidadão não poderá escolher deixar a atração pelo mesmo sexo e nem contar com profissionais para apoiá-lo de forma a fazer as mudanças que eles mesmos desejam em suas vidas?

Quem, no Brasil, tem poder para deter um Conselho Profissional que pode colocar milhares de crianças e adolescentes brasileiros em situação de risco social, uma vez que a agenda gay, já tendo conquistado os direitos dos adultos que querem viver o estilo de vida gay, livremente, e ainda cercear o direito dos que não desejam este estilo de vida para si, agora se volta para alcançar as nossas crianças e adolescentes defendendo a sua livre expressão e diversidade sexuais?

Quem irá amparar famílias que precisam de apoio para si e para os seus filhos acometidos por desordens de identidade de gênero ou comportamentais e psicológicas associadas ao desenvolvimento e orientação sexual?

Quem amparará os profissionais que são perseguidos pelo seu próprio Conselho Profissional, por valorizarem a verdade científica e os verdadeiros direitos humanos universais, rejeitando a agenda gaysista?

Desde 1999, quando a Resolução 01/99 foi baixada pelo CFP venho sofrendo, injustamente, perseguição sistemática do movimento gaysista, via Conselho de Psicologia, causando-me intenso desgaste físico e emocional, com prejuízos profissionais, financeiros, familiares e quanto a minha imagem, liberdade de pensamento, científica, religiosa e de expressão.

Em 2009, a mídia divulgou amplamente a CENSURA PÚBLICA que recebi do CRP-RJ e CFP, tendo recorrido à justiça, em Brasília, DF, cujo processo ainda não foi julgado. Nesta ocasião fui penalizada pelo meu Conselho Profissional por:

i) Ser cristã;

ii) Atender pessoas que voluntariamente me procuravam por desejarem deixar a atração sexual por outras do mesmo sexo;

iii)Me pronunciar sobre o assunto, publicamente;

iv) Ter criado a ABRACEH, uma instituição para a garantia de direitos, em 2004, devido ao cerceamento de direito que profissionais, missionários e igrejas estavam sofrendo com o advento da Resolução 01/99, do CFP.

Após esta punição precisei me esconder por um tempo atrás de perucas, óculos escuros e máscaras, até elaborar melhor a situação em que encontrava. E, não somente por estar perplexa, não entendendo o motivo pelo qual este tema ter encontrado tamanha visibilidade na mídia, como também para me proteger da fúria gaysista, pois a punição de CENSURA PÚBLICA recebida não satisfez a voracidade de tal movimento social, que ainda clama por minha cassação profissional, e paralelamente continua me intimidando, xingando, ameaçando a minha integridade física, causando preocupações e desgastes emocionais, inclusive, para os meus familiares.

Quem irá restituir o abalo emocional causado a minha família, os prejuízos financeiros, profissionais e pessoais, quanto a minha imagem, ao longo destes anos?

O bulying constante que venho sofrendo ao longo dos anos, as ridicularizações públicas de todas as partes, com assunto tão sério, tem intimidado e calado milhares de profissionais brasileiros que não querem passar pelo que passei.

Será que o caminho é abandonar a causa, continuar me escondendo ou me omitindo como tantos outros profissionais, para poderem ter paz para trabalharem e viverem como um cidadão comum?

Neste momento, está em evidência o caso de uma outra psicóloga, no Paraná, que vem sendo perseguida pelo movimento gaysista porque associa a sua profissão ao fato de ser cristã e ter declarado numa rede social que não gostaria que o seu filho fosse gay. Este foi motivo suficiente para que o movimento gaysista e o Conselho de Psicologia a perseguisse.

Quem impedirá que outros profissionais sejam punidos injustamente e passem pelo mesmo que eu venho sofrendo ao longo destes anos? A sensação de impotência aumenta, assim como a de perda de tempo em lutar pelos valores humanos, numa era em que o politicamente correto prevalece em detrimento da verdade científica e da promoção dos verdadeiros direitos humanos universais, não reconhecidos e nem garantidos por diversas autoridades que parecem não querer ficar mal aos olhos deste movimento politicamente organizado, com diversos programas financiados pelo poder público.


A minha esperança é que V. Excia. possa exercer a sua autoridade e junto com outras autoridades possam colocar um ponto final neste movimento cerceador de direitos.

Diante do exposto, venho mui respeitosamente fazer os seguintes APELOS a Vossa Excelência:

Apelo para que V. Excia. tome as providências necessárias de forma que o direito de apoiar pessoas que sofrem desordens na área sexual sejam garantidos, especialmente o direito das crianças e dos adolescentes receberem apoio de um profissional competente, não envolvido com a militância gay.

Apelo para que os profissionais tenham liberdade de pensamento, científica e de expressão, esclarecendo a sociedade e divulgando informações, agindo de acordo com a sua consciência, conforme prevê o Artigo 5º da nossa Carta Magna.

Apelo para que sejam reconhecidos o direito universal de profissionais professarem a fé cristã, pois os profissionais também são seres humanos e tal direito precisa ser garantido pelas nossas autoridades.

Por fim, apelo para que V. Excia. tome providências para que a Resolução 01/99, que desencadeou todo este transtorno pessoal para mim e demais profissionais e toda a sociedade brasileira, seja anulada, anulando os seus efeitos desde a sua criação.

Coloco-me à disposição de V. Excia. para maiores esclarecimentos, assim como os documentos que julgar necessários, conforme as afirmações feitas por mim, acima.

