quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

ALGUÉM NASCEU! MAS ESTE FEZ GRANDE DIFERENÇA.


Muitas pessoas nascem todos os dias. Alguém agora está nascendo entre bilhões de pessoas que existem neste mundo. Qual é a importância do nascimento de cada ser humano neste planeta?
O Criador conhece cada pessoa que nasceu na Terra, Ele já conhece todos que ainda irão nascer. São aproximadamente sete bilhões de pessoas neste pequeno planeta no meio do Universo e Ele sabe o nome de cada um e toda sua historia desde seu nascimento até a sua morte.
O salmista diz que o Senhor registra aquele que nasceu no mais longínquo e pequeno lugar. Ele diz: “O SENHOR, ao registrar os povos, dirá: Este nasceu lá.” (Salmo 87:6).
Quando alguém nasce, seu nascimento é celebrado pelos pais, pela família,. Alguns são celebrados por quase todo o mundo (celebridades). Uns são insignificante para o mundo. Uns são bem tratados, outros são jogados no lixo. Alguns deixam legado surpreendente, que marcam a história da humanidade.
Uns são simples e humildes, outros são polêmicos e excêntricos. Uns influenciam para o bem e outros para o mau. Uns são supervalorizados e outros são desprezados.
Certo bebê em sua primeira aparição pública desencadeou um grande espetáculo, dezenas de fotógrafos estavam registrando para o mundo este grande acontecimento em um dos mais ricos países do planeta.
Há muito tempo atrás, outro bebê em sua primeira aparição foi simplesmente para os olhos de alguns pastores de ovelhas que estava em uma região de uma pequena cidade do oriente.
O pai estava orgulhoso em mostrar o bebe para o mundo.
O outro teve que se esconder da perseguição de maus feitores.
O mundo queria ver aquele bebê para aplaudi-lo.
O mundo queria ver aquele outro bebê para matá-lo.
Um bebê estava voltando pra casa em um carro luxuoso e uma cadeira especial, confortável para sua segurança. O outro voltaria pra casa nos braços da mãe levada por um jumento.
O pai já estava cansado de trocar fraudas descartável, o outro estava envolto em panos.
Um ao nascer já era celebridade, garoto propaganda promovendo produtos nos dois países mais ricos do mundo. O outro somente pode ser conhecido pelo mundo depois dos seus 33 anos de idade a partir de sua morte.
Um é terceira geração de sucessão de um reinado que terá fim, o outro é o Rei dos reis e seu reinado não terá fim.

Um é o filho do príncipe Willian da Inglaterra e bisneto da rainha Elizabete II, o príncipe George. O outro é Filho de Deus, do Todo Poderoso, O Senhor Jesus Cristo.

Somente Ele, o Senhor Jesus Cristo fez a maior diferença na história humana. Dividiu o mundo em dois tempos, um antes de seu nascimento e o outro depois de seu nascimento. Jesus Cristo é o Messias prometido o Emmanuel, Deus conosco, veio para salvar os homens de uma eternidade de sofrimento eterno. Todo aquele que crer nele será salvo.
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz;” Isaías 9:6
Feliz Natal.
Pr. Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular de Mangabeira – João Pessoa – PB.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

LIMPO E PURO, PRA QUÊ?


