sexta-feira, 4 de maio de 2012

Jovens cristãos ou humanistas nas universidades



Muitos jovens que nascem em lar cristão são ensinados que o mundo não oferece nada de bom. Quando falamos do mundo, falamos do sistema corrupto e das ideias equivocadas do certo e errado.

Os jovens participam das programações das igrejas e estão no convívio de outros da mesma fé. Quando crianças, as mesmas são protegidas de todo o mal que existem no mundo no qual afetam diretamente e negativamente o povo de Deus. As crianças mais privilegiadas estudam em colégios cristãos (evangélicos) e neste período estarão “incontaminadas”. O grande impacto acontece quando nossos jovens passam no vestibular e seguem para a universidade. A mudança é brusca, e sua rotina tornasse diferenciada com os trabalhos, reuniões e etc. Universidade é um universo de conhecimento de tudo sobre a vida humana e praticamente nada sobre a vida espiritual. Muito diferentes das primeiras universidades que foram iniciadas pelos cristãos, a mais famosa e conhecida até hoje, é a universidade de Harvard que enviou muitos missionários ao mundo inteiro espalhando o cristianismo que transformou muitas vidas, mas atualmente, infelizmente, Harvard é a maior faculdade de administração (MBA) e não há mais nenhuma pequena sala de teologia.

É obvio que existem verdades em todo o universo, não será diferente na universidade, o problema é a ênfase. Todo o conhecimento vem de Deus, mas uma grande parte é deturpada por mentes egoístas. Na universidade pouca se fala sobre Deus, não se fala que grandes cientistas como Einstein e Johannes Kepler falavam, estudavam e eram confiantes e submissos ao Supremo e Todo poderoso Deus. Muitos dos educadores são ateístas (Deus não existe) e em suas ministrações do conhecimento acrescentam sua insana crença da não existência de Deus. O apóstolo João fala sobre estes falsos mestres: “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”1 João 4:4. A nossa consciência do maior vai até aonde?

Infelizmente a maioria dos jovens chega às universidades, despreparados no conhecimento e na sua formação psicológica para enfrentar o mundo. Com isso, a absorção de todo conhecimento como verdade é assimilado e aplicado em sua vida. A formação profissional vem no pacote com a ênfase no conhecimento humanista. Humanismo é a ênfase egocêntrica no homem, em que a força, o conhecimento, a soberania, a superioridade está no homo sapiens. Em Judas 1:10 diz: “Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem”. Então devemos perguntar como ficam nossos jovens no meio desse emaranhado, no meio desta tempestade de conhecimentos revestidos de puro humanismo? Se o jovem não for convicto em sua crença certamente será influenciado negativamente e em menos de dois anos estará longe de tudo que conheceu sobre a criação e seu Criador. Bem diferente dos jovens: Daniel, Hananias, Misael e Azarias que tinham a convicção de não se contaminarem com os costumes do mundo (Daniel 1:8).