Atenciosamente,

Rozangela Alves JustinoCRP 05/4917



E-MAILS DOS SENADORES DA REPÚBLICA:

acir@senador.gov.br;

aecio.neves@senador.gov.br;

alfredo.nascimento@senador.gov.br;

aloysionunes.ferreira@senador.gov.br;

alvarodias@senador.gov.br;

ana.amelia@senadora.gov.br;

ana.rita@senadora.gov.br;

angela.portela@senadora.gov.br;

anibal.diniz@senador.gov.br;

antoniocarlosvaladares@senador.gov.br;

antonio.russo@senador.gov.br;

armando.monteiro@senador.gov.br;

benedito.lira@senador.gov.br;

blairomaggi@senador.gov.br;

casildomaldaner@senador.gov.br;

cassio@senador.gov.br;

cicero.lucena@senador.gov.br;

ciro.nogueira@senador.gov.br;

clesio.andrade@senador.gov.br;

clovis.fecury@senador.gov.br;

cristovam@senador.gov.br;

cyro.miranda@senador.gov.br;

delcidio.amaral@senador.gov.br;

eduardo.amorim@senador.gov.br;

eduardo.braga@senador.gov.br;

eduardo.lopes@senador.gov.br;

eduardo.suplicy@senador.gov.br;

ecafeteira@senador.gov.br;

eunicio.oliveira@senador.gov.br;

fernando.collor@senador.gov.br;

flexaribeiro@senador.gov.br;

francisco.dornelles@senador.gov.br;

garibaldi@senador.gov.br;

gim.argello@senador.gov.br;

humberto.costa@senador.gov.br;

inacioarruda@senador.gov.br;

ivo.cassol@senador.gov.br;

jader.barbalho@senador.gov.br;

jarbas.vasconcelos@senador.gov.br;

jayme.campos@senador.gov.br;

capi@senador.gov.br;

joaodurval@senador.gov.br;

joaoribeiro@senador.gov.br;

j.v.claudino@senador.gov.br;

jorgeviana.acre@senador.gov.br;

jose.agripino@senador.gov.br;

gab.josepimentel@senado.gov.br;

sarney@senador.gov.br;

katia.abreu@senadora.gov.br;

lidice.mata@senadora.gov.br;

lindbergh.farias@senador.gov.br;

lobaofilho@senador.gov.br;

lucia.vania@senadora.gov.br;

luizhenrique@senador.gov.br;

magnomalta@senador.gov.br;

maria.carmo@senadora.gov.br;

mario.couto@senador.gov.br;

martasuplicy@senadora.gov.br;

mozarildo@senador.gov.br;

paulobauer@senador.gov.br;

paulodavim@senador.gov.br;

paulopaim@senador.gov.br;

simon@senador.gov.br;

pedrotaques@senador.gov.br;

randolfe.rodrigues@senador.gov.br;

renan.calheiros@senador.gov.br;

ricardoferraco@senador.gov.br;

roberto.requiao@senador.gov.br;

rollemberg@senador.gov.br;

romero.juca@senador.gov.br;

sergiopetecao@senador.gov.br;

sergiosouza@senado.gov.br;

valdir.raupp@senador.gov.br;

vanessa.grazziotin@senadora.gov.br;

vicentinho.alves@senador.gov.br;

vital.rego@senador.gov.br;

waldemir.moka@senador.gov.br;

pinheiro@senador.gov.br;

wellington.dias@senador.gov.br;

zeze.perrella@senador.gov.br;

Pr. Edson Sobreira Alves
Igreja Batista Regular - João Pessoa - PB

sexta-feira, 8 de junho de 2012

ESCOLHAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS



Nossa vida é constituída de escolhas, e é com estas escolhas que formaremos esta vida. Quando decidimos o que fazer com ela, seremos levados às consequências sérias, que afetarão não somente a nós mesmos, mas, todos aqueles que estão em nossa volta.

Perto de casa onde moro existe um grupo de pessoas que estão todos os dias nas calçadas reunidos tomando bebida alcoólica, são homens e mulheres que fizeram uma escolha. Conseguem algum dinheiro olhando os carros de pessoas e ajudando a carregar suas compras que fazem no mercado público levando até os carros. Quando recebem pequenas quantias juntam e compram um litro de bebida forte e dividem entre eles em pequenas garrafinhas. São pessoas que tem uma média de quarenta anos. Observamos que alguns deles estão mais debilitados que outros, são aqueles que a vários anos vivem nesta vida e estão a ponto de falecer devido suas escolhas insanas. Sabemos que para chegarem a este estagio enfrentaram muitas barreiras que não conseguiram transpor, mas tudo começou por uma simples decisão errada.

Somente uma escolha os levou a estarem vivendo assim. Desistiram de lutar perderam as batalhas e perderão a guerra quando saírem deste mundo.

Quando olhamos um quadro assim ficamos tristes, quando existe um pouco de sensibilidade em nossos corações, simplesmente passamos, lamentamos e não fazemos nada. Já conversei com eles, tentei mostrar que eles podem fazer outra escolha, suas vidas poderiam mudar esta pintura, mas eles parecem que não tem mais forças.

Mas, não são somente eles que está perdido, a vida deles é explicita, todos que passam podem ver, muitos sentem pena, outros procuram ajudar de alguma forma, outros têm medo e outros têm nojo, uns recriminam, outros querem vê-los presos e muitos até querem vê-los mortos. Estes que olham e pensam em soluções drásticas para mudança deste quadro, se acham perfeitos quando se comparam com eles, mas na maioria das vezes são piores que eles, pois seus erros e pecados estão escondidos e não são revelados publicamente.