Quem suporta ver ou sentir sujeira? Alguém tem que limpar a mesma. Mas, não se deve ser jogada debaixo do tapete, escondê-la. Contudo, se deve colocá-la num saco e levá-la até calçada para que quando a coleta de lixo passar a possa ser levada. Por outro lado, sabemos que não é somente nossa casa que deve ser limpa, pois se deixamos de tomar banho durante alguns dias, certamente alguém que estiver perto de nós perceberá pelo mau cheiro exalado na qual suas narinas o denunciará.
Se acumularmos lixo em nossa casa, teremos grandes prejuízos, principalmente com nossa saúde.  Na proliferação de ratos, as baratas, as doenças. Mas eu não quero dar uma aula de higiene ambiental ou pessoal.
A palavra sujeira, analogicamente se transformou em sinônimo de algo mau, obscuro, algo que trás prejuízo, corrupto. Por outro lado o contrário deveria ser verdadeiro - O limpo é sinônimo de pureza, de bem, de saudável.
Mas o que é ser limpo e o que é ser sujo?
Em um mesmo objeto, ou ambiente pode haver os dois, um lado limpo e um lado sujo.
Um ovo de galinha pode ser bem branquinho por fora, mas por dentro poderá está podre. No meio de um lixão, por incrível que pareça pode-se encontrar uma pequena criança recém-nascida jogada por uma mãe insana.
Assim é o mundo e sua aparência. Por causa do pecado vemos vidas deturpadas, pessoas que tentam mostrar o que não são. Mostram uma limpeza superficial ou aparente. Porque no seu intimo reina o pecado.
É a hipocrisia que confunde os valores, alguém que está aparente limpo visualmente, externamente, pode estar sujo, internamente. Hipócritas, na época de Jesus, eram as pessoas que se dedicavam ao teatro de rua, que usavam máscaras para representar aquilo que não eram.
No mundo contemporâneo, vivemos em um mundo de imagens, pois o que vemos com nossos olhos é mais importante se é belo, cheiroso, brilhoso. Na maioria das vezes isso é apenas uma maquiagem que esconde defeitos que não podem ser revelados.
Vemos muitas pessoas vivendo de forma precária nas calçados, e muitos que perderam a sanidade e vivem divagando em suas vidas sem se preocuparem com a limpeza de seus próprios corpos, mas em seu intimo existe amargura, desprezo, falta de perdão, aguardando uma mão amiga para despertar um coração limpo.
Em Mateus 5:8 o autor narra o Senhor Jesus pregando no monte. Nesse versículo Ele fala sobre limpeza, sobre pureza:
“Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus.”
Uma limpeza que só Ele pode providenciar em nossa vida.
As “Bem-aventuranças” constituem a introdução de seu sermão onde mostra logo no inicio as palavras: “Bem - aventurados...” com seu importante significado: é algo acima de qualquer alegria, de qualquer felicidade neste mundo. Jesus continua falando que uma pessoa será mais feliz que qualquer outra se estiver limpo, mas não significa, literalmente, a limpeza de seu corpo após um belo banho, nem também ter recolhido todo o lixo sua casa e levado para a calçada. Nem a limpeza aparente, superficial, somente por fora. Ele fala acerca de uma limpeza mais profunda, total, por dentro e por fora, uma limpeza espiritual.  Ele diz sobre a limpeza do coração. “Bem-aventurados são os limpos de coração...”
Então, o que realmente significa a limpeza do coração? O que nos vem à mente, em primeira mão, se pensarmos como uma criança, é a literalidade sobre a limpeza de nosso coração e ficamos imaginando como lavá-lo e como ele chegou a ficar sujo, como vamos levar o sabão até ele? Ou devemos trazê-lo para fora do corpo para lavá-lo? Entretanto, é obvio que não significa nada disso.
Existe uma expressão que diz: “Ele lavou a alma!”. Significa que se sentiu muito bem, atingiu a sua vontade ou seu objetivo em algo tão esperado ou mesmo sem esperar. Mas, “o coração limpo” é muito mais que isso, é algo em sua plenitude. É a pessoa reconhecer que valores absolutos e simples sucumbem os maiores valores desta vida, que os valores deste mundo que são passageiros e levam as pessoas a serem sujas para obterem a todo o custo estes valores, são capazes de desprezarem a própria família e sua própria vida.
Aquele que é sincero em seu compromisso com o reino da justiça também é puro em seu interior. Falsidade e engano interiores e depravação moral não podem coexistir com a devoção sincera a Cristo[1].
Os limpos de coração “verão a Deus”. O que significa para você poder ver a Deus? Por que Cristo disse essa frase em seu sermão?
Qual é o maior desejo de toda a humanidade? No coração está gravado o desejo de vida eterna, fazem de tudo para terem vida longa, quando envelhecem ficam frustrados, não conseguiram aproveitar realmente a vida, e a perderam eternamente.
Jesus disse que os mais felizes do mundo serão aqueles que terão vida eterna, e ter vida eterna é ver Deus, também no sentido de conhecê-Lo. E a única condição para ver Deus, ou ter a vida eterna é ter um coração puro, um coração limpo.
O coração Limpo é o próprio Evangelho, as boas novas.
Você tem um coração limpo?
Coração limpo é estar livre da influencia do pecado. O pecado que leva o homem a ter um coração sujo, que é a mesma expressão usada por Paulo quando escreveu ao jovem Timóteo: sobre uma mente cauterizada.
“Pela hipocrisia dos que falam mentiras e que tem cauterizada a própria consciência,” 1 Timóteo 4:2.
Um mundo constituído de mentiras, de hipocrisia. 
Ter um coração limpo é você entender que os valores eternos, os princípios eternos sempre prevalecerão. Que por mais que o mundo deturpado pela ignorância de mentes cauterizadas, que conseguem atingir esses corações sujos pelos modismos passageiros pareça belo, mas, somente são superficiais, possam vir a enxergar que somente uma vida cristã verdadeira terá um coração limpo.
Assim verão a Deus.
Pense nisso!
Pastor Edson Sobreira Alves
Igreja Batista Regular de Mangabeira – João Pessoa - PB



[1] D.A. Carson. O comentário de Mateus p.169. Shedd publicações

sábado, 6 de setembro de 2014

VESTINDO A CAMISA DO MUNDO



A expressão “vestir a camisa”, é usada no mundo corporativo, onde o funcionário assume o papel de um colaborador que investe ao máximo seu tempo na empresa em que trabalha para trazer melhores lucros e dividendos. Essa expressão foi transferida para todos seguimentos que incentivam alguém a se concentrar e dedicar em objetivos concretos para atingir as metas. Steve Jobs, grande empresário da Apples, já falecido, levava isso muito a sério, ao ponto de exigir de seus funcionários que deixassem até suas famílias para trabalhar melhor em sua empresa – ele dizia “Escolha sua família ou seu emprego”. Ele chegou a empregar mais de cem mil pessoas, onde a rotatividade era constante. O funcionário que não atingia sua meta, não tinha chance, era trocado imediatamente, pois existia um grande contingente na fila de espera. Dizem que houve um grande índice de divórcios em sua empresa.

Vestir a camisa tem um ponto positivo no sentido da dedicação para atingir metas, estas metas podem ser construtivas, devem ser com objetivos claros em prol de muitos. Transferindo essa expressão um pouco modificada para o cristianismo encontramos a palavra “revestir-se”.

Ela é usada diversas vezes pelo apóstolo Paulo em suas epístolas. Por exemplo, em Romanos 13.14 ele diz: “mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências”.

Esse versículo é a conclusão de um ensino importante de Paulo onde o início do parágrafestá no verso 11, falando como uma advertência acerca de nossa preparação para o fim. Ele fala que já é hora de acordar, já descansamos o suficiente agora temos que agir, pois conhecemos o tempo. Ele fala de uma batalha onde temos que vestir a armadura para estarmos preparados (v.12). No verso 13 ele faz uma aplicação direta para os nossos dias, em que devemos deixar as orgias, as bebedices, as impudicícias e dissoluções, contendas e ciúmes.