O discípulo amado inspirado pelo Espirito Santo nos ensina: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele;” 1 João 2:15. Quantas famílias têm sofrido com seus filhos que eram uma benção na igreja, participavam das programações, faziam especiais e demonstravam uma fé inabalável no Senhor, mas quando foram para universidades, aconteceu uma desconstrução. Ao invés de manterem suas convicções diante dos outros foram submetidos a seguirem a maioria. Eles são envolvidos a participarem de “trotes” de comemorações e passeios promovidos pelos estudantes que muitas vezes não estão no currículo. A força do grupo é maior, poucos dos jovens cristãos não ficarão abalados com o movimento influenciado pela maioria. Jovens cristãos que viveram uma vida tranquila e não tiveram contato direto com o mundo quando chegam à universidade sentem o interesse de conhecer o mundo e escolhem a porta mais fácil, os “amigos” da universidade. Estes amigos parecem serem pessoas sensacionais que trazem grandes novidades, promovem momentos descontraídos sem limites, que liberam a adrenalina e desfazem todos os entraves de proibições que outrora faziam parte de suas vidas. Nesse interim, se esquecem de tudo que aprenderam. Esquecem que não existe harmonia entre a luz e as trevas. Esquecem que devemos sim viver no mundo, mas não devemos nos amoldar a ele (Romanos 12:1, 2). Estes amigos têm grandes influencias, o apóstolo João confirma isso: “Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve”1 João 4:5. Esquecem que a nossa função não importando onde e com quem estivermos, é fazer a diferença para levar aqueles que estão longe da verdade absoluta. Esquecem que nossa função como cristão é proclamar as boas novas aos perdidos. Quando estive na universidade, eu já era cristão, e pela misericórdia de Deus, não fui influenciado negativamente, nem pelos professores e muito menos pelos colegas, pelo contrário consegui conviver com um grupo pelo qual os influenciei positivamente demonstrando minhas convicções em nosso Deus verdadeiro, não fui excluído pelo contrário fui respeitado. Quando me tornei professor de economia estava estudando teologia para o pastorado, meus alunos sabiam que eu praticamente era pastor e eu os influenciava positivamente a seguir o Criador sempre que tinha oportunidades em minhas ministrações.

A mídia tem influenciado todos os jovens, tantos os não cristãos quanto os que são. Os filmes mostram que os maus são bons e que os bons são ultrapassados. Não existem filmes que valorizem o cristianismo, que valorizem o bem, o certo. As pessoas torcem para que os policiais não consigam pegar um jovem casal que roubou milhões de dólares de um banco, e que os grandes heróis são os vampiros dos quais retratados por belos jovens que conseguem conquistar as belas jovens. Os jovens acham emocionante que zumbis ataquem os vivos e no final das contas a ênfase estará nos zumbis que são os mais retratados e valorizados. O mundo não sabe que todos os homens são como zumbis, mortos espiritualmente até que a misericórdia de Deus os alcance e os fazem voltar a viver através do Seu Espírito que nos é entregue. Ficamos felizes quando entregamos nossas vidas a Cristo. Mas, muitos jovens jogam tudo isso fora como lixo, trocando a pérola que vale muito mais que todo o dinheiro do mundo, por míseras moedas que são gastas rapidamente por um chiclete que logo perde o seu sabor. João fala sobre o valor do mundo: “Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” 1 João 2:17.

Nossos jovens precisam acordar, fazer a diferença nas universidades. São poucos jovens cristãos, mas tem que serem unidos para fazerem a diferença neste mundo conturbado. Podemos vencer o mundo porque temos um grande aliado, veja o que Joao diz: ‘Quem é o que vence o mundo, senão aquele que crê ser Jesus o Filho de Deus? 1 João 5:5.

Devemos preparar nossos jovens para enfrentar o mundo como ele é. Eles devem estar preparados para a defesa da fé como um jovem soldado que vai para guerra para defender sua pátria.

Quero encerrar esse assunto com a citação de Judas 1:20-25

“Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna. E compadecei-vos de alguns que estão na dúvida; salvai-os, arrebatando-os do fogo; quanto a outros, sede também compassivos em temor, detestando até a roupa contaminada pela carne. Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória, ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo, Senhor nosso, glória, majestade, império e soberania, antes de todas as eras, e agora, e por todos os séculos. Amém”

Pense nisto!
Pastor Edson Sobreira Alves

Igreja Batista Regular em Mangabeira – João Pessoa - PB



2 comentários:

Carlos Bezerra disse...

Esta é um grande desafio. Creio que com diligência e muita força de vontade dada por Deus teremos condições de capacitar nossos jovens a serem grandes radicalistas, militantes dentro deste campo tão hostil que é a univerdade.Vamos jovens cristãos, como dizia um herói televisivo - "para o alto e avance"!!!
Obrigado pastor Edson pelo texto!

Pastor Edson Sobreira Alves disse...

Obrigado pastor Carlos! Que o nosso Deus continue lhes abençoando em seu ministério ai em Sousa e também no novo desafio do trabalho em Cajazeiras-PB.