As pessoas fazem diversas escolhas que vão influenciar o resto de suas vidas. A maioria da humanidade não percebe o poder das escolhas. E ao longo de suas vidas ficam frustradas, culpam todos que estão a sua volta, mas nunca olham para si próprios. No decorrer de nossas vidas fazemos grandes e pequenas decisões que repercutem positivamente ou negativamente. Se olharmos um padrão de vida que achamos correto vamos definir algumas decisões que são coerentes para vivermos corretamente.

Viver bem não significa que devemos satisfazer todas as nossas vontades, que devemos ser ricos e para isso devemos escolher caminhos que nos leve a esta riqueza, mesmo passando por cima de valores importantes. Mas é isso que muitos têm como objetivo, e é justamente neste sentido que muitos são levados a fazerem escolhas erradas. Primeiro vamos definir um padrão de escolhas que nos levam achar que são corretos: Estudar, trabalhar, casar, ter filhos etc. talvez você diga “isso não me parece escolha! É lógico e natural”.

Somos influenciados por escolhas de nossos pais, nossos amigos nos mostram e nos proporcionam circunstancias que nos levam a fazer escolhas, mas nós somos responsáveis por nossas escolhas. Quando conseguimos enxergar a necessidade dos estudos para o nosso futuro, então estudamos, não é devido nossos pais terem nos matriculado em uma boa ou má escola. Conheço grandes profissionais que em toda sua vida acadêmica estudaram em escolas públicas e foram bem sucedidos em sua labuta, por outro lado, outras pessoas se sentem fracassadas mesmo que durante sua trajetória acadêmica estudaram em colégios caríssimos de grande reputação educacional. Portanto, não foram as circunstâncias que o levaram a aprenderem ou não, mas foi a escolha e visão da importância de estudarem que os levaram a atingirem os objetivos ou não. Depois da escolha dos estudos vem o trabalho. O trabalho profissional em quase todos os seguimentos exige o conhecimento e o diploma. Mas nem sempre um profissional tem um ótimo trabalho.

Recentemente conheci um homem, na oficina mecânica, que estava aguardando o conserto de seu carro e eu estava fazendo uma revisão no meu. Conversamos diversos assuntos, um deles foi sobre nossa formação profissional. Ele me disse que era diplomado em diversos cursos, era técnico em eletricidade, graduado em contabilidade e também graduado em engenharia mecânica (por sinal em alta no mercado), mas qual foi minha surpresa quando ele disse que não exercia nenhuma destas formações, ele é supervisor de supermercado e o único entre seus colegas com curso superior. São as escolhas que fazemos que determina nossas vidas. Ele me disse que precisaria de alguns anos para ter condições de exercer sua profissão, mas nunca recebeu ajuda, então para sustentar sua família teria que trabalhar em qualquer coisa que aparecesse e assim seu sonho foi fracassado, ainda pensa em um dia exercer sua profissão, mas já está com cinquenta anos e acha que cada vez fica mais difícil, então precisa fazer uma escolha o mais rápido possível.

O casamento é uma escolha lógica, fomos chamados e feitos para unirmos uns com os outros no matrimonio, homem e mulher, cujo resultado são os filhos, um milagre do Criador. Alguns decidem não se unirem e permanecem solteiros durante toda a vida, mas isso é exceção. Tudo isso é o comportamento natural da vida humana, estudamos para trabalhar, trabalhamos para o sustento, casamos para perpetuar a espécie. Agora, como fazemos tudo isso?

Nossas escolhas tem que serem ponderadas em analise de consequências, mas nem todos fazem isso, por exemplo: Quando acordo pela manhã, estarei diante de diversas escolhas, “hoje vou levantar da cama ou não?” então devemos pensar: “se eu não levantar o que acontecerá?”. As consequências são lógicas e não precisamos ser adivinhos para sabermos o que poderá acontecer. É obvio, se você estuda pela manhã, se não ir à escola não estudará a matéria naquele dia, fará uma prova péssima e tirará uma nota baixa, ficará frustrado, desanimado, deixará de estudar e não irá para faculdade, não se formará e terá que trabalhar em serviços pesados e ganhará muito pouco para o seu sustento. Eu sei que estou indo ao extremo, mas precisamos imaginar as possibilidades dos resultados de nossas escolhas. Se eu acordo pela manhã e escolho não escovar os dentes naquele dia e repito dia após dia. Chegará a um ponto em que ninguém vai querer mais falar comigo e irei perder todos os dentes.

Em algumas circunstâncias somos levados a tomar decisões que influenciarão nosso futuro e neste momento somos levados a dizer sim ou não, e muitos acham que devem até mentir para ter um resultado satisfatório, mas isso é uma escolha perigosa. Um comandante na segunda guerra foi preso pela frente inimiga e ia ser torturado para dizer onde seu batalhão estava escondido. Nessas circunstancias, para ganhar tempo ele resolveu dizer uma mentira também para preservar seus soldados e disse: “Eles estão escondidos no cemitério antigo”. Ele achava que eles não estavam lá, mas na realidade estavam, pois resolveram se refugiarem justamente naquele cemitério, contrariando as ordens de seu comandante, pois a ordem era permanecer no lugar anterior. Todos foram presos.

Nas Escrituras podemos ler e meditar em muitos testemunhos de homens e mulheres que fizeram escolhas que influenciaram suas vidas positivamente e negativamente. Podemos lembrar-nos de Abraão, Moisés, Davi, Daniel, José, Raabe, Ana e muitos outros.