Como está sua vida cristã? Você se revestiu de Cristo para enfrentar o mundo? Ou você está vestindo a camisa do mundo?

Quem é mais fácil de se resguardar do mundo? Um jovem que já nasceu em um lar cristão ou um jovem que viveu sua infância e adolescência no mundo e depois se converteu?

Aquele que conheceu o mundo sabe o quanto ele é cruel, enganador e astuto. Estas características são do próprio diabo. O jovem que viveu na igreja e sente o desejo de conhecer o mundo, provar um pouco das agitações dele. Sutilmente trocam suas camisas de versículos bíblicos e personalizadas das obras da igreja pelas camisetas de bandas de hevy metal. Muitos deles acabam fazendo um sincretismo achando que podem ser do mundo e ser de Deus. Esquecem que João, o jovem discípulo amado disse em sua primeira epístola: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procedem do Pai, mas procede do mundo” (1Jo 2:15,16).

Há dois extremos radicais praticados no cristianismo um herdado do judaísmo, o legalismo e o outro herdado do mundo moderno, o liberalismo. Devemos ponderar nossa vida cristã. Devemos lembrar que o Senhor Jesus em sua oração sacerdotal disse; “Não peço que os tire do mundo, e sim que os guardes do mal”. (Jo 17.15). A frase: “os guarde do mal" é a proteção contra Satanás e todas as forças que o seguem.

Vivendo neste mundo precisamos constantemente de oração e de proteção, essa necessidade é suprida quando temos intimidade com nosso protetor, o Senhor Jesus Cristo. Temos que viver neste mundo protegidos em comunhão com o Senhor. Ficamos desprotegidos quando acabamos essa comunhão através do pecado contra Deus. Então, ficamos sem saber como podemos viver neste mundo evitando o pecado se pecamos constantemente. O problema é que o pecado vem em nossa mente, mas ele é consumado quando o praticamos, e quando fazemos isso criamos uma barreira entre nós e Deus e perdemos nossa comunhão com Ele, depois vem muitas provações. Cada vez mais envolvidos com o mundo trocamos valores, pois iludidos com o sucesso no mundo, que é passageiro, somos enganados, depois descobrimos tarde demais a besteira que fizemos.

Como isso acontece? Sutilmente e aos poucos. Eu deixo de ler a Bíblia de orar e de adorar. Por outro lado extremo faço todas essas coisas me aprofundando na palavra, me torno orgulhoso e acho que sou forte o bastante para viver nos dois lados, no mundo e na igreja. Visto a roupa do mundo quando estou no mundo e visto a roupa da igreja quando estou na igreja. Enganamos a nós mesmos. Um resultado de fraqueza ou de orgulho de extrema força.

Jesus conseguia separar tudo isso e deu o exemplo. Estava no meio dos ladrões, das prostitutas para fazer uma diferença, não se tornava um deles, tinha compaixão e levava a verdade, quando concluía o confronto, dizia aos seus ouvintes, perdoando-os: “vá e não peques mais”.

Por que os novos cristãos dos nossos dias querem mudar os princípios eternos? Chamo atenção para as novas gerações, que acham que podem viver nos dois mundos, no cristianismo e no mundanismo. Esquecendo dos valores eternos, como sexo só dentro do casamento, não pecar com orgias e concupiscências, preservando seu corpo que é templo do Espírito de Deus.

Eu sou do tempo que quando alguém se convertia deixava apráticas do mundo, isso somente há duas décadas atrás. Deixava os maus hábitos, vícios músicas do mundo que não edificam. Hoje vemos jovens cristãos andam nas baladas da noite, nas bebedeiras e no sexo livre. Eles se arrependerão tarde demais quando o Senhor Jesus lhes disser: “Não os conheço, aparta-te de mim”.

Tudo isso é resultado do ciclo degenerativo que aconteceu na Ásia, Europa, Estados Unidos, e agora está no Brasil. Os cristãos brasileiros estão sendo superficiais seguindo vários exemplos dos cristãos na outra América, muito diferentes dos cristãos que se convertem no oriente e são perseguidos e mortos por sua fé. Cristianismo não é uma viagem a Disney, nem umas férias em Resorts, mas suor e luta, quem põe a mão no arado não pode olhar pra trás, quem é liberto do pecado das garras do pecado, tem que levar sua cruz e seguir o Senhor Jesus Cristo.

Tudo isso que estou falando não é legalismo, mas são princípios eternos. Vocês se envolvem facilmente e sutilmente em liberalismo maquiado de valores superficiais e não percebem que cada vez mais estão se distanciando, pois muitas vezes caem nas idéias de algum jovem pregador, moderno, que prega que tudo isso é irrelevante, fuja dele!

Estamos perdendo a pureza, o amor, as convicções absolutas para trocar por filosofias insanas aprendidas nas Universidades da vida. Leia a Bíblia, estude a vida dos puritanos e aplique verdadeiros valores em sua vida. Se matricule na Universidade do Senhor Jesus. Não vista a camisa do mudo. Vista a camisa de Deus.

Pense nisso

Pastor Edson Sobreira Alves SSS – Igreja Batista Regular de Mangabeira - João Pessoa - PB

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

APREDENDO E VIVENDO



A frase do dito popular é “vivendo e aprendendo”. Mas, o que vem primeiro, o viver ou o aprender? Vivemos o que aprendemos ou aprendemos para viver?

Ao abrir o amanhecer da vida, o ser humano recém nascido é submetido ao aprendizado ao longo de toda sua existência. Aprendemos com nossos pais as primeiras palavras, os primeiros passos. Tudo aquilo que aprendemos, carregamos como bagagem na caminhada de nossa existência, bagagens boas e bagagens ruins. Ao ouvirmos as palavras que ressoam em nossa volta vamos associando e finalmente sabemos que ao pronunciarmos tais palavras e frases estaremos interagindo em nossa comunicação com os outros, ninguém que aprende a falar deixa de usar suas vozes para se comunicar, ninguém que aprende a andar, deixa de usar suas pernas para se locomover estando em sã condição.

Um médico aprende a cuidar da saúde de seus pacientes, mas se ele não usar seus conhecimentos não exercerá sua profissão. É certo que aprendemos muitas coisas que achamos desnecessárias para nossa vida. Muitos odeiam matemática, física ou química, mas muitos vivem desses conhecimentos.

O que é que realmente vale de tudo aquilo que aprendemos para termos uma vida plena?

Existem verdades absolutas que devemos seguir como princípio regulador de nossa existência, nas quais muitos ignoram e dizem: “Não há verdade absoluta”.

Primeiro porque acham que verdades absolutas ferem sua liberdade de ser. Os princípios cristãos são verdades absolutas ensinadas pelo próprio Criador que criou todas as coisas. Estes princípios regem o mundo desde que todas as coisas foram criadas, as leis físicas, químicas e matemáticas foram feitas por Deus e à medida que o homem adquiriu mais conhecimento vai descobrindo essas leis, mas elas estavam sempre lá.

As leis morais são universais, pois foram instituídas para manter um padrão favorável à vida social equilibrada em que o homem deveria viver.

Em segundo lugar, eles não crêem em verdades absolutas por acharem que não exista o Criador de todas as coisas.

Todas as respostas necessárias que a humanidade busca desvendar no universo, acerca de sua existência e seu propósito de vida neste mundo está nas Escrituras Sagradas que são palavras do próprio Deus. Mas só conseguimos enxergar esta realidade, quando o próprio Criador nos toca, nos faz acordar de uma morte espiritual causada pelo pecado.

A base de todas as Escrituras é Cristo, ele está presente tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento. Ele é a resposta para nossas duvidas, é alicerce para o nosso conhecimento. Ele disse em Mateus 11:29 “... aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e achareis descanso para vossa alma”. Quando ele toma conta de sua vida, sua mente deturpada pela barreira do pecado é desobstruída e você se livra para enxergar a verdade absoluta. Aprendemos tudo o que é necessário acerca dele para vivermos uma vida plena.

Você deve viver como Paulo diz em Gálatas 2:20 “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”

Mas, aquilo que aprendemos sobre ele que serve como padrão para sermos iguais a ele, tem que ser exercido em nossa vida, tem que ser aplicado em nosso cotidiano. Temos que ser como um médico exercendo aquilo que ele estudou e aprendeu, aplicando em sua vida e na dos outros. Mas, na maioria das vezes somos como um profissional formado na mais famosa universidade que não exerce sua profissão e somos como engenheiros, professores, economistas, em uma fila de emprego disputando uma vaga para gari – não desmerecendo o profissional que mantém a limpeza da cidade, que por sinal é muito honrosa e deveria ser bem remunerado – mas estou tentando fazer uma ponte daquilo que aprendemos acerca de Deus e não aplicamos em nossa vida.

Aprendendo e vivendo, só podemos ter uma vida plena quando aprendemos que devemos ser humildes como Cristo foi e nos ensinou a ser, se aplicarmos esse ensino em nossa vida. Só realmente viveremos o cristianismo se amar como Jesus amou e perdoar como Ele perdoou se tivermos domínio próprio como o Senhor demonstrou. Se observarmos, aprendermos e aplicarmos o frutos do Espírito (Gl 5:22) em nosso ser, buscando o caráter de Deus, expressando aquilo que aprendemos como nossos atos de justiça seremos parecidos com Cristo.

Milhões de pessoas estão nas igrejas aprendendo acerca de Cristo e seus ensinamentos, mas não vivem aquilo que aprendem.

O nosso desafio é abrir primeiro os nossos olhos e depois os dos outros para sermos como um profissional dedicado aplicando aquilo que aprendeu para viver em uma verdade absoluta.

Você tem vivido aquilo que aprendeu na Escola Bíblica Dominical, nas pregações do culto de adoração, você tem anotado e analisado, tirado suas dúvidas para aplicar em sua vida e na vida de sua família?

Você precisa aplicar em sua existência, aquilo que você aprende acerca do Criador e terá uma vida plena com valores absolutos.

Pense nisso!

Pr. Edson Sobreira Alves – Igreja Batista Regular de Mangabeira – João Pessoa - PB

quarta-feira, 23 de julho de 2014

APROVEITANDO A VIDA

APROVEITANDO A VIDA

Como você está aproveitando a vida?

Quando pensamos na frase: “aproveitando a vida”, logo vêm em nossa mente, imagens de pessoas alegres, sorridentes, relaxando em uma casa de praia, andando a cavalo em uma bela fazenda, se divertindo em um grande parque de diversões, dirigindo um carro conversível em Bervely Hills, desfrutando de sua propriedade aconchegante na beira da piscina, hospedando em hotéis luxuosos em vários países diferentes, fazendo refeições deliciosas em restaurantes renomados ou participando de uma grande festa. Todas estas coisas são ótimas e realmente quando vemos alguém desfrutando destes prazeres parece que estão aproveitando a vida.