Abraão respondeu ao chamado de Deus e saiu de sua terra para uma que não conhecia e desencadeou a formação de uma grande nação e abençoou outras nações e de sua descendência nasceu o Salvador (Genesis 12:1). Moisés decidiu deixar um futuro promissor no Egito, para salvar a nação dos Hebreus (Êxodo 2:15). Daniel escolheu não se envolver com as práticas dos costumes de um povo idólatra e foi honrado por Deus sendo um grande estadista na Babilônia (Daniel 1:8). José não se envolveu nos prazeres do mundo, como o sexo promíscuo com a esposa de Potifar, foi preso, mas depois se tornou governador do maior império do mundo na época (Gênesis 39:7-20). Davi, um homem segundo o coração de Deus foi o maior Rei de Israel, mas devido sua escolha em desejar a mulher de seu soldado, caiu em tentação e sofreu consequências sérias com sua família e nos deixou uma lição de não fazermos escolhas insanas e também um exemplo de grande arrependimento (2 Samuel 12:10). Ana decidiu confiar em Deus e mesmo estéreo fez um voto ao Criador que se tivesse um filho o consagraria ao Senhor. Ela cumpriu e Deus a abençoou com mais cinco filhos (1 Samuel 2:21). Escolhas certas ou erradas têm consequências.

O mundo hoje tem agido de acordo com os padrões determinados por mentes deturpadas que agem na calada da noite e trazem ao conhecimento da humanidade padrões sem valores devido ao neoliberalismo, o pós-modernismo está incutindo nas pessoas que o certo e o errado são relativo, levando-as a escolher caminhos que os levam totalmente a perdição.

Ficamos indignados com muitos jovens e adultos que estão presos no liberalismo da sexualidade que desencadeou nas ultimas seis décadas e culminou nas passeatas gays em todo o mundo confrontando com a naturalidade da criação e com a soberania do Criador que fez o homem e a mulher. Escolhas de adolescentes que interpretam seus desejos e os levam a escolhas insanas alimentando o relacionamento sexual pelo mesmo sexo. Decidem fazer aquilo que irá influenciar negativamente toda a vida e até a vida eterna.

Uma escolha que o homem deve fazer durante sua vida antes que morra e vá para a eternidade sem Deus, é crer na obra redentora de Cristo na cruz do calvário. Que morreu por cada um de nós para nos salvar. Essa escolha dará ao homem voltar para Deus e sair da condenação do inferno eterno.

Pense nisso!



Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB







terça-feira, 15 de maio de 2012

AS PRÁTICAS DO HOMOSSEXUALISMO MATA


“Homofobia mata” é uma expressão incoerente, pois, colocou-se a palavra “Homofobia” no lugar da palavra “violência”. Todas as expressões homossexuais, visuais ou audíveis, que outrora eram escondidas entre quatro paredes foram trazidas às ruas copiadas do modelo de carnavais. Diante da contemplação de atos explícitos, resultaram em impactos de revoltas nas famílias de padrões conservadoras na sociedade que até então não eram atingidas com essa violência visual.

Despertou em alguns corações a revolta ultrajante, mas para outras pessoas que acham tudo novidade e modernidade cultural, aderiram ao movimento chegando a levar mais de três milhões de espectadores às ruas, contemplando e apoiando uma prática contra o próprio Deus.

Mas, quero leva-los a enxergar de um ponto de vista diferente, com outra perspectiva. A frase correta seria: “As práticas do homossexualismo mata”. E é com essa frase que quero levá-los a refletir. Mata aos poucos aquele que pratica, pois faz uma separação eterna entre ele e Deus, entre ele e grande parte da sociedade, mata a família de tristeza, pois muitas vezes, ele mesmo se separa da família.

Não existe um membro de família, que viva em um padrão cristão, que aceite incondicionalmente o homossexualismo, estou falando da prática e não da pessoa, mas, toda vez que temos contato com alguém que não quer ouvir sobre sua situação, não podemos separar o praticante de sua prática, se alguém disser que existe harmonia é porque um dos lados estará mentindo, fingindo, sendo hipócrita. Por mais que aparentemente, exista uma harmonia, os pais, no seu intimo sentirá uma tristeza profunda pela condição daquele ente querido.

A busca da felicidade para aqueles que seguem este caminho é algo impossível de alcançar, pois, se insistir em continuar em suas práticas, será como uma droga que precisa de uma dose maior para satisfazer seu desejo.

Existe uma incoerência, jamais algo errado contra Deus trará felicidade, pelo contrário trará angustia, sofrimento, tristeza, depressão, etc.

Na mente de um jovem estão os pensamentos, engessados, errados sobre o homossexualismo, por falta de um conhecimento mais profundo, quando eles querem pesquisar sobre isso irão com um pressuposto de defender aquilo de errado que está em sua mente, e na internet encontrará muito mais informações erradas do que certas e neste ponto entrarão em “parafuso”. Aqueles jovens que estão em sua formação sexual depois de constantes lutas em sua mente, perdem a batalha e desistem de tudo e partem para as práticas, porque muitas vezes lutam sozinhos, sem apoio da família, e são influenciados negativamente pelo mundo que apoiam essa prática.

A primeira impressão que o jovem tem, é de que ele nasceu assim. Essa é uma afirmação totalmente equivocada. Todas as experiências feitas até hoje, com toda tecnologia para constatar essa afirmação trazem resultados negativos. Mesmo assim, a mídia insiste e tem apoiado a prática homossexual como algo natural da vida do ser humano, para que o jovem viva feliz sem o peso do medo do pecado. Algumas pessoas vão dizer: “É melhor que ele viva liberto do pecado praticando o que ele quer”. Isso é uma grande incoerência e uma grande ignorância.