Vamos pensar na vida – ela é curta! Passa como um piscar de olhos. Uma pessoa jovem pode dizer: “Espere um pouco, Tenho apenas vinte anos e ainda tenho muita vida pela frente”.

O interessante em nossa vida é que os dias voam e nem percebemos, trinta e um anos atrás eu dizia esta frase. No entanto, já passei da meia idade, graças a Deus. Quando paramos para refletir nos anos que passam podemos perceber que muitas vezes não aproveitamos a vida como deveríamos. Não estou dizendo somente no sentido de desfrutar os prazeres para satisfazer a nós mesmos. Nem estou dizendo que é uma forma errada de aproveitar a vida, mas não é a principal, nem é a única. Porque aproveitar a vida da forma que nos é apresentada constantemente na mídia, nas propagandas, nos filmes, nas novelas, na literatura, torna-se um sonho que o homem almeja e quer a todo custo para satisfazer seu próprio ego.

A sociedade tem mudado muito na era tecnológica. O coletivismo tem dado lugar ao individualismo, cada vez mais as pessoas têm ficado mais introspectivas, vivendo em seu próprio mundo, os jovens têm formado diversos grupos fragmentados que não se unem com os outros, cada um defendendo seus próprios interesses. O homem tem perdido suas forças por falta da união, pois acha que podem por si só atingir seus objetivos, ao invés de unirem as forças, se digladiam.

Quando focamos somente nossos próprios interesses para atingir nossa satisfação e a buscamos a todo custo, não há lugar para os outros que estão ao nosso lado, ao nosso redor e muito menos distantes de nós.

Eu desfrutei de vários prazeres e você também já deve ter desfrutado como: se hospedar em hotel luxuoso, viajar a outro país, pilotar um carro nas ruas de Miami Beach, mas nunca busquei esses objetivos colocando-os em primeiro lugar em minha vida, ou passando por cima das pessoas, nunca tive que ser aficionado para atingir esses desejos a qualquer preço, tudo aconteceu naturalmente e sem muito esforço. E nas vezes que estava só, sem minha esposa e filhos, por motivo de trabalho, vi o quanto foi triste para mim.

Vejo o nosso Deus sendo gracioso demais para com minha vida. Deus me tirou de uma carreira de executivo, para me chamar para o ministério. Tenho um grande amigo que é dentista e agora está com sua família, mulher e duas filhas pequenas, sendo missionário em um país do Continente Africano, chamado Gâmbia. Um país que tem as características que mencionei na introdução.

Aproveitar a vida não está ligado necessariamente às benesses de sua própria vida, aproveitar a vida é usá-la em beneficio dos outros. Cada pessoa tem que usar sua vida para a edificação de outra vida.

Você aproveita a sua vida em sua total realidade quando se entrega em favor de muitos. Esse é um princípio importante que o Senhor Jesus Cristo nos ensinou. Só aproveitamos a vida quando buscamos a misericórdia, a bondade, a humildade, a mansidão, a longanimidade, o perdão, amor, alegria, paz, fidelidade, domínio próprio, onde todas estas virtudes, que é o fruto do Espírito, somente são exercidas em função dos outros (Cl 3:12-14; Gl 5:22, 23).

Você não pode ser humilde sozinho, somente será humilde diante de Deus e dos homens; você não pode ser longânime sozinho, tem que exercer a paciência e confiança em função do outro; você não poderá exercer o domínio próprio, ou o perdão e o amor se não estiver exercendo em favor do outro.

Então, perceberemos que aproveitar a vida é usá-la plenamente em prol da humanidade, aproveitar a vida é deixar um legado em que haja uma contribuição na vida do outro, pode ser que seja para edificar somente a vida de uma pessoa, ou várias vidas.

Uma das formas de aproveitar a vida é você deixar o seu conforto de sua casa, a segurança de seu emprego, a tranqüilidade de seu bairro, o progresso de sua Nação, a verbalização de sua língua, e ir para um país hostil, distante, morar em uma casa desconfortável, ser embaixador de Cristo em bairro atrasado, em uma Nação sem governo, aprender outra língua com dificuldades, somente para levar aos outros, aquilo que eles mais necessitam a salvação em Cristo Jesus.

Aproveitar a vida é sendo você um grande empresário dono de seu próprio negócio, usar parte dos seus lucros, de seus bens e de seu tempo para a glória de Deus, contribuindo para missões, sustentando de missionários, de seminaristas, pastores que exercem verdadeiramente suas funções, seu chamado, contribuírem para a implantação de novas congregações, novos centros de estudos para preparação de obreiros.

Aproveitar a vida é mesmo sendo uma pessoa sem condições financeiras, ou não tendo muita instrução, ser capaz de entender a misericórdia, a graça de Deus em sua vida, confiando nEle e fazendo sua obra com alegria, sabendo que está sendo usado por Ele para glória de Seu nome, e também para edificar outras vidas com seu testemunho.

O mundo vai dizer: “isso é loucura!”. É exatamente isso, loucura para os homens, mas para nós isso é poder de Deus.

Assim você aproveita a sua vida.

Pense nisso!

Pr. Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa-PB

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

O CRISTÃO E O CRISTIANISMO ENFRENTAM UM GRANDE DESAFIO


O apóstolo Paulo temendo que o jovem Timóteo se envolvesse com falsos ensinamentos de falsos profetas que se infiltram na igreja de Cristo disse:
“Mantém o padrão das sãs palavras que de mim ouviste com fé e com o amor que está em Cristo Jesus”. 2 Timóteo 1:13
O que o apóstolo temia no primeiro século da igreja cristã está acontecendo com mais intensidade no século XXI. Outrora a igreja lutava com ataques externos que atingiam a igreja de Cristo com perseguições. Hoje a igreja de Cristo tem sido minada de forma sutil e intelectualmente, internamente com líderes e falsos profetas que tem usado o nome de Cristo como um marketing para um crescimento de empresas disfarçadas de igreja.
Como podemos definir o cristianismo em nossos dias?
Olhando para os cristãos em nossos dias percebemos que existe uma grande diferença. Antes se conhecia um crente pela sua aparência, o modo de vestir, sua honestidade, sua humildade, seu temor e conhecimento sobre a Palavra de Deus. O cristianismo não era pragmático, legalista, ganancioso, arrogante.
Os cristãos espalhados pelo mundo inteiro que estão entrelaçados com todo o contingente de uma sociedade humanista deveriam se destacar pela diferença. Essa diferença tem sido absorvida pelo sistema avassalador do mundo. Então, na igreja contemporânea, não conseguimos distinguir quem é quem se diz, e quem não é cristão. Os valores inversos do mundo têm sido adotados sutilmente pela igreja cristã.
Será que fomos chamados para sermos iguais ao mundo, moldados nele? (Romanos 12:1,2).
Será que nosso desafio é descobrir um jeito de sermos cristãos com o padrão do mundo? Com o mesmo linguajar, as mesmas roupas e os mesmos pensamentos, a mesma música, o mesmo caráter, o mesmo “alimento”, a mesma “bebida”. Mas, é justamente isso que acontece na igreja contemporânea. Quantas vezes já ouvi alguém dizer: “é melhor trabalhar com descrentes do que com crentes”.
Quantas pessoas que se dizem cristãs tem sido encontrados bêbados, praticado adultérios, fornicando, mentindo, envolvidos com transações ilícitas nas empresas e na política?
Por que a imagem dos cristãos está tão deturpada?
Podemos deduzir que o grande contingente que fazem parte da maioria das igrejas no ocidente tem tido um crescimento ínfimo no conhecimento da Palavra de Deus, nas Escrituras, e com isso contemplamos este quadro degradante dos “embaixadores” de Cristo.
Outro fator importante, de acordo com alguns teólogos, é que a imagem do cristão em nosso continente tem sido desacreditada devido de como os mesmos, aprenderam sobre a doutrina do amor de Deus. Amar a Deus é a principal função do cristianismo e é dessa forma que adquirimos o caráter de Deus. O amor de Deus abrange primeiro Ele próprio e depois sua criação. Mas, o evangelho apresentado àqueles que se converteram no último meio século tem ensinado que a liberdade cristã é leviana e deturpada porque todos aprendem que amor de Deus nos concede fazer qualquer coisa, em função dessa “liberdade”, mas os "mestres" esquecem de apresentar que o amor de Deus é constituído também de correção, disciplina e também de graça. Os cristãos de hoje perderam o temor por Deus, pois a banalidade de um evangelho barato apresentado de forma unilateral tem formado uma fileira de pseudos-cristãos. A unilateralidade dá-se por conta da apresentação de um deus somente amoroso que aceita a todos de qualquer forma sem um verdadeiro arrependimento de seus pecados.
O líder das igrejas de um evangelho pragmático esquece-se ou não quer apresentar o Deus que além de ser amoroso, é justo e trata seus filhos rebeldes e teimosos com ira e correção e isso não deixa de ser amor. O resultado desta tão grande falha resulta em cristãos que não entendem nada do evangelho e ainda assim se dizem cristãos.
Os puritanos do século XVII foram chamados assim pela busca de uma vida de pureza. Na tentativa de reformar a igreja da Inglaterra, os puritanos tiveram que fugir da perseguição da igreja comandada pela monarquia que era contra a reforma, nesse interim surgiu nomes importantes que marcaram história do cristianismo e da igreja, homens como John Bunyan que ficou 12 anos na prisão por pregar o evangelho e escreveu o clássico: “o peregrino”, John Owen conhecido como o “príncipe dos puritanos”, pastor e capelão do exercito inglês, publicou a melhor obra teológica e doutrinária da Inglaterra em 24 volumes e Richard Baxter pastor e prolifico escritor.
Durante os dois séculos subsequentes, XVIII e XIX, os puritanos foram absorvidos pelos reavivamentos na Europa e Estados Unidos, após a reforma  os padrões rígidos e profundos dos puritanos foram esquecidos e até criticados. No final século XX e no início do  XXI, vemos as preocupações por um novo reavivamento com a volta do evangelho puro e simples, então os escritos dos puritanos e suas vidas na busca da pureza ressurgiram como um legado que serve de aprendizado para uma nova reflexão que começa ser mais discutidas por causa do aumento presencial e notório do cristianismo longe do evangelho da graça. Cristianismo esse com uma nova roupagem que surge no continente americano e se transferem com grande intensidade na América latina e no mundo, tornando-se um cristianismo muito abrangente, mas muito superficial.
Temos visto certa preocupação crescente e louvável de alguns grupos de cristãos que tentam abrir os olhos de outros cristãos para comporem as fileiras do exercito de Cristo para combater o falso cristianismo que tem sido difundido por inescrupulosos pastores e pastoras, bispos e bispas, “apóstolos” que têm uma visão direcionado somente para seus próprios interesses.
Quando Paulo foi visitar Corinto, ele esperava encontra-los vivendo em harmonia uns com os outros:
“Temo, pois, que, indo ter convosco, não vos encontre na forma em que vos quero, e que também vós me acheis diferente do que esperáveis, e que haja entre vós contendas, invejas, iras, porfias, detrações, intrigas, orgulho e tumultos”. 2 Coríntios 12:20 
Pense nisso!

Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular de Mangabeira – João Pessoa.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

DOIS PONTOS INSEPARÁVEIS: A SABEDORIA E O TEMOR


Buscamos na profundeza de nossa alma a explicação para a nossa existência. Mas, somente em Deus encontramos as respostas necessárias para nossa indagação.  Vivemos num mundo de grandes desafios no qual fomos inseridos pela dádiva da vida, enfrentamos constantes obstáculos ao longo de nossa trajetória. Não há escapatória por mais que tomemos alguns atalhos. Alguns de nós buscamos respostas em nós mesmos e assim às vezes sobressaímos do anonimato expressando pensamentos filosóficos que para a humanidade parece ser profundo e inteligente, mas, que nunca nos trás respostas absolutas. Surgem grupos que se tornam seguidores de pensadores idealistas e utópicos em seus devaneios.
O relativismo da modernidade abriu um grande leque para qualquer pensamento contrário ao que é moral. A incerteza do que é certo, a certeza do que é errado e a neutralidade dos dois levam a loucura da humanidade em fazer suas próprias regras insanas. Se colocarmos um dedo em água fria e ao mesmo tempo o outro dedo da outra mão na água quente, depois colocamos os mesmos dedos em aguas com temperatura normal, ainda assim sentiremos que um dedo está na água fria e o outro na água quente. Da mesma forma são nossos sentimentos para com este mundo. Isso nos leva a entender que nem sempre os nossos sentimentos ou pensamentos estão absolutamente corretos quando o concluímos somente pelo que achamos, sem nos aprofundarmos e discutirmos.
Perdemos a nossa visão de objetivos saldáveis quando não lançamos mão de uma base de princípios sólidos, justos e seguros. Nossa sociedade, hoje em dia se consolidou na formação de propósitos egocêntricos e individualistas, trazendo um resultado de uma base de diversos grupos com pensamentos heterogêneos. A existência de pensamentos divergentes não deveria levar a humanidade a ser separatista e egocêntrica, mas é o pecado que transformam pensamentos diferentes em arma contra a própria humanidade. Os pensamentos diferentes podem ser valorosos nas discursões sadias para uma conclusão que favoreçam a maioria e a minoria aceita, sabemos distinguir o que é certo ou errado na lei universal que vem gravada no coração humano, o que falta é refletir melhor nesta lei. Mas, hoje isso parece utopia. Esquecemos que  o verdadeiro cristianismo nos trás todas estas respostas que são satisfatórias. Quando digo cristianismo não estou falando de catolicismo, evangelicalismo ou movimentos batistas, presbiterianos, pentecostais, etc. Estou falando do Evangelho de Cristo, dos seus ensinos, de sua humanidade e divindade de sua perfeição que é a base para uma verdadeira vida cristã.
Ficamos abismados com a imagem da igreja de Cristo em nossos dias. Pensamos como podemos mudar este quadro devastador, por um lado o crescimento de igrejas é enorme e por outro lado o conhecimento profundo do verdadeiro Evangelho é decadente. Esquecemo-nos dos princípios básicos que nos leva na formação do ideal de Deus, sermos mais parecidos com Cristo. Hoje, as igrejas querem ser mais parecidas com seus líderes. Há lideres que querem ser parecidos com os reis. E o povo de “Deus” quer ser súditos não de Deus, mas dos homens.  O evangelho apresentado por estes líderes é um evangelho barato, fragmentado, diluído que não oferece profundidade, convicção, amor.  Fico pensando em milhares de pessoas que são iludidas com os evangelhos que mostram soluções imediatistas e materialistas, que pregam igrejas e não Cristo, que não dão de graça aquilo que receberam, mas vendem aquilo que não tem, e enriquecem vendendo uma “mercadoria falsa” dizendo que é de qualidade. Tudo isso acontece por causa dos próprios desejos da humanidade. A satisfação em ter é maior do que o ser. Quando se anuncia que há facilidades em adquirir algo para satisfazer os desejos que muitas vezes não são necessários, pois muitos desejos são induzidos pela parafernália da propaganda enganosa, pelo marketing persuasivo da mídia televisiva e internet, que outrora eram usadas por empresas, agora são usadas na igreja.  Vivemos em um mundo moderno em que a leitura não é mais profunda e indagativa. As informações são rápidas, sem muitas explicações e sempre aceitáveis como verdade. A comunicação está cada vez mais tecnológica, robótica e menos pessoal e social.  As crianças são induzidas desde sua tenra idade a se prepararem para sobreviverem em uma sociedade competitiva e individualistas, com isso a família é dividida e também destruída. O principio da formação familiar, do pai, mãe e filhos, agora pode ser formada por pai, pai e filhos ou mãe, mãe e filhos, isso é um absurdo! Pois extrapola as leis físicas e morais da natureza que Deus criou, homem e homem, mulher e mulher não se encaixam fisicamente de acordo com sua natureza, amorosamente e nem sexualmente na lei moral, e se todos pensassem que sim seria o fim da procriação e da humanidade. Todas estas coisas tem uma explicação básica que podemos deduzir das Palavras do Criador reveladas em Seu livro Sagrado.
O salmista expressa com sabedoria, pois é revelada pelo próprio Espírito de Deus e registrada em Salmo 111:10 “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O seu louvor permanece para sempre”.
A igreja de Cristo neste mundo é a luz nas trevas do conhecimento humanista e egocêntrico, o Senhor nosso Deus nos ensina que devemos respeitar e temer aquele que nos criou, aquele que nos deu vida e que cuida. Nosso conhecimento, sabedoria só poderá ser saldável se voltarmos ao temor o Senhor.  O apóstolo e evangelista Mateus registra em seu Evangelho uma passagem em que o Senhor Jesus prega o mais profundo sermão de seu ministério “O Sermão do Monte”, “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Mateus 6:33.
Buscar primeiro a Deus antes de tudo e de todas as coisas, é ter sabedoria. Quando O buscamos, O conhecemos e O tememos. Assim, teremos verdadeira sabedoria.
Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Vida e Morte