Seus desejos são maiores que suas convicções, todos sabem que é errado, sentem-se profundamente tristes no seu intimo, mas mesmo assim querem satisfazer os seus desejos carnais e se esquecem de tudo que aprenderam e viram. O egoísmo é mais forte, não importando as consequências que terão que enfrentar o resto de suas vidas. Esquecem-se do exemplo de seus pais, esquecem-se do modelo de família. A liberdade sexual dos anos 60 deliberou uma liberdade acima dos padrões, e afirmaram que essa é a verdadeira liberdade. Os homens a partir de então, extravasaram e esqueceram daquilo que já estavam gravados em seus corações desde o principio da Criação. O apostolo Paulo fala sobre isso: “semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” (Romanos 1:27).

A sociedade aceita o homossexualismo com naturalidade desde que aquelas famílias que formam essa sociedade não sofra na pele, pois quando acontece o mesmo com uma delas sofrerão como todas as outras e seus pensamentos serão diferentes.

Existe outro equivoco em relação à posição contrária dos evangélicos em relação ao homossexualismo. Com certeza existem pessoas radicais e sem sabedoria para tratar do assunto. Falam o que não devem e ultrapassam os limites de suas atitudes para expressar sua indignação e terminam agindo brutalmente contra a pessoa que segue essa prática, mas na realidade não são somente aqueles que são ou se dizem “evangélicos” que agem assim, na realidade existem pessoas que independente de suas crenças agem negativamente não só contra homossexuais, mas contra qualquer minoria contrária a maioria.

Todos deveriam ler mais sobre o assunto para tratarem corretamente com aqueles que cegamente seguem a prática do homossexualismo.



Na realidade o crente com padrão cristão, que tem a convicção de fé e prática nas Escrituras e creem que as palavras das Escrituras sagradas é a voz de Deus, e realmente é. Diante disso em textos claros e diretos podemos distinguir o certo do errado. A própria pessoa que parte para uma prática como essa se conseguisse gastar um tempo para ler as Escrituras chegaria a essa conclusão. Mas, a sociedade liberal e incoerente, que ao mesmo tempo apoia e ao mesmo tempo recrimina esta cada vez mais favorecendo esta prática.

Nunca vimos tantos jovens partindo para esse horrível comportamento. Nunca vimos tanta tristeza nas famílias como está acontecendo. Então, podemos perceber que, por outro lado, está havendo, gradativamente, uma aceitação insana para aliviar o sofrimento de um pai ou de uma mãe. Nunca um pai ou uma mãe se sentirá feliz em ver seu filho ou filha criados com todo o cuidado, carinho, amor e de repente muda toda a trajetória de sua vida. A insensibilidade cresce a cada momento e o sentimento puro sede lugar ao egoísmo exacerbado. “O que me importa, a vida é dele”, e outros, indignados irão agredir, e outros irão dizer mesmo com uma grande angustia no coração: “Vai meu filho, segue seu destino e encontre a felicidade”, que felicidade!

O Senhor Jesus, o Filho de Deus vivo, sim, quer você acredite ou não, pode-se afirmar que Ele nasceu, viveu entre nós e ressuscitou, na qual a fé não é baseada em evidências infundadas, mas em uma realidade comprovada, historicamente e arqueologicamente, Ele disse: “... Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher” (Mateus 19:4).

É claro que Deus criou o homem e a mulher, não existe meio termo ou outro tipo de sexo. Outra coisa é que quando o casal se une formará uma só carne, veja o que a Bíblia diz: “Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne” (Efésios 5:31). Então sabemos que jamais a união de dois homens ou duas mulheres, formará uma só carne. O casal formado de homem e mulher (daqui pra frente devemos nos expressar assim, pois, já estão falando que dois homens e duas mulheres podem ser chamados de casal) se completa, pois um foi feito do outro, “E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lhe trouxe”. Gênesis 2:22



Não sabemos o que fazemos se quando alguém que nós amamos resolve tomar um caminho de perdição. Ficamos sem ideia, “sem chão” de como devemos tratar, então oramos. Pedimos ao nosso Deus misericórdia. Quantos já passaram por isso, e quantos passarão?

Imagine que um filho ou uma filha sua que nunca expressou corretamente suas vontades e de repente diz: “Pai eu quero assumir minha sexualidade, sou homossexual e estou procurando um relacionamento sério, mas não se preocupe, não sou daqueles que demonstram, serei discreto (a) e só saberão se eu disser.” E ainda mais se no contexto da igreja (pois, já está atingindo nossas igrejas): uma criança que viveu dentro da igreja, aprendeu a doutrina, era dedicado ao Senhor, e em sua casa você criou sempre mostrando o que é correto e de repente em sua adolescência dá uma notícia como esta. Abandona a igreja, os amigos e até a família e vai viver sua vida.

Você já ouviu de muitas outras famílias com este problema, mas nunca acha que poderá acontecer com você, doce engano. Isso está se proliferando como uma epidemia, meninos e meninas cada vez mais estão enveredando por este horrível e cruel caminho em suas vidas.

O comportamento humano tem sido afetado drasticamente nas ultimas cinco décadas, com a liberdade sexual e sua divulgação nos grandes meios de comunicação.

Valores têm sido trocados, como o valor da família, por exemplo. Entediamos que família era constituída de pai, mãe e filhos, mas hoje, poderemos encontrar. Filhos com dois pais, filhos com duas mães, um grande absurdo!

Quantos pais estão sofrendo?

Quando você imagina que seu filho quer agir como uma garota atrás de garotos, ou sua filha quer agir como um homem, você fica desesperado, indignado, não entende como isso pode acontecer.

Certa vez uma linda jovem, formada, gerente de uma loja, já noiva de um belo rapaz, terminou seu relacionamento, para mudar para um relacionamento homo afetivo, cortou o cabelo, engordou muito e quando a vemos não podemos reconhecê-la. Vive uma aparente felicidade que de vez em quando podemos ver sua oculta tristeza.

Como uma pessoa pode cometer tão horrível prática. Isso não é natural, Deus não fez assim, então como pode haver tamanha cegueira, e tamanha ilusão? Por que os valores foram trocados?

Por mais que esse jovem ou essa jovem satisfaça seus desejos canais, jamais serão felizes com quem quer que estejam. Pois, no seu intimo estará a realidade do seu ser em confronto com seu intimo e estará sempre em frustração.

Na nossa mente, pensamos: por que tal jovem não deixa toda essa angustia e volta ao estado natural? Existe uma complexidade nestas vidas e devemos compreender a fundo este estigma cruel. E é claro, devemos ajudar estes jovens a enxergarem o lamaçal em que estão enveredando, e mostrar que eles não nasceram assim, como muitos pensam. Dizer para eles que existe uma solução, que isso não é eterno e que eles podem desfrutar do amor do sexo oposto, desde que eles entendam que precisam de ajuda.

Quero terminar contando a história de “Paulinho” (nome modificado para preservar a família). Nos anos 1990, Paulinho era um jovem bonito, inteligente e promissor, mas aos quinze anos veio o mais angustiante comunicado dele para sua família, pai, mãe e irmãs. Ele disse “Eu sou homossexual”, o que família poderia fazer? Logo o jovem saiu de casa e foi seguir seu destino, talentoso, cantava muito bem e dançava e logo foi para a Europa. Lá ficou famoso, a mídia o divulgava como “Paulinha”. Ganhou muito dinheiro e desfrutou de todos os prazeres que desejava e quem olhasse pra ele jamais poderia dizer que ele era um homem. Anos se passaram e sua família recebiam notícias que ele estava em plena felicidade. Certa noite, sua recebe um telefonema, seu filho estava internado com muitas marcas no corpo, debilitado. Sua mãe quase não podia falar com ele, mas finalmente pode falar, então recebeu a segunda notícia que jamais queria receber, seu filho estava com AIDS. Ele já estava em fase terminal, naquela época o coquetel de medicamentos para essa doença estava em faze de pesquisa e era de difícil acesso, a doença era descoberta tarde demais para o tratamento. Logo sua mãe partiu para a Europa. Os médicos não queriam liberar a sua viagem para o Brasil. Mas, finalmente ela conseguiu trazer seu filho. Na sua casa se aglomerou muitos homossexuais que tinha “Paulinho” como um ídolo. Cada vez mais sua saúde estava se exaurindo, alguns evangélicos começaram a chegar a sua casa. Mas, ele não os queria ouvi-los, então em seu leito cobria seu rosto com um lençol como se estivesse dormindo. Mas, mesmo assim, eles liam a Palavra, cantavam e oravam por ele. Assim se procedeu durante meses. Um dia eu meu pastor na época fomos visita-lo e vimos seu triste estado. Oramos e saímos. Após algumas semanas ouvimos a notícia de sua mãe, que ele havia se convertido a Cristo, certa manhã ele sentou em seu leito e participou com os cristãos e no final disse que queria receber Cristo. A partir daquele momento pediu que tirasse todos os quadro, pôsteres, e CDs que ele tinha no quarto, afirmou com convicção que entendia que o seu Deus o tinha feito homem, e que ele era homem. Pediu perdão a Deus por tudo o que tinha feito de errado contra Ele. Ele tinha convicção que partiria daquela vida, mas que tinha certeza que estaria com Deus eternamente. Depois de ter visitado a igreja, com muito esforço e ter dado seu testemunho perante a congregação, voltou para seu leito e ali reuniu todos da família e partiu com um sorriso expresso no rosto para a eternidade. Todos se converteram: o pai, a mãe, as irmãs, os cunhados.

Existe esperança, mas não espere até chegar à situação de “Paulinho”.

Existe somente um meio de escapar de tudo isso, confiando no Criador através de Seu filho, o Senhor Jesus Cristo.



Pense nisso!



Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Radicalizando o certo e não o errado


Quando falamos de radical, queremos falar de extremos, acentuado, de intensidade ou grau de máximos, que envolve riscos fora do comum e exige grande perícia.

Por outro lado podemos dizer que radical é relativo ou favorável a mudanças sociais profundas e completas. E eu não conheço nada radical e profundo que pode mudar uma sociedade para o bem do que o cristianismo

O homem procura atiçar a adrenalina e busca tudo que a faça manifestar. Pratica tudo que é radical, acima do padrão, não estou falando da prática de esportes saudáveis, ou especificamente de esportes radicais, mas estou falando de tudo e de todos aqueles que não se contentam com limites e padrões e sempre buscam algo mais acima de sua capacidade, fazendo assim, os resultados na maioria das vezes serem desastrosos. Em tudo há limites, e devemos adotar sempre um padrão. No coração do homem, mesmo obscurecido e manchado pelo pecado, está gravada uma lei natural que foi definida pelo Criador. Mas, mesmo assim o homem busca em qualquer área objetivando o extremo, quer seja nos estudos na religião no esporte, no relacionamento, dando ênfase ao egocentrismo. É loucura, e isso torna perversidade para com o próprio ser e para com o próximo. Veja o que Salomão disse em Eclesiastes 7:17 “Não sejas demasiadamente perverso, nem sejas louco; por que morrerias fora do teu tempo?”.

O ser humano termina sendo perverso e louco, caindo nas sequencias de maus hábitos inconsequentes, sendo preso, e sem perceber nos seus próprios atos será levado à morte prematura. A bebida, por exemplo, que começa com alguns copos de cerveja, em uma roda de jovens amigos que terminam na radicalidade da sarjeta, ou na solidão com garrafas e mais garrafas acompanhadas com a cirrose que o levará à morte.