Os dois acontecimentos mais fortes e importantes na vida física e humana é o nascimento e a morte (Dt 30:19). Um traz grande alegria e outro, grande tristeza.  Dois fatos opostos que se atraem pelo fator tempo. Dois pontos estremos da vida que a metida que o tempo passa inevitavelmente atinge o outro lado. Nascemos, vivemos, envelhecemos e morremos, esse é o ciclo natural da vida humana? Não! A princípio, fomos criados para usufruirmos das duas primeiras etapas, nascer e viver. A segunda e terceira surgiu após a queda do homem. A vida é feita de expectativas, sonhos e decisões. Ao longo do tempo em que vivemos tomamos decisões com expectativas de atingirmos nossos sonhos, nossos objetivos, mas quando não conseguimos atingi-los, nos frustramos. Mas, na trajetória da vida não sabemos o futuro, quanto tempo teremos. Vivemos com incertezas e procuramos valorizar nossa vida com intensidade, mas não sabemos viver corretamente. Tomamos decisões erradas, nos alimentamos erroneamente, não praticamos exercícios físicos como deveríamos e tratamos com indiferença nosso próximo. Contudo, queremos viver bem e por muito tempo neste mundo e muitos acham que nunca irão morrer.
 Observando grandes milionários e poderosos neste mundo e até alguns que convivi, pude observar as grandes frustrações já no final de suas vidas. Fico pensando o que adiantou tanta correria, tanta preocupação com seu próprio eu, tanta riqueza, pois nada poderiam levar para eternidade. Os egípcios pensavam que poderiam usufruir de seus bens após a morte física por isso construíram catacumbas enormes, pirâmides não somente para conter seus corpos embalsamados como também suas riquezas, eles pensavam que poderiam usar suas riquezas adquiridas deste mundo, na outra vida (Jo 12:25). O mundo não consegue entender o verdadeiro sentido da vida. A natureza do homem caído trouxe consequências desastrosas não somente para ele, mas para toda a criação. O homem natural não consegue enxergar o verdadeiro sentido da vida, apesar de ter em seu DNA a lei moral gravada em seu coração e pela graça comum dada a todos pelo Criador, alguns conseguem aparentemente serem bons e respeitar o próximo (Mt 5:45).
Mas todos se esqueceram do porque nasceram neste mundo. Nós fomos criados por Deus para sermos seus adoradores, mas por causa do pecado, passamos a adorar a nós mesmos. Ficamos separados do Criador pelo pecado que é uma muralha intransponível ao ser humano. Mas Deus em sua infinita bondade e amor providenciou um Salvador para todos que acreditassem nele. Jesus o Filho de Deus foi e é, a porta, a ponte, a água viva, o caminho, o alimento que nunca se acaba, o esplendor da glória que dá a oportunidade de que cada pessoa possa voltar a ter um relacionamento real de amor com o Criador. Muitos já foram alcançados por essa dádiva da vida. Então, a vida volta a ter um verdadeiro sentido, mesmo que morra terá a vida eterna e um dia receberá um novo corpo, a ressurreição experimentada por Cristo e prometida a todos que se entregam e confiam nele.
Muitos homens e mulheres que viveram e vivem neste mundo e entregaram suas vidas à Cristo, cumpriram e cumprem seu proposito determinado pelo Criador (Ef 3:11).

Conheci um grande homem, grande em muitos sentidos, em sua estatura e em seu amor por Cristo e por sua obra. Dedicou-se a resgatar os excluídos deste mundo que não podiam ouvir os sons da natureza criada por Deus. Ele sabia que estas pessoas tinham que “ouvir” acerca do evangelho e ensinou a muitos sua linguagem. Intensificou a linguagem de sinais, “Libras” nas igrejas cristãs do Brasil e da América Latina. Tive o prazer de participar, junto com minha esposa, de alguns trabalhos evangelísticos de grande intensidade que ele promovia e incentivava, usando “as três portas”, um método que usamos para chamar a atenção das pessoas para ouvir o evangelho. Algumas madrugadas, estivemos no meio de uma grande festa, vendo milhares de pessoas se perdendo em seus desejos em uma pequena cidade do Ceará, Crato. Numa barraca alugada por ele, pregávamos o evangelho chamando a atenção através “as três portas”.  O missionário John Peterson junto com sua esposa “Gina” foram uns dos meus professores no SBC. Nunca me esqueço de uma expressão que ele sempre usava quando me via: “Vá bene”. Ele usava algumas ilustrações, de sua própria vida, em suas pregações que eram muito hilárias, e sempre estava com um sorriso no rosto expressando o amor que ele tinha pelas almas perdidas neste mundo. Grande homem que agora está no lugar mais intenso e maravilhoso da eternidade ao lado do Senhor Jesus.

Pr. Edson Sobreira Alves