Basta se envolver em um grupo radical que extrapolam padrões, que o jovem que nunca viveu neste meio e não está firmado verdadeiramente em Deus será uma presa fácil para cair nas ilusões infundadas e perigosas. Muitos se acham sábios, achando que ser radical irá mudar o mundo, mas na realidade o maior prejudicado é ele mesmo. Deus é o Senhor da sabedoria e seus preceitos e oráculos são profundos e verdadeiros. Paulo escrevendo aos crentes de Corinto disse que a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus, pois toda a sabedoria do sistema é usada para os próprios interesses, o individualismo, o egocentrismo, reina, e Deus não é enganado diante destes objetivos, “Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; porquanto está escrito: Ele apanha os sábios na própria astúcia deles.” (1 Coríntios 3:19).

A natureza do homem é perversa por causa do pecado. Mas para o homem natural, isso não é claro e aquilo que parece ser bom para ele, na realidade é obscuro e quando é revelado na luz se mostrará que é mau. O apostolo Paulo nos chama a atenção da seguinte forma: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” (1 Coríntios 2:14).

O pecado é contagioso e tem uma grande influencia que facilmente destroem jovens e adultos constantemente, levando-os ao extremo. Basta nascer e já estamos contaminados e esta “doença” nos acompanhará até que pela misericórdia de Deus, Ele lhe dará o único antídoto, Seu Filho Jesus Cristo.

O Senhor Jesus faz uma analogia do pecado com a cegueira. Fala dos homens que não enxergam a realidade da verdade no Senhor, e toda a humanidade entra nesta categoria, eles ultrapassam limites, sendo radicais em seus próprios entendimentos, assim pisando em campos minados por não enxergarem aquilo que parece estar escondido. É como se um cego tentasse ajudar outro cego a atravessar uma avenida muito perigosa de veículos em alta velocidade, apesar de ouvirem o ronco dos motores, se sentem motivados a tentarem atravessar e ambos serão atropelados, ou andando nas altas montanhas e chegando a um grande precipício, ambos serão lançados ao chão. “Deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco.” (Mateus 15:14).

O pecado deixa o homem cego, surdo e louco. Mas, somente Jesus cura.

O cego de nascença dá seu testemunho: “Ele retrucou: Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego e agora vejo” (João 9:25). Indagando ao homem que foi curado, tentam dizer que aquele que o curou era pecador. Os homens não aceitam tal testemunho mesmo vendo aquilo que parecia impossível, pois o que é radical mesmo sendo certo não será aceito.

Quantos tiveram contato com o poder de Deus em sua vida, conheceram a salvação em Cristo e agora estão longe do Evangelho, estes são loucos! O apóstolo Pedro diz: “Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora”. (2 Pedro 1:9)

Se você ainda não consegue enxergar, não tem forças para andar ao lugar de adoração, não consegue sentir-se limpo de seus dolorosos pecados, não consegue ouvir a vós do bom pastor, e ainda não nasceu de novo. Você ainda não conhece o Rei dos reis, o Senhor dos senhores. Acorde!

Toda a cura física na trajetória do Filho de Deus aqui na terra serviu para testificar o que os profetas já falavam a centenas e milhares de anos atrás. E os judeus não reconheceram o Messias. Você também não quer reconhece-lo? Pois está perdendo o maior tesouro de sua vida.

João Batista queria saber se Jesus era o Messias, e Cristo em resposta manda dizer:

“Então, Jesus lhes respondeu: Ide e anunciai a João o que vistes e ouvistes: os cegos veem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres, anuncia-se-lhes o evangelho.” (Lucas 7:22). Ele também diz ao seu coração: , “olha eu existo, estou aqui pronto, de braços aberto para cuidar de você.”.

Mas tudo isso serve também de exemplo do maior poder de cura, a alma.

Pensamos somente nesta vida, nos bens materiais que podemos adquirir, na saúde que podemos ter e nos prazeres que tudo isso pode trazer. Mas, há um tremendo engano diante de tudo isso. O prazer fora da vontade de Deus é passageiro, mas, dentro da vontade de Deus é eterno.

Sendo radical para o que é certo, essa será a atitude correta de cada um que tem a oportunidade de conhecer o criador.



Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB



sexta-feira, 4 de maio de 2012

Jovens cristãos ou humanistas nas universidades



Muitos jovens que nascem em lar cristão são ensinados que o mundo não oferece nada de bom. Quando falamos do mundo, falamos do sistema corrupto e das ideias equivocadas do certo e errado.

Os jovens participam das programações das igrejas e estão no convívio de outros da mesma fé. Quando crianças, as mesmas são protegidas de todo o mal que existem no mundo no qual afetam diretamente e negativamente o povo de Deus. As crianças mais privilegiadas estudam em colégios cristãos (evangélicos) e neste período estarão “incontaminadas”. O grande impacto acontece quando nossos jovens passam no vestibular e seguem para a universidade. A mudança é brusca, e sua rotina tornasse diferenciada com os trabalhos, reuniões e etc. Universidade é um universo de conhecimento de tudo sobre a vida humana e praticamente nada sobre a vida espiritual. Muito diferentes das primeiras universidades que foram iniciadas pelos cristãos, a mais famosa e conhecida até hoje, é a universidade de Harvard que enviou muitos missionários ao mundo inteiro espalhando o cristianismo que transformou muitas vidas, mas atualmente, infelizmente, Harvard é a maior faculdade de administração (MBA) e não há mais nenhuma pequena sala de teologia.

É obvio que existem verdades em todo o universo, não será diferente na universidade, o problema é a ênfase. Todo o conhecimento vem de Deus, mas uma grande parte é deturpada por mentes egoístas. Na universidade pouca se fala sobre Deus, não se fala que grandes cientistas como Einstein e Johannes Kepler falavam, estudavam e eram confiantes e submissos ao Supremo e Todo poderoso Deus. Muitos dos educadores são ateístas (Deus não existe) e em suas ministrações do conhecimento acrescentam sua insana crença da não existência de Deus. O apóstolo João fala sobre estes falsos mestres: “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”1 João 4:4. A nossa consciência do maior vai até aonde?

Infelizmente a maioria dos jovens chega às universidades, despreparados no conhecimento e na sua formação psicológica para enfrentar o mundo. Com isso, a absorção de todo conhecimento como verdade é assimilado e aplicado em sua vida. A formação profissional vem no pacote com a ênfase no conhecimento humanista. Humanismo é a ênfase egocêntrica no homem, em que a força, o conhecimento, a soberania, a superioridade está no homo sapiens. Em Judas 1:10 diz: “Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem”. Então devemos perguntar como ficam nossos jovens no meio desse emaranhado, no meio desta tempestade de conhecimentos revestidos de puro humanismo? Se o jovem não for convicto em sua crença certamente será influenciado negativamente e em menos de dois anos estará longe de tudo que conheceu sobre a criação e seu Criador. Bem diferente dos jovens: Daniel, Hananias, Misael e Azarias que tinham a convicção de não se contaminarem com os costumes do mundo (Daniel 1:8).

O discípulo amado inspirado pelo Espirito Santo nos ensina: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele;” 1 João 2:15. Quantas famílias têm sofrido com seus filhos que eram uma benção na igreja, participavam das programações, faziam especiais e demonstravam uma fé inabalável no Senhor, mas quando foram para universidades, aconteceu uma desconstrução. Ao invés de manterem suas convicções diante dos outros foram submetidos a seguirem a maioria. Eles são envolvidos a participarem de “trotes” de comemorações e passeios promovidos pelos estudantes que muitas vezes não estão no currículo. A força do grupo é maior, poucos dos jovens cristãos não ficarão abalados com o movimento influenciado pela maioria. Jovens cristãos que viveram uma vida tranquila e não tiveram contato direto com o mundo quando chegam à universidade sentem o interesse de conhecer o mundo e escolhem a porta mais fácil, os “amigos” da universidade. Estes amigos parecem serem pessoas sensacionais que trazem grandes novidades, promovem momentos descontraídos sem limites, que liberam a adrenalina e desfazem todos os entraves de proibições que outrora faziam parte de suas vidas. Nesse interim, se esquecem de tudo que aprenderam. Esquecem que não existe harmonia entre a luz e as trevas. Esquecem que devemos sim viver no mundo, mas não devemos nos amoldar a ele (Romanos 12:1, 2). Estes amigos têm grandes influencias, o apóstolo João confirma isso: “Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve”1 João 4:5. Esquecem que a nossa função não importando onde e com quem estivermos, é fazer a diferença para levar aqueles que estão longe da verdade absoluta. Esquecem que nossa função como cristão é proclamar as boas novas aos perdidos. Quando estive na universidade, eu já era cristão, e pela misericórdia de Deus, não fui influenciado negativamente, nem pelos professores e muito menos pelos colegas, pelo contrário consegui conviver com um grupo pelo qual os influenciei positivamente demonstrando minhas convicções em nosso Deus verdadeiro, não fui excluído pelo contrário fui respeitado. Quando me tornei professor de economia estava estudando teologia para o pastorado, meus alunos sabiam que eu praticamente era pastor e eu os influenciava positivamente a seguir o Criador sempre que tinha oportunidades em minhas ministrações.

A mídia tem influenciado todos os jovens, tantos os não cristãos quanto os que são. Os filmes mostram que os maus são bons e que os bons são ultrapassados. Não existem filmes que valorizem o cristianismo, que valorizem o bem, o certo. As pessoas torcem para que os policiais não consigam pegar um jovem casal que roubou milhões de dólares de um banco, e que os grandes heróis são os vampiros dos quais retratados por belos jovens que conseguem conquistar as belas jovens. Os jovens acham emocionante que zumbis ataquem os vivos e no final das contas a ênfase estará nos zumbis que são os mais retratados e valorizados. O mundo não sabe que todos os homens são como zumbis, mortos espiritualmente até que a misericórdia de Deus os alcance e os fazem voltar a viver através do Seu Espírito que nos é entregue. Ficamos felizes quando entregamos nossas vidas a Cristo. Mas, muitos jovens jogam tudo isso fora como lixo, trocando a pérola que vale muito mais que todo o dinheiro do mundo, por míseras moedas que são gastas rapidamente por um chiclete que logo perde o seu sabor. João fala sobre o valor do mundo: “Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” 1 João 2:17.

Nossos jovens precisam acordar, fazer a diferença nas universidades. São poucos jovens cristãos, mas tem que serem unidos para fazerem a diferença neste mundo conturbado. Podemos vencer o mundo porque temos um grande aliado, veja o que Joao diz: ‘Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus? 1 João 5:5.

Devemos preparar nossos jovens para enfrentar o mundo como ele é. Eles devem estar preparados para a defesa da fé como um jovem soldado que vai para guerra para defender sua pátria.

Quero encerrar esse assunto com a citação de Judas 1:20-25

“Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna. E compadecei-vos de alguns que estão na dúvida; salvai-os, arrebatando-os do fogo; quanto a outros, sede também compassivos em temor, detestando até a roupa contaminada pela carne. Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória, ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém”

Pense nisto!
Